Minha lista de blogs

sexta-feira, 1 de abril de 2011

O retrato de Doris Day


A manhã
Apenas
Se insinua:
Penumbra
Que
Deslumbra

Acena-me
Um dia novo
Similar
Ao anterior:
A noite
É papel
Carbono

Saio:
Vou caminhando

Aberta
A temporada
De caça
[ Alvo?
Algo que
Me enleve
A alma ]

Na esquina
Schinus molle
Jasmim-do-cabo
Acácia
Perfazem
Motivo justo
Para profundo
Deo gratias

Deixando
Sobre
A calçada
Rastro viscoso
Brilhante
Desliza
A lenta lesma
Carregando
Caracol

Caco de vidro
Alizarim
Cintila
Feito rubi
Debaixo
De raios
Do sol

Aqui
Ali
Acolá
Sempre uma
Insignificância
E outra
E outra mais
No rol
Das coisas
Banais
Mas necessárias
Aos meus olhos
Ávidos:
Gato
No telhado
Hera no muro
No alambrado
Pardais

Terreno
Baldio
Barrento:
Joá bravo
Cravo-de-defunto
Arruda
Edelvais
[ Outros exemplos
Da flora
Cujos nomes
Agora
Não sei ]

Ademais
Trazida
No sopro
Do vento
Folha de revista
Antiga
Com retrato
De
Doris Day

Ai
Grandessíssima
Besteira:
Lembrança
Amarelecida
[ Uma tola
Nostalgia ]
Comove-me
Sobremaneira

Vou ficando
Mais sensível
A cada dia
Que passa
[ Não estou
Achando graça ]

Assim
Não aguento mais!
Urgente:
Tragam meus sais...

[ Em tempo:
O nome do filme?
O Homem Que Sabia Demais...]

35 comentários:

Elza Magna disse...

Zélia, querida,
Um olhar atento e sensível sempre descobre folhas inusitadas trazidas pelos ventos do outono. E o dono do olhar, assim, vai ampliando a sua sensibilidade - este espelho no qual nossa imagem nunca envelhece. Como Doris Day no cinema e Dorian Gray no retrato.

Beijos

✿ chica disse...

Que linda tua inspiração ,tão bem trabalhada em cada versoi e palavra! beijos,chica

Jorge Pimenta disse...

zelita querida, como é possível fazer caber toda a essência num só texto? ensina-me por favor...
belo! belo! belo!
beijinho!
p.s. pobre do homem que acha que sabe de mais... :)

Andre Mansim disse...

muito legal o texto, e essa forma de escrever brincando com as palavras é muito legal!

IVANCEZAR disse...

Um trabalho que brinca com as metáforas e que ficou belíssimo - adorei a noite (papel carbono) . Bjs sulinos

Cida disse...

Ai menina, vou te dizer, viu? Você consegue fazer sopa de pedras parecer deliciosa.
Precisa ensinar para a gente como ter esse olhar para a vida...precisa ensinar para a gente como brincar assim com as palavras... precisa...
Ai, que essa lista não ia ter fim!...:)

Parabéns, Zélita, e obrigada por seres quem és.

Beijo imenso

Cid@

Tania regina Contreiras disse...

Zélia, você me lembrou o grande e querido Manoel de Barros, com essas "insignificâncias" tão significativas... Ficando sensível? Ora, ora...você É muito sensível.
Beijos,

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Querida Zélia, conhecer os segredos da poesia e da botânica não é para qualquer um.
É notável sua desenvoltura nas duas áreas.
Sua obra poética exala vida. E aromas de plantas.
"O homem que sabia demais" é um dos grandes momentos da carreira de Doris Day.
Ela está linda no filme.
Abração, amiga.

André disse...

É impressionante essa tua capacidade, minha querida Zélia, de desfiar um poema a partir da descrição de coisas aparentemente banais como um rol de flores e pequenas coisas diante de ti. As imagens se sucedem mas o fio condutor, o "leitmotiv", esse não se perde jamais. E se chama sentimento.

Não sabia que existia edelvais ("edelweiss") aonde tu moras. Estou realmente surpreso pois é uma flor que, pelo que sei, nasce apenas nos lugares mais escarpados dos Alpes. Ler-te é mais que deleite, é aprender também.

O Retrado de Doris Day... o Retrato de Dorian Gray. Sem querer, associei.

Magnífico texto, querida amiga, um abraço bem apertado e um bom fim de semana para ti.

André

Zélia Guardiano disse...

André, querido
E eu fiz associação proposital : estou lendo, pela enésima vez, O Retrato de Dorian Gray e decidi brincar com o título...rs...
Grata, querido, pela visita e pelo gentilíssimo comentário, que me dá um up...
Abraço bem forte!

Fred Caju disse...

Esse tem o selo "Zélia de Qualidade": logo após a leitura, a inevitável releitura!

Multiolhares disse...

actriz que nos fazia ficar colada à TV, divas imortais que as tuas palavras perpetuam
bjs

SAM disse...

Zélia,

Acho você brilhante como poeta. Estilo, estética e conteúdo fazem das suas poesias um encanto. Obrigada.

Carinhoso beijo e lindo fim de semana.

BLOG DO PROFEX disse...

Zélia, fiquei mais boquiaberto que a dóris da ilustração. Que delícia brincar de esconde-esconde com as palavras. Mostrando e escondendo significados...
Adorei. Grande abraço!

CARLA STOPA disse...

Belíssimo...Meu abraço.

Toninhobira disse...

Inspiração detalhada e bela, jogo de palavras na farta exibição de nossa flora.Se o homem sabia demais, aqui a poetisa que sabe um pouco mais na arte de poetar num jogo fabuloso.Meu abraço de parabens por esta divagação que faz poesia.

Cacá - José Cláudio disse...

Zélia, querida, você não tira leite de pedras, tira o melhor néctar. Que lindo! Abraço grande. paz e bem.

taio disse...

interesant

Raíz disse...

ZÉlia querida!

Impressionante sua visão poética sobre tudo que vê e sente. Fiquei encantada com as miragens aqui expostas em forma de poesia, Sua sensibilidade comove qualquer pessoa. A mim, ais ainda.

Beijos

Mirze

Maria disse...

Amiga excelente.
Tenha um lindo domingo e uma boa semana
Beijinhos
Maria

Glorinha L de Lion disse...

Cada dia mais impressionada com tua facilidade pra juntar estórias, tantas, num só poema...Tantos sentimentos unidos com a cola da emoção. Adoro te ler! Beijos,

Rayuela disse...

maravilloso recorrido vegetal e interior! y los recuerdos de los 60 están en todos nosotros..será cuestión de edad...

besos*

Suzana Martins disse...

Na minha sensibilidade diária vou me emocionando com a beleza dos seus poemas!!!

Beijos querida

Eliane Furtado disse...

Eu digo, eu digo que os escritores me inspiram...

Em@ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Em@ disse...

Zélia:
o teu poema tocou-me de+:
"Vou ficando
Mais sensível
A cada dia
Que passa
[ Não estou
Achando graça ]"
tal e qual eu...Se eu já era hipersensível onde irei parar???

beijo, querida.

Regina Rozenbaum disse...

É mestra nessa arte, amada...fico daqui aplaudindo!
Beijuuss n.a.

Rogério Pereira disse...

Vou
descendo
a escada
quase
escarpada
das palavras
sem corrimão
até à parte
dramática
onde
não podendo mais
pede urgente
que tragam os sais
Aí paro
sem chegar ao fim
porque menino
tem coisas assim
de não quer ser homem
que sabe demais...
Volto
mas a subir
pelas palavras
que há pouco
resolvi descer
até chegar
ao topo
à manhã
que apenas
se insinua:
Penumbra
Que
Deslumbra

E aí, sim,
Deslumbrei
Como só eu sei

Eurico disse...

Linda tessitura, com um desfecho surpreendente!
Ficou lindo!

Abraço fra/terno

Andradarte disse...

Sua inspiração não tem fim...???Belo poema para
nos levar às memórias bem presentes..
Abraço

Rodrigo Braga disse...

Um dos grandes poderes da arte é imortalizar algo a partir de um olhar. Lindo e de uma sensibilidade ímpar.

Adoro passar aqui

Sam disse...

Só me resta aplaudi-la, Zélia. Pela criatividade, por cada verso e inverso da palavra que cria
por um universo todo de talento seu.

Meu carinho.

Ana Martins disse...

Zélia,
e o retrato ficou perfeito, gosto da sua poesia, sensibilidade e da forma de escrever.

Beijinho,
Ana Martins

AFRICA EM POESIA disse...

Zélia

Que bom matar saudades lendo-te...



a Crise
Está retratada no meu poema apenas numa vertente a família
Mas há muito mais e todos sabemos.
Eu tenho uma família unida e com valores mas...
para onde caminhamos???

É muito preocupante esta sociedade
que nos cerca..

Como to estou verse-escuro...
Crise
O mundo caminha
Por ondas e ciclos...
O mundo caminha
Para a queda...

Porque a família
Não está...
Porque a família
Perde a força...

E a sociedade humana
Por diversos factores
Tem muita gente imatura...

Sem união familiar...
Sem amor...
Sem gosto pela vida...

A crise rapidamente...
Fica instalada!...

LILI LARANJO

Katia Cristina disse...

Seus poemas sempre me encantam!!
Boa noite, querida!