Minha lista de blogs

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Luzes de navegação


Dentro
De mim
Tudo obscuro
E
Nenhuma luz
Acesa
No navio
( Carregado
De tristeza )
Que trafega:
Nem o farol
Verde
A boroeste
Nem o vermelho
A bombordo

Nem os lumes
Brancos:
Nenhum
No mastro
De vante
Nenhum
No mastro
De ré

A embarcação
Navega
Às cegas
Neste mar
Amargo
Feito chá
De losna

Viagem de risco
Dramática
Perigosa

30 comentários:

✿ chica disse...

Viagem perigosa, mas aqui linda!beijos,tudo de bim,chica

Andre Mansim disse...

nóssa que viagem triste... Vamos acender os faróis e luses desse naviu!!!!!!

manuel marques disse...

É urgente um farol neste mar turbulento !!!

Beijo meu e bom fim de semana.

Suzana Martins disse...

Em mim lágrimas e alguns barcos navegando em meus olhos.....

Dilmar Gomes disse...

Querida amiga Zélia, o navio da esperança se aproxima no horizonte e com ele vem a luz de um dia ensolarado. Tudo é cíclico nesta vida, onde a alegria e a tristeza se revezam.
Um grande abraço e um bom fim de semana.

Leonardo B. disse...

[Sem risco para quem tem por bússola maior, o instrumento de precisão da vida no lado esquerdo do peito, batendo nos sete ventos por marés dos sete mares do mundo]

um imenso abraço, Amiga Zélia

Leonardo B.

R. R. Barcellos disse...

- E quantas vezes na vida
- Apagamos os faróis,
- Deixando a alma perdida
- Naufragar entre os atóis...

- Abraços, Zélia.

Rayuela disse...

vivir es
un viaje
peligroso
(apasionante)

y me alegro mucho por tu libro!

besos, Zélia*

André Bessa disse...

Querida amiga Zélia,

aqui nos deste, com este belo poema, também uma aula de navegação marítima. Realmente, navegar às cegas é sempre perigoso, amiga, necessário se faz a cabotagem, mas.... de olho nos escolhos!

Todavia não esqueça, Zélia, que existe um radar em cada poeta, e que os faz verem no escuro.

Belo texto, amiga, um grande abraço com saudades e carinho.

André

Cida disse...

Ai menina, quantas vezes na vida já estive a navegar por esse mar...nem te digo!

O bom, é que nessa vida nada é para sempre.

Depois da escuridão, sempre vem a luz! :)

Paz e Luz pra você!

Muitos beijos e carinho daquela que "te gosta" muito,

Cid@

Ingrid disse...

e a viajar às cegas seguimos..
buscando luz!
beijos querida Zélia..

dade amorim disse...

A vida às vezes é mesmo uma viagem às escuras, e o poema segue a vida como um contorno, um quadro, uma meditação cheia de beleza.

Beijo, querida.

MIRZE disse...

Que beleza de poema, Zélia!

A escuridão embora seja lição de vida, mão no mar, não numa poetisa que por si já ilumina o mundo!

Beijos

Mirze

CARLA STOPA disse...

AAAAh os riscos...

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Torço para que "os faróis da costeira lancem sinais" e esse navio obscuro em que navegas possa ser iluminado o mais urgente possível.
Grande abraço, querida amiga.

Raquel Amarante disse...

Excelente poesia marítma!
Velejando...

Cris de Souza disse...

" perde-se também é caminho "

beijo, zélia!

(amada, recebestes meu e-mail? aguardando teu retorno)

Toninhobira disse...

Assim quando mar se revolta e todos os caminhos levam ao perigo com o balançar forte e desordenado.Viver é bem proximo desta viagem.
Um abração Zelia,sentindo sua falta.
Desejo que esteja na paz e com saude.
Sempre uma bela e impar construção.

Fatima disse...

Amiga,
vc é muito especial pra mim!
Bjs.

Misturação - Ana Karla disse...

Desafios do perigo.
Passando pra matar as saudades.
Vou ver mais...
Xeros

Fred Caju disse...

Navegar é preciso. Sempre é bom lembrar.

Assis Freitas disse...

ainda não tinha provado esse gosto de mar, amargo feito chá de losna, demais

abraço

Kimbanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kimbanda disse...

Querida amiga e estimada Zélia.

Confio plenamente na tua intuição para esse navegar às cegas.
Tens agulha de marear e aportarás em águas tranquilas, assim espero e desejo.

Com muito carinho, deixo meu kandando sincero.
Inté amiga.

mdsol disse...

Um beijinho com a bonança à vista, querida Zélia

:)))

Adriana Karnal disse...

ah, que imagem linda refletida no chá de losna....:) adorei mesmo o poema,Zélia!

Sonhadora disse...

Minha querida

E como essas viagens são solitárias...e como é bom viajar nos teus poemas, adorei como sempre e deixo o meu beijinho com carinho.

Sonhadora

Domingos Barroso disse...

Zélia, elevada poetisa e amiga
o risco é mesmo enorme e intenso
mas os versos nos salvam ou nos
mostram outros rumos, outras ondas
e outros abismos
...


Abraço carinhoso.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Zélia, mesmo triste, que lindo poema.
Realmente, muitas vezes nossos barcos da vida se deparam com esses mares perigosos, rumando sem rumo...tudo escuro!

que nos venha o mar calmo!

boa semana!

Tiago disse...

Tu nunca viajará no escuro.
Tua luz mostrará o caminho e sei que a viagem será de paz e calmaria.

T.