Minha lista de blogs

terça-feira, 14 de junho de 2011

Idiossincrasia


Dia sim
Dia não
Eu choro
Por
Quinquilharias
Emocionais:
Uma foto antiga
Uma carta aflita

No cair da tarde
Tritri de pardais

Por bagatelas
Locais:
Mussaenda
Murcha
Flor de bucha
Abrindo
Abelha
Zumbindo
Ao redor
( Tantos
Os motivos
Que nem sei
De cor )

Diferentemente
De quando
O fato
É grande
É amplo
Demais:

Os meus olhos
Secam
Desertam

27 comentários:

✿ chica disse...

Chorar por pequenas coisas , lágrimas de emoção e alegria é legal.Mas os demais, sufocam e secam até as lágrimas...beijos,lindo dia!

Tania regina Contreiras disse...

O extraordinário está nas pequenas coisas, amiga Zélia...e eu a entendo profundamente, porque conheço melhor as lágrimas que brotam das partículas e o deserto, a aridez das grandes tragédias. Poemaço!
Beijos,

Andre Mansim disse...

As pequenas coisas as vezes emocionam mais porque são mais íntimas da gente!

Dilmar Gomes disse...

Oi minha Zélia, todas as pessoas sensíveis tem seus momentos de encantamento, momentos de emoção diante de coisas que passam despercebidas para a maioria. São esses pequenos detalhes que diferenciam os poetas.
Um grande abraço.

Regina Rozenbaum disse...

"Aí os meus olhos desertam"...Nossa Zélia,espero que os meus nunquinha se tornem um Saara. Prefiro chorar como tu, por quinquilharias...
Beijuuss, amada, n.a.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Zélia, amiga!

Como diz o ditado, "cada um é como cada qual", e quem por natureza é mais sensível sente e vive mais, o lado bom e o mau...
Chora-se pelas pequenas coisas, talvez porque sejam novidade do dia-a-dia. Pelas grandes seca-se o pranto; não choramos por fora, o choro fica lá dentro.

Está lindamente dito, como sempre.

Um abraço amigo.
Vitor

Cacá - José Cláudio disse...

Para as grande coisas há as emoções de catarse coletiva. As pequenas, as que nos tocam fundo, nos deixam à flor da pele. Que lindo, Zélia! Abração, paz e bem.

CARLA STOPA disse...

Minha miopia me faz vidente das pequenas coisas...

Fatima disse...

Chego aqui leio e releio e acho que qualquer coisa que eu escrever é pouco perto da sua sensibilidade e talento.
Já te falei que gosto muito de vc?
Já?
Então, falei de novo!
Bjs.

Andradarte disse...

Memorias....medos...,
coisas menores.... que
não merecem magoas....
Beijos

Beth/Lilás disse...

Pois até quando falas destas idiossincrasias da vida, destas tristezas e teus olhos molhados, até mesmo assim, tua poesia é linda, lírica, emocionante.
bjs cariocas

R. R. Barcellos disse...

- Não choro pelos que foram,
- Choro pelos que aqui estão;
- Os mortos hoje são grandes,
- Os vivos, pequenos são...

- Abraços.

Lídia Borges disse...

Um belo poema. Muito musical...
As lágrimas secam, pois então!...

Um beijo

Domingos Barroso disse...

são os pequenos cílios trêmulos
que trazem as maiores ondas
de lágrimas
...



Abraço carinhoso,
elevada poetisa
e amiga.

despertaemmim disse...

Oi! :)
Estava passando por aqui e vi seu nome e me surgiu uma dúvida: por acaso você deu aula pra 4ª série no objetivo em Ourinhos em 2001? Se sim você deu aula pra mim! :D Se não, perdoe o engano xD

Um beijo!

A. Reiffer disse...

Deliciosamente sintético e musical. Abraços!

Assis Freitas disse...

"temperamento peculiar", assim se define Idiossincrasia - fizeste a escolha perfeita,


abraço

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Olá Zélia
Bem assim! Quem de nós não tem desses dias durante a vida.
Belo poetizar. Amei.
Beijos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

não gosto qdo sinto que as lágrimas me faltam... de tanto que as despejo nos momentos muito tristes. e gosto delas qdo despejo algumas nos momentos felizes. ah, como são boas estas lágrimas boas...

seus poemas são sempre especiais, encantadores.
bom dia

MIRZE disse...

De uma beleza poética ímpar!

Parabéns, amiga poetisa. Chorar por quinquilharias é sempre melhor.

Beijos

Mirze

Graça Pereira disse...

A Poesia das pequenas coisas em poema Grande!
Mil beijos.
Graça

Primeira Pessoa disse...

o que seria de nós, se não fossem as nossas idiossincrasias?

ó, sampleei tres frases de seu comentario em meu post e incorporei, sem a menor vergonha, à minha crônica. ah, sim, nao me processe, pelamor de Deus. ando mais duro que canela de pirata.

repostarei amanhã, na tertulia do pão de queijo, já com sua "colaboração"...rs.
admito: sua emenda ficou bem melhor que o meu soneto.

beijo meu.

roberto.

tecas disse...

Dia sim , dia não,para variar:)
Belíssimo poema, simples de beleza impar.
É das coisas simples que se faz a felicidade e belos poemas.
Parabéns querida, Zélia.
Desculpe a minha ausência. O que interessa é que voltei.
Bjito amigo e uma flor.

Cida disse...

Sabe que eu também sou assim, amiga?

Já houve episódios na minha vida, em que eu só consegui chorar de verdade uma semana depois...

Mas você, como sempre, show de bola!
Amo ler os seus poemas! :)

Fique bem, querida Zélia.

Luz e Paz!

Beijoooooo

Cid@

Toninhobira disse...

A sensibilidade é coisa mesmo fantastica Zelia. Que beleza de criação para estas coisas que nos afligem e sacodem o coração. Voce é brilhante nesta arte bela.
Meu terno abraço de admiração sempre.

Evanir disse...

Você é um dos anjos amigos que enchem de bençãos meus Dias.
Meus anjos virtual que me ensinam a voar
e mostram onde vou pousar na minha realidade.
Com essa força que recebo tenho certeza
Em breve só terei benção para contar
com o carinho estimulo e aconchego
que recebo.
Por isso eu agradeço essa amizade
que faze
meus dias serem melhores e mais bonito.
beijos no coração,,Evanir.

Lara Amaral disse...

Sinto da mesma forma!

Um poema doce assim, por exemplo, enche meus olhos!

Beijo, amada!