Minha lista de blogs

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Roda de capoeira


Os dois
Já se benzeram
Ao pé
Do berimbau
Vai começar
O jogo
Leve
Como balé

Muita
Malícia
Mandinga
Faz que vai
Não vai
E volta
Com ginga
De corpo
Que engana
Uma herança
De Angola

Negaça
Rabo-de-arraia
Golpe
Guarda
Picardia
Confirmam
Aquilo
Que diz
(Conforme
Seu ideário)
O sábio
Mestre Pastinha:
Capoeira
Tem seu
Dicionário

Ai
Que bonito
O batuque:
Palmas
Tambor
Atabaque
Reco-reco
Pandeiro
Agogô

Pra desgosto
Do feitor
Começou
A cantoria!

50 comentários:

Lara Amaral disse...

A cena passou como num filme em minha mente, tão bem descrita ela foi.

Uma aventura te ler, te sentir, poetisa.

Beijo.

Zélia Guardiano disse...

Querida Lara
Postei esse poema "sob encomenda"(rs..)para minha amiga Jéssica, que quer trabalhá-lo na escola, com seus alunos. Foge um pouco dos meus temas: é mais didático...
Adorei a visita!
Beijos,minha amiga!

Assis Freitas disse...

capoeira é minha praia, seja angola ou regional, eh camará,

abraço

IVANCEZAR disse...

Tudo o que exalta uma cultura, é a própria cultura - reafirmada , confirmada - aclamada !
Belo trabalho !

Zélia Guardiano disse...

Ah, Assis
Quisera eu poder dizer o que dizes... Que maravilha!
Grande abraço!

Zélia Guardiano disse...

Ivancezar
Também penso assim. É cultura, vale a pena...
Obrigada, querido, pela visita!
Enorme abraço para você!

Fatima disse...

Amo capoeira!
Jogava ha um tempo atrás.
Bjs querida.

Zélia Guardiano disse...

Fatima querida
Fico muito feliz com sua visita!
Que bom que encontrou aqui, um tema que aprecia...
Beijos

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

poema para uma valsa em dias de chuva

Rayuela disse...

estallido de cultura es tu poema!
y creo que debo saludar diciendo: eh,camará! (si me equivoco, corregime por favor)

mil besos*

Zélia Guardiano disse...

Oh, Ediney
Sempre me associas à valsa, e fico feliz por isso... E mais feliz, com sua presença!
Grata, meu querido!!!

Insana disse...

Sou meio preguiçosa para esporte, mais capoeira é uma arte que gosto de apreciar.

Bjs
Insana

Zélia Guardiano disse...

Insana
Também acho interessante. Gosto da leveza dos movimentos, que tão bem sabem disfarçar...
Grata, querida, pela presença!
Grande beijo

Rodrigo Braga disse...

Didático e cheio de ginga. Lembra o grande Mestre Pastinha ainda. O cuidado na disposição dos versos e palavras trazendo o "finge que vai não vai" da capoeira.

Belo.

Zélia Guardiano disse...

Certíssimo, Rayuela! Certíssimo!
Sua presença aqui, é luz! Tira este espaço da penumbra...
Mil besos, querida!*

Zélia Guardiano disse...

Rodrigo
Que agradável surpresa a sua presença!
Que comentário estimulante me ofereces!
Estou muito feliz e grata, querido...
Vem sempre...
Grande abraço!

Lunna Guedes disse...

E eu acompanhei a dança daqui. O ritmo foi se desenhando e a evolução foi até o silêncio voltar. E não é que voltou mesmo. rs
Bacio

Ribeiro Pedreira disse...

solta o jogo, jogo preso, sobe e desce o jogo. fecha a roda e abre que agora é samba. África-Brasil.
Delicioso poema, Zélia.
Bjs

Zélia Guardiano disse...

Lunna
Sua presença aqui é sempre alegria renovada!
Que bom!
Grata, querida.
Grande beijo

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Ribeiro querido!
Obrigada!
Sempre que você vem, me alegro...
Grande abraço

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

Zélia querida, cada vez que vejo-a no Poetar suspiro, porque tuas palavras são sóis!

Quanto aos teus poemas,ginga pura!

Fraterno abraço!

dade amorim disse...

A capoeira em corpo, alma e cena viva - muito bom, Zélia.

Um beijo pra você.

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Marcia Cristina, pela visita e pelas palavras tão doces!
Grande beijo!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Dade, minha querida
Agradeço-lhe pela presença e pelas palavras de estímulo!
Beijo grande!

jessicacam disse...

"Gosto da leveza dos movimentos, que tão bem sabem disfarçar..." adorei isso, espetacular. Expressa a grande malícia da Capoeira... a de ludibriar. Lindo...
Depois darei o feedback dos meus alunos a você. Beijão e agradecida sempre, Jezz

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Zélia
Obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário. Quando puder volte, vou gostar muito. Gostei do que vi por aqui. Vou voltar.
Um abraço

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Wanderley, pela visita e pelo comentário.
Também gostei muito!
Espero-o sempre...
Abraço

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Zéliamiga

A culpada de eu estar aqui é a Gracinha setôra. Foi através do Teatrices que te descobri. E em boa hora, pois vim encontrar um blogue são, inteligente e bonito. E visitado, o que é muito significativo da qualidade dele

Por exemplo: este poema Roda de capoeira. Um mimo. Estive por diversas vezes no Brasil e por isso posso dizê-lou sou mais prosa, mas também gosto muito de BOA Poesia. Obrigado.

Espero por ti na minha Travessa. Com cumentários, com o e etc.

Qjs = queijinhos = beijinhos

Zélia Guardiano disse...

Amigo Henrique
Simplesmente encantadora a sua presença aqui.
Seu comentário tão simpático e estimulante deixou-me cheia de vontade de escrever mais e mais...
Encontrá-lo no rol de seguidores é honra muito grande!
Estarei sempre na sua Travessa, pode ter certeza! Quem não gostaria de receber este convite?
Muito grata!
Grande abraço...

Zélia Guardiano disse...

Jéssica, minna querida
Foi um prazer enorme compor este texto para você. Fiquei feliz porque você gostou e espero que o mesmo aconteça com relação a seus alunos.
Obrigada pela oportunidade que me deu de desenvolver um tema mais ou menos diverso dos meus usuais...
Grande abraço, amiga!

AFRICA EM POESIA disse...

Zélia
Venho para a festa...

..............

Eu detesto Vuvuzelas
mas...adoro golos.

Porque a bola é redonda
porque eu adoro futebol.

...............

BOLA REDONDA



Bola...
Que é apenas...
O delírio...
Da pequenada...
E também dos adultos...

Uma bola...
Uma simples bola...
Transforma...
Os homens...
Movimenta...
O mundo...

Pobres...
E ricos...
Sentem...
Que bola...
É alegria...
E divertimento...

E a bola...
Que joga...
Que rola...
Que faz rir...
E faz chorar...

Consegue...
Esquecer...
Horas más...
E fazer...
A união...
De um Povo!...

LILI LARANJO

Cida disse...

Muito lindo Zélia!

Jogar capoeira, realmente, não é prá qualquer um!
O que me deixa boba, é que aqui em BH, existem uns meninos de rua, que a jogam com uma agilidade e destreza, que deixa a gente de olhos arregalados e queixo caído!...:)

Quanto ao berimbau, meu marido trouxe 2, de uma viagem, para os nossos filhos, quando eles eram pequenos. Foi até bom me lembrar, pois quando a neta estiver aqui, vou mostrar para ela...rs

Um beijo grande no seu coração, cara amiga, e obrigada por todo o carinho que você sempre deixa lá no meu mosaicos.

Cid@

Ester disse...

Oi Zélia!

O poema pode ser didático,
mas é entremeado de emoção,
vai no rítmo da capoeira,
enchendo o coração!


Depois passa lá.. vc ficou
bem na foto!

Bjs!

Pâmela Grassi disse...

Zélia,

sou estudante de história e deslizando sobre teus versos, não há como não se apaixonar pela a riqueza cultural que o Brasil oferece! E não há como remeter a música Berimbau, de Baden Powell e Vinícius de Moraes:

"Capoeira me mandou dizer que já chegou, chegou para lutar. Berimbau me confirmou vai ter briga de amor, tristeza, camará."

um beijo, zélia
é contínua a surpresa nas tuas palavras

[ rod ] ® disse...

Lembra-me Baden Powell e suas músicas com o Vinícius... um bj moça!

Zélia Guardiano disse...

Poema lindo, Lili!
O que você consegue fazer com uma bola...Muito mais do que os comandados de Dunga!
Grata pela visita, minha querida!
Vem sempre...
Beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Amiga Cida
Passear pelo seu Mosaicos é um deleite! É espaço pra gente ir e ficar...

Também trouxe um berimbau da Bahia, uma vez. Lembro-me que nessa viagem fui ver Mestre Pastinha jogar. Lembro até o endereço: Pelourinho, 19.

Grata, querida , pela visita tão amável!
Grande beijo

Zélia Guardiano disse...

Pâmela querida
Adoro Baden Powell!
Adoro Vinicius!
(E quem não?)
Lindíssima música...
Grata, pela visita e pelas palavra amigas.
Grande abraço

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Rod querido!
Sua comparação enche-me de responsabilidade e de vontade de caprichar mais e mais...
Grande abraço!

Zélia Guardiano disse...

Amiga Ester
Sua visita é bênção!
Grata, querida!
Beijo enorme!
PS- Já fui lá e voltei encantada!
Você é realmente especial...

Mírian Mondon disse...

Digo o mesmo a voce Zelia, vale a pena vir aqui para conferir a leveza com que voce vê a vida!

obrigada pelo lindo comentário no meu poema, justo eu que não sou poeta =)

Só agora vi seu comentário no post do Mia Couto, mas felizmente vi porque ele vale a pena!
Voce tem razão, mil alunos alfabetizados deviamos comemorar!

beijos

Paulo Jorge Dumaresq disse...

"Zum-zum-zum... zum-zum-zum... Capoeira mata um"
Bacana te ler em outro tema, Zélia.
Parece que você é praticante da capoeira, tão bem descreveu a luta.
Por esse e outros que te admiro.
Forte abraço, amiga querida.

mdsol disse...

Enquanto lia
Vi-os jogando
Enquanto lia pensei:
Pôxa, como têm movimento, estas palavras!

:))))

Zélia Guardiano disse...

Mírian querida

Você é poeta sim, e não tente me desmentir...rs...
Lindos, os seus versos!

Mia Couto é bênção em forma de poeta! Demais!

Fico feliz quando concorda comigo na questão da necessidade de se valorizar outras categorias profissionais...

Grata pela visita, querida!
Enorme abraço...

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, meu querido Paulo Jorge!
Quando Jéssica me pediu uma poesia sobre esse tema, lembrei-me de uma vez, há muitos anos, que estive na Bahia e fui ver Mestre Pastinha jogar. Foi muito emoconante, pois eu estava com a "cabeça feita" por Jorge Amado...A obra completa do autor estava fresquinha na minha lembrança...
Fico contente porque gostou do texto. Quando vecê gosta, eu também gosto!
Grande abraço, bom amigo!

Zélia Guardiano disse...

Ah, mdsol... Que bom que veio...
Enquanto você não chega, fica um vazio ruim...
Fico muito contente porque a poesia é de seu agrado.
Obrigada, querida.
Enorme abraço!

Ivan Bueno disse...

Zélia,
Belo jogo, visual e sonoro.
Pés no ar, mãos no chão,
assim poemas se vão.
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Jorge Pimenta disse...

zélia, não consegui ver os capoeiristas em acção, mas... a minha cadeira tremeu... o tronco agitou-se... os braços descontrolaram-se num vai-vem marítimo... e as pernas desataram a saltar sem direcção definida. obrigado por este momento! (ainda procuro domar os músculos desbragados).
um beijinho!

Zélia Guardiano disse...

Grata, Ivan, pela visita e pelas palavras!
Você, sempre amável!
Grande abraço, amigo!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Jorge, meu querido
Você me fortalece, com seu comentário, para seguir neste mister de martelar versinhos...
Sou-lhe muito grata por isso.
Grande abraço, amigo !