Minha lista de blogs

domingo, 20 de maio de 2012

GUERRA


Muita vez
Caio
Num remoinho
Perverso
De versos
Fúteis
Frágeis
Inconsistentes
Baratos
E
Dentro
Desse fosso
Me debato
Em busca
De introito
De ápice
De fecho
Que sejam
Adequados
A poemas
Inacabados

A cada
Ano-luz
Sói acontecer
D'eu encontrar
De imediato
O que procuro
Mas
Via de regra
Permaneço
Por séculos
E séculos
Tateando
No escuro


Ai
Sina deletéria
Daquele
Que entra
Em confronto
Com a poesia
(Porque
Poesia
Antes de ser
Paz na terra
É guerra)

34 comentários:

Joelma B. disse...

...perfeito, Zélia!!

poesia é campo de batalha onde se confrontam o poeta e o tempo.

beijinho carinhoso!

Zélia Guardiano disse...

É, Joelma: estamos sempre no front...rs...
Grata pela visita!
Mil beijos domingueiros, minha querida !

Leonardo B. disse...

[ah,

e quanto compraz ao oficiante da poesia
haver por obrigação, o dever de renascer a cada dia...

e nessa inquietude que só à poeta condiz!]

um imenso abraço, Amiga Zélia

Leonardo B.

manuel marques disse...

Bravo.

Beijo.

Daniela Delias disse...

Sina de poeta...

Que lindo, Zelinha!

Bjo,

:)

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Vida longa, nessa Guerra eterna!

Semana pródiga, em poesia, Zélia...

Um beijo,
da Lúcia

Zélia Guardiano disse...

Isso mesmo, meu querido Leonardo! Verdade absoluta...
Grata pela visita, amigo, grande poeta!
Beijos carinhosos, preenchidos de admiração

Bípede Falante disse...

Poesia é conflito e calmaria.
Beijoss :)

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Manuel! Fico feliz porque você veio... Muito grata! Abraço bem apertado

Zélia Guardiano disse...

Daniela, minha querida... Tomamos gosto pelos versos, num dia qualquer de nossa vida e, depois, como, que fazer para nos desvencilhar? E na verdade, não queremos isso...
Grata, linda, pela visita!
Mil beijos carinhosos...

Zélia Guardiano disse...

Guerra eterna, você disse muito bem, minha querida Lúcia! Guerra árdua e, ainda assim, acabamos por gostar da peleja, não é mesmo?
Fico-lhe muito grata por ter vindo!
Beijos carinhosos, linda amiga...

Ingrid disse...

luta diária que as palavras acalentam..
beijos Zélia e boa semana.

Ives disse...

E encontrastes palavras lindas, e cheias de alento ao coração! abraços

Misturação - Ana Karla disse...

A poesia é a paz até dentro da guerra.
Zélia te desejo uma ótima semana de luz e paz.
Xeros

Toninhobira disse...

Façamos a guerras amiga,atirando palavras recriando versos e rimando amor e dor.Linda criação com poetar impar.Meu carinhoso abraço.

Assis Freitas disse...

guerra e paz: venta o verso da poesia,




abraço

Luis Filipe Gomes disse...

Virtuosismo puro, cadência, ritmo...
Como uma núvem de aguaceiro que valida o Sol dando claro escuro e profundidade à paisagem, refrescando e dando brilho à natureza.

Zélia Guardiano disse...

Verdade, Ingrid! Luta diária, abrandada pelas rimas, pelo ritmo, pela métrica... Beijos, querida, recheados de gratidão pela presença amável!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Ives, meu querido amigo! É sempre alegria imensa ter você aqui! Sempre... Beijos

Zélia Guardiano disse...

Oh, Ana Karla, minha querida... Como é bom receber sua visita, encontrar o registro de sua presença! Grata, linda!
Tenha, você também, uma lindíssima semana! Mil beijos...

Zélia Guardiano disse...

Isso mesmo, Lelena: conflito e calmaria, que vão se mesclando, ora com predominância de um, ora de outro...E assim anave vai...
Obrigada pela presença, amiga!
Beijos carinhosos

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, meu querido Toninhobira, amigo especial, grande poeta!
Sua presença me enriquece sempre! Muito mesmo!
Abraço carinhoso...

Zélia Guardiano disse...

Guerra e Paz, num vai-vem interminável, Assis! Isso mesmo!
Abraço, amigo, grande poeta!!!

Zélia Guardiano disse...

Oh Luis Felipe, meu grande amigo, meu amigo de sempre!
Quão grande é minha satisfação em ter-te aqui! Enorme!!!
Abraço bem apertado, daqui deste lado do mar...

Adriana Aleixo disse...

Como leitora e poetisa posso dizer que essa é a melhor metalinguagem que li na vida.

Voc^brilha sempre. Saudades. Bjo!

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Zelia amiga!

Não dei conta de que já aqui tinhas voltado...

Olhando à forma como compões os teus versos, dá-me vontade de dizer que essa tua suposta dificuldade de com eles lidar é apenas imaginária - mais um acto de humildade próprio de quem tem muito talento.
Parabéns pelo bonito jogo de palavras.

Abraço amigo; bom fim de semana.
Vitor

poetaeusou . . . disse...

*
Zélia,
Profundo, simplesmente,
,
A poesia
é um hiato da guerra,
os poemas, são o
intervalo da paz . . . podre !
,
poéticas conchinhas,
,
*

Silenciosamente ouvindo... disse...

Cá estou de novo para "me alimentar
com um pouco da sua poesia". Vê não
a esqueci, e desejo esteja bem.
Beijinhos
Irene Alves

Carla Diacov disse...

poesia antes de ser guerra num outro quarto é paz na tua pena!


beijo!

Zélia Guardiano disse...

Fico feliz, feliz, com sua avaliação, querida Adriana! Estimula-me! Muito grata1
Abraço, amiga!

Zélia Guardiano disse...

Vitor, meu querido amigo
Só hoje venho aqui; só hoje te respondo... Perdoa-me! Há quinze dias nasceu minha netinha Alice, e o envolvimento foi tão grande que acabei me descuidando...
Grata.muito grata pelo comentário, que me dá entusiasmo para seguir tecendo versos...
Abraço apertado

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Poeta amigo, que sempre me vem, que a despeito do mar que se interpõe entre nós, nunca me abandona, a mim e a meus modestos versos...
Tua presença me é fundamental!
Abraço bem forte, preenchido de amizade

Zélia Guardiano disse...

Grata, Irene, muito grata!
A despeito de ter sido eu, ultimamente tão relapsa,não me abandonas e isto muito me faz agradecida a ti!!!
Questões particulares têm me complicado um pouco o mister de visitar meus amigos que são tantos e tão queridos, mas estou tentando me organizar e corrigir essa falha que tanto me incomoda...
Muito grata, amiga!
Beijos carinhosos da
Zélia

Zélia Guardiano disse...

Oh, Carla, minha linda...
Que bom que tu vieste!
Muito,muito agradecida, minha linda!
Mil beijos