Minha lista de blogs

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Madrugada


O galo
Do meu
Vizinho
Sofre
(Tem de
Entalhar
Sozinho
A madrugada)
Assim
Como eu
Que
Sozinha
Moldo os dias
Esculpo
A vida
Com falta
Quase
Absoluta
De
Matéria-prima

Lá está
O galo
Às quatro
E trinta

Cá estou eu
Labutando
Com a
Escassa
Argila
Com a rala
Tinta
Do pensamento
Na vã
Tentativa
De restaurar
A velha
E gasta
Rotina

Ah
Se eu
Contasse
Ao menos
Com uma
Ou outra
Sobra
De fantasia...

43 comentários:

Assis Freitas disse...

um galo sozinho não tece uma manhã, será? Abraço

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Imaginação é tinta e é argila que se mais gasta mais se tem... ;)

Ribeiro Pedreira disse...

Zélia, Guardiã da madrugada, tece a poesia dos dias fantasiosos enquanto o galo procura os companheiros de alvorada.
Bjs, poeta.

Andrea de Godoy Neto disse...

Zélia, imagina então o que tu farias com um pouco mais de fantasia? se com escassa argila e rala tinta já teces tanta poesia no mundo...

beijo grande

Lara Amaral disse...

De noite, meia lua
de dia, sol nublado
falta viço para o galo cantar
girassol entorta o pescoço, cansado.

Para vc, moça, que escreve alguns dos versos mais bonitos que posso ler.

Beijo grande!

Pâmela Grassi disse...

Zélia,

Galo e manhã cheiram a João Cabral de Melo Neto - assim como para o Assis.

a escassa argila se cruza com a rala tinta
"para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo,",

Um beijo, querida!

Efigênia Coutinho disse...

Zélia Guardiano

Que versos deliciosos de se ler,
adorei mesmo vim hoje visitar você,
beijos
Efigênia

Zélia Guardiano disse...

Querido Assis
Você tem bola de cristal...rs...
Sempre uma alegria , a sua presença!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Amigo Francisco
Você disse bem... Reclamo, mas sei que sempre é possível conseguir mais um pouquinho,mesmo que seja necessário espremer a bisnaga...
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Ribeiro, querido
Que palavras lindas! Seu comentário é um belíssimo poema ...
Grata, amigo!
Beijos

Zélia Guardiano disse...

Minha querida Andrea
Você é muito importante aqui! Sua visita e seu comentário me fortalecem para proseguir na labuta...
Grata, amiga!
Beijinhos

Zélia Guardiano disse...

Pâmela, querida!
Sua visita é felicidade para mim!
E vamos trançando, tramando, estrelaçando,cruzando a poesia...Sempre!
Beijos

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, minha querida Efigênia!
Sua visita e seu comentário enriquecem e enfeitam meu modesto espaço...
Muito grata, poeta!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Lara, minha doce e querida amiga
Que versos lindos me trazes! Além da alegria de sua paresença...
Obrigada!
Beijinhos

Magnolia disse...

Zelia acho que fantasia e imaginaçao não te faltam...
Beijinho

Bravo disse...

Zélia
A sua poesia é uma leve e agradável brisa na madrugada dos nossos dias.

Beijos

Fatima disse...

Que talento com as palavras amiga!
Bjs.

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Magnólia querida!
Você me traz luz !
Sua visita e seu comentário me fortalecem: vontade de escrever mais...
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Muito grata, Fatima, pela visita e pelas amáveis palavras... Você é um encanto!
Beijinhos, sendo um de cada lado

Zélia Guardiano disse...

Bravo, meu grande amigo
Recebê-lo é uma alegria indescritível! Suas palavras me dão força para continuar nesta lida...
Beijo, querido

Jorge Pimenta disse...

por momentos penso que há ocasiões em que nem o mais delicado canto parece tocar-nos fundo no coração... a melodia parece gasta, os acordes estafados, a letra vulgar e a voz demasiado rouca. é o julgamento de alguém que, de tanto se ouvir, gravou o pêndulo na estrada como se nada mais houvesse para lá daquela recta interminável.
todavia, e aos ouvidos daqueles que nunca nos escutaram antes, essa mesma melodia desperta da sua letargia, a voz volta a ser cristalina e a letra recarrega a graça das alvoradas. e as manhãs, de galo em galo, despertam com um orvalho diferente, todos os dias...
um beijinho!

Zélia Guardiano disse...

Jorge, querido
Fazes, à guisa de comentário, uma crônica magnífica! Que lindo presente me dás!
Sempre assim, tua visita: um deleite...
Muito grata, meu grande amigo

Insana disse...

Muito bemmm posto.
a madrugada em nossas vidas que podia nunca acabar..

Bjs
Insana

Mai disse...

Poema de belas imagens, Zélia.
Beijos

Rayuela disse...

sigamos
modelando
sigamos
(como el gallo)
can
tan
do
(y que no se transforme en rutina)
para
eso(para cantar*)
alcanza
la
fantasía***

maravilloso,Zélia!
mil besos >*<

Marcantonio disse...

Galo entalhando a madrugada; esculpir a vida com escassa matéria-prima... Maravilhoso! Zélia, tenho tido admiráveis surpresas aqui! Como eu disse: humanismo em estado puro e nobre!

Um grande abraço.

Zélia Guardiano disse...

Isso, mesmo, Insana: madrugada sem fim... Que bom seria!
Muito me alegrei com sua visita e seu comentário!
É uma grande honra tê-la entre os seguidores...
Muito grata!
Grande abraço

Zélia Guardiano disse...

Mai
Três grandes alegrias: sua visita, seu comentário favorável e sua inscrição na lista de seguidores deste espaço.
Sinto-me muito honrada com isso tudo!
Grata!
Um grande abraço

Zélia Guardiano disse...

Rayuela, minha doce amiga
Chegaste como sempre chegas: semeando felicidade!
Vens com os versos mais lindos e adequados para derreter-me o coração...
E vamos alcançar a fantasia!!!
Mil besos, querida!!!

Zélia Guardiano disse...

Marcantonio
Recebê-lo aqui é um enorme prazer!
Ler o seu comentário é grande estímulo! Seu conceito me faz tentar alcançar, sempre, um "muito bem!" Você sabe: a motivação é a mola propulsora para tudo...
Obrigada, meu querido!
Um grande abraço, todo entremeado de admiração

Paulo Jorge Dumaresq disse...

É na madrugada que fantasias e pensamentos afloram com as boas-vindas do galo.
Nisso, você já terá moldado o seu alvissareiro dia com a argila do tempo.
Excelente, Zélia.
Fica aqui registrada minha admiração pela sua poética.
Grande abraço.

Zélia Guardiano disse...

Paulo, meu querido
Você disse bem: na madrugada é que os pensamentos afloram ... Alguns nostálgicos (às vezes até demais...), outros trazendo promessas auspiciosas... Enfim, a madrugada é um tempo muito especial. É quando escrevo os poemas, geralmente.
Obrigada, querido, pela agradabilíssima visita!
Beijo

Ivan Bueno disse...

Zélia,
Antes de mais nada, obrigado pela visita lá no meu Empirismo Vernacular. Volte mais, siga. E que boa descoberta para mim, também.
Sobre o poema: a frase "Esculpo a vida com falta quase absoluta de matéria-prima" é profunda. Eu li solidão, mas no despertar do galo sempre há a esperança do dia, ainda que desesperançados. E alguma fantasia, ah, isso sempre sobra um pouco. Aqui está a amostra.
Seguindo, lendo, recomendando.
Beijo grande.

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Zélia Guardiano disse...

Oh, Ivan, meu querido
Que surpresa boa a sua visita!
Comentário lindo...
Não nos afastemos!
Um grande abraço.

Cida disse...

Você Zélia, além da fantasia, tem a magia da sua varinha de condão, que nos mantém cativos aos seus poemas.

Parabéns amiga, e continue a nos encantar.

Bjssssss

Cid@

Zélia Guardiano disse...

Amiga Cida
Você é muito generosa nos seus comentários e eu lhe sou grata por isso. Está sempre me estimulando , me empurrando para a frente...
Obrigada, querida!
Beijos

olhodopombo disse...

respondi seu comentario la no blogue..
você a cada dia tem mais fãs...
quer dizer que o seu cantar esta similiar ao do galo,,,
não sei de do seu vizinho, ou seria do meu vizinho?

Manifesto Interno disse...

Escassa é a tinta e sobra-lhe talento!
Rica é a sua composição, como num mosaico, onde o canto do galo e o seu interior tão bem trabalhados e se encontram nas curvas desta escrita!
Meu olhar de encanto para vc!

Ester.~

Zélia Guardiano disse...

Oi, Tamar!
Digamos assim: do nosso vizinho...rs...Tenho caprichado no meu canto... Vamos ver...rs...
Vou lá no olho do pombo...
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Ester
Fico mais do que feliz com sua visita e com seu comentário. Sinto-me estimulada, querida.
Muito grata!
Tembém para você, um olhar especial...

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

Assim
Como eu
Que
Sozinha
Moldo os dias
"Esculpo
A vida
Com falta
Quase
Absoluta
De
Matéria-prima"

Zélia querida, vc é genial!

beijos,

mdsol disse...

Excelente! Sou fã. Que mais posso dizer?

:)))

Azlin disse...

fazia tempo que não te visitava...e é sempre uma doce surpresa ler seus poemas cheios de imagens...lindos!
grata pela poesia nosso de cada dia!