Minha lista de blogs

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Dicionário de Psicologia


Ando tão
Estressada
[Nem
Freud
Explicaria]

Ai
Que briguei
Com o lápis
Com a borracha
E com o papel
[Joguei fora
O anel
Que a eles
Me unia]

Agora
Só leitura
Interessa
Mormente
Psicologia
Até
Comprei
Dicionário
Destarte
Mergulho
Em pesquisa:

Agrafia
Bloqueio
Fadiga
Maiêutica
Esforço
Mania

Preconceito
Tensão
Tentativa
Palavra
Paixão
Sincronia

Tolerância
Tabu
Paradigma
Ternura
Vivência
Utopia

Falso-self
Fantasma
Vigília
Julgamento
Sanção
Primazia

Delito
Delírio
Fobia
Brilhança
Cadência
Magia...

Mas
Todo
Verbete
É invasivo
Perturba
Minha
Psique
De sorte
Que volto
Atrás:
Quem sabe
É melhor
Escrever...

54 comentários:

Osvaldo disse...

Zélia;
Escrever é sempre bom, por isso continua a fazê-lo para alegria de todos os que sentem prazer em ler o que de belo tu nos ofereces que é a tua escritura.
bjs.
Osvaldo

Úrsula Avner disse...

Oi Zélia, gosto do seu lado lúdico na escrita poética. Achei o poema interessante e criativo e gostei mais ainda por ser psicóloga... rs rs rs. Quantas outras palavras ou verbetes não poderíamos incluir não é ? Muito bom ! Bj.

Vitor Chuva disse...

Olá zélia!
Olhe, eu no seu lugar teria escolhido algo mais "levezinho" para fazer guerra ao stress enquanto espera que lhe volte a vontade de pegar no lápis e borracha. Dicionário é coisa pesada;às vezes entusiasma tanto como ler a lista telefónica ...
Mas, se calhar é terá escolhido bem; mais depressa vai ficar com vontade de retornar aos seus bonitos poemas, e todos iremos ficar a ganhar!

Um abraço, bom fim de semana!
Vitor

Lara Amaral disse...

Para explicar a alma de poeta: tudo isso e mais um pouco, todos os poemas escritos e todos que ainda virão.

Beijo, querida!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Osvaldo!
Promesteste e vieste...
Que bom!
Sempre fico felicíssima com tua visita.
Grata pelo comentário tão agradável!
Imenso abraço

Zélia Guardiano disse...

Úrsula
É sempre uma delícia recebê-la aqui.
Então, amiga, vez por outra gosto de brincar um pouco com as palavras... Fazer versos pode ser mais ou menos divertido, não?
Grata, querida.
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Vitor, meu bom amigo
que bom que estás aqui...
Tens razão: dicionário e lista telefônica andam de mãos dadas...rs...Af! Mas dá para fazer uma brincadeira...
Um enorme abraço!

Zélia Guardiano disse...

Lara, grande amiga e poeta...
Isso mesmo: o que já foi escrito e o que ainda será... Sempre será!
Grata pela visita!
Grande abraço!!!

Michele P. disse...

ZÉLIA

Luta vã esta que travastes. É inútil lutar contra as palavras, elas são mais fortes do que nós.
Parabéns pelos escritos, tens uma sensibilidade sem tamanho.
PS: Fico honrada por recebê-la em meu espaço. Obrigada pela visita.
Abraço, Michele

Ester disse...

Oi amiga, vc tem palavras afiadas mesmo estressada,
continue a escrever lindamente como é o seu costume, que o cansaço passa,

Beijinhos,

Sylvia Araujo disse...

Teu texto é só teu. De uma originalidade e integridade absolutas!
Excelente esse!

Beijoca, Zélia

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Ah, Zélia, que poema supimpa.
Você é íntima das palavras e, por isso, brinca de esconde-esconde com elas.
Intimidade assim com o vernáculo portuga é para raros.
Parabéns!
Forte abraço, amiga.

Zélia Guardiano disse...

Bem-vinda, Michele!
Também sua visita muito me alegra. Muito!
Grata pelas palavras tão amáveis!
Vem sempre, querida...
A casa é sua!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Ester querida!
suas palavras são amigas... Estimulam... Impulsionam...
Grata, querida!
Imenso abraço

Zélia Guardiano disse...

Sylvia!!!
Que bom tê-la aqui!
Que bom que gostaste de mais esses versinhos...
obrigada, querida!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Oh, meu querido Paulo Jorge
Nem imagina quão feliz fico com sua visita e com seu comentário: sou criança que recebeu um delicioso doce...
Abraço, meu amigo, preenchido de gratidão...

Fouad Talal disse...

O que a psicologia fala sobre os dicionários de psicologia que definem a psicologia? rs

Maravilha Zélia!
Beijos!

Cida disse...

Ai Zélia... Só você mesmo!...:)

Hoje o nosso Brasil não deu show, mas em compensação você por aqui deu um verdadeiro show de bola!

Obrigada pela visita. Sua presença por lá sempre ilumina o meu cantinho.

Um grande abraço, e tenha um final de semana luminoso ( e sem stress...rs )

Da amiga que te quer bem

Cid@

iracema forte caingang disse...

Caralho! Catzo! Pôrra. Não tenho como me expressar melhor!!!!! Texto irremovível.
Mil beijos.

Assis Freitas disse...

dicionário mínimo de subversões, assim é a poesia,

abraço

contagotas disse...

Admiro, permanentemente, a facilidade com que expõe suas ideias em forma de poema.
Bonito seu registo, adoro ler o que escreve, é melhor continuar.

Bjos

Rayuela disse...

querida Zélia! ésto es jugar con las palabras!
escribamos,escribamos!jueguemos,querida!

mil besos*
(y me voy a dormir sonriendo)

Roberto Costa Carvalho disse...

Fico a pensar em minhas bobagens com meus botões:

Psicologia e poesia, como conciliá-las? Que encrenca respeitável! Ao revelar-se, a primeira define, classifica, rotula, cataloga, explica etc.:é Ciência, é disciplina do conhecimento. Já a segunda nada define, classifica, rotula, catalóga ou explica: é amplitute e transcendência que olha o mundo acontecer por ele mesmo e acontece com ele: não é disciplina e, nem mesmo, conhecimento. Mais próxima da loucura, é expressão de sensibilidade, por maior que seja sua logicidade.
Espero que a poetisa muito me perdoe o fato de ter colocado um pouco de minha cabeça fora de minha gruta, onde deveria ter ficado. Prometo-lhe não fazê-lo de novo.

Zélia Guardiano disse...

Fouad
Você aqui é dez!!!
Ai, essa tal de psicologia, não ?... Af!!!
Grata, querido!
Abração

Zélia Guardiano disse...

Cida querida
Que bom tê-la aqui!
Tento meus chutes a gol, muito embora a bola teime, na maioria da vezes, a sair pela linha de fundo... Mas eu chuto!!! rsrs...
Enorme abraço, amiga!

Zélia Guardiano disse...

Bem-vinda, Iracema!
Uma honra enorme tê-la aqui!
Se você gostou dos versos, então, honra redobrada...
Obrigada.
Imenso abraço!

Zélia Guardiano disse...

Concordo contigo, amigo Assis! Sempre!!!
Abração, meu grande poeta!

Zélia Guardiano disse...

Maria ivone
Que bom que vens, e que gostas dos meus versinhos...Afinal, é triste pensar neles como coisas inúteis...
Obrigada, querida!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Rayuela
Se estou "assim, meio down"(Kleiton e Kledir), chega você e tudo se ergue: o ânimo, a vontade de escrever, a alegria!
Bem-vinda sempre, sempre, sempre...
Você faz diferença aqui!
Mil besos, amiga muito querida!!!
:)))

Zélia Guardiano disse...

Roberto amigo
Tens aqui uma extensão da sua gruta! Estás em casa! Tens cadeira cativa! Seu ingrasso é sempre cortesia!
Adorei a reflexão, muito , mas muito pertinente!
Muito grata.
Vem sempre...
Enorme abraço

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

"Todo
Verbete
É invasivo"

Sem dúvida Zélia amiga!
Só tu pra descrevê-lo com tanta sutileza...

beijos e girassóis...

Batom e poesias disse...

Poetas são mesmo assim
Quando pensam-se vazios de poesia
Surpreendentemente
arrancam versos do inesperado.

Definitivamente, o lápis, a borracha e o papel não brigaram com você.
Escreva sempre, poeta.

bjs
Rossana

dade amorim disse...

Uma delícia, Zélia :D

Beijo.

Zélia Guardiano disse...

Marcia Cristina...
Tudo é invasivo na vida de quem gosta de martelar versos, não?
Grata, querida, pela presença e pelas palavras amigas!
Grande beijo

Jorge Pimenta disse...

seguramente que sim, querida zélia. escrever é melhor que qualquer poção mágica ou mezinha virtuosa, pois é na tinta que escorre do coração que nos renovamos a cada instante. ambos o sabemos, verdade?
um beijo grande!

Zélia Guardiano disse...

Rossana querida
Você diz a verdade: arrancamos poesia de tudo...Vivemos em permanente escavação...rs...
Grata, querida!
Imenso abraço

Zélia Guardiano disse...

Oh, Dade...
Sua presença não é só uma presença: é um presente de valor incalculável!
Grata, amiga!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Jorge amigo
Ambos o sabemos! Você tem razão.
Escrever é atividade vital...
Como viver sem os versos?
Grata, querida!
Abraço enorme!!!

Livinha disse...

Zélia amiga minha
de tudo o que te burila,
nas falas da psicologia,
de fato Freud nem tudo explica
na razão dos íntimos que nem ao todo
ele se filia.
Te apresento doravante o "insigth"
que nada mais pede que seja assim a
manifestação do discernimento sobre a natureza íntima de cada coisa, para que possamos modelar o íntimo de nós mesmos.

Adoro teus prontos poderes poéticos
tão exatos e precisos, levando a quem
te ler o pensar.
Mergulho fundo na alma, na busca dos tesouros
profundos que se encontram por lá.

Linda Noite pra ti
na clareza da lua que tão bela
exibe dela encantos e formosuras...

Bjs

Livinha

Gerana Damulakis disse...

Esta é uma briga dentro dos escritores: escrever, não escrever. Aqui vc coloca de uma forma original e, ao fim e ao cabo, deliciosa.

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, obrigada, obrigada, querida Livinha!
Mil vezes obrigada!
Suas palavras são de uma energia positiva indescritível! São verdadeiro combustível, necessário para mover meu espírito, rumo à criação poética...
Receba um enorme abraço!

Zélia Guardiano disse...

Gerana...
Gosto muito de receber sua visita, bem como de ler seu comentário, que traz sempre uma boa orientação.
Muito grata!
Grande abraço

Kimbanda disse...

Adorei, e achei divertido e repleto de energia.
Um ensaio que de simples nada tem, mas que nos soa como tal e suavemente vai tomando contornos
que têm musicalidade. Um excelente exercício com que fomos presenteados.
Por mim grato por este momento, deixo para si o meu kandando e lhe desejo um óptimo domingo.

mdsol disse...

Já me faltam palavras para elogiar as suas.

Gosto muito do que escreve, minha querida

:)))

Juan Moravagine Carneiro disse...

é sempre um prazer lhe receber no Rembrandt

E a cada dia que passa seus versos mais encantadores...
beijos

Dilmar Gomes disse...

Amiga, a sua poesia continua excelente. Eu já lhe falei que destaco na sua escrita, a sonoridade que faz bem ao ouvido do leitor. Admiro o cuidado e a delicad eza com que vc maneja a palavra.

Zélia Guardiano disse...

Grata, Juan, meu amigo! Pela visita e pelo agradável comentário...
Grande abraço

Zélia Guardiano disse...

Amigo Dilmar
Sua visita é um deleite para mim.
Seu comentário, muito importante!
Grata!
Grande abraço

Rui da Bica disse...

Olá Zélia.
Passei só por curiosidade e fiquei por largo tempo apreciando o teu interessantíssimo jogo de palavras que é a sua poesia.
Já coloquei o Rui da Bica a seguir este blog.
Um bom domingo.
.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Rui da Bica!
Que alegria me dás, com a visita, com o comentário e com a inscrição como seguidor...
Enfeitaste meu domingo!
Muito, muito grata, amigo

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do blog seara de versos. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Zenaide disse...

Muito bom!!!!!!!!!!!!!
Um abraço Zélia

Ribeiro Pedreira disse...

escrever é fazer as pazes consigo. e tudo em volta tornará a fluir harmonicamente.
Bjos!!!

Denise disse...

Vc suaviza muito a vida, Zélia. Gosto da sensatez que te desvia um pouquinho e leva pro lúdico caminho que percorre as margens contentoras da vida. É uma delícia te ler.

Bjos