Minha lista de blogs

terça-feira, 26 de julho de 2011

Filigrana


A luz
Do poste
De iluminação
Pública
Como se viesse
Da antiguidade
Greco-romana
Trespassa
A planta
Do vaso
Da varanda
Projetando
Na parede
Rica filigrana
De beleza
Única

Cada
Particularidade
Cada
Detalhe
Cada
Minudicência
Da fictícia
Ourivesaria
Encanta-me
Põe-me
Em estado
De graça
E me faz
Assim
Pensar:

Como seria?

17 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Amiga Zélia, benditos poetas que conseguem através da linguagem, criar uma realidade subjetiva tão importante quanto a realidade objetiva, sobretudo, quando a realidade palpável está a sufocar; então, essa realidade poética liberta, alivia, rejuvenece...
Um grande abraço.

Paulo Vitor Cruz disse...

alguém q taca uma pedra na luz de um poste de iluminação pública é contrário a beleza?

Ives disse...

Sentimos a antiguidade em nosso coração! abraços

Luiza Maciel Nogueira disse...

canto límpido em devoçâo!

beijos

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Aqui, como é? Rica filigrana de beleza única...
Gosto do seu estilo, poeta. Gosto de suas artes, de sua iluminação poética. Bom estar-me aqui de novo, sempre...

Abraço latino-americano,
Pedro Ramúcio.

Rose disse...

Tudo delicioso!!!
Sempre um prazer ler aqui.

Lara Amaral disse...

Também me pôs a imaginar... Que imagem mais linda vc criou no poema, Zélia!

Beijo, flor.

MeandYou disse...

Zélia, querida!
Que delicioso poema! Me transportou para a era medieval com as riquezas da ourivesaria!
Teu poema já ganhou voz e em breve estará no MeandYou. Aguarde!
bjs cariocas

R. R. Barcellos disse...

E tu, ourives de poemas,
Burilas teus versos
Em filigranas,
Engastando-lhes as pérolas,
As safiras e os diamantes
De tuas palavras.

Abraços.

Andradarte disse...

Gostei...Seu estilo é inconfundível..
Beijo

MIRZE disse...

Maravilha de poema e de imagens você nos traz com ele.

Zélia!

Você é Única!

Parabéns!

Beijos

Mirze

Andressa disse...

:)

Graça Pereira disse...

E há filigrana mais bonita que te põe assim em estado de graça??? Julgo que não! Os poetas, são seres excepcionais...veem tudo com outros olhos e as palavras saltam para o papel assim...desta forma tão bonita!
Já tinha saudades de te ler!
Beijo
Graça

dade amorim disse...

Lindo, Zélia! Faz pensar e mergulhar na beleza das coisas representadas pela arte.

Um beijo com carinho.

Beth/Lilás disse...

Querida poetisa!
Hoje você está lá, brilhando no poema falado.
Convide a todos seus amigos para ouvirem esta lindeza de poesia.
beijos cariocas

Valéria disse...

Oi Zélia!
Vim lá do blog da Beth para conhecer a artista, depois de conhecer a obra.rsss
Sua filigrana é suave e forte, pois nos transporta para vivências distantes.

Beijo!

Cida disse...

E fico eu, em estado de graça, só de ler o seu poema.

:)