Minha lista de blogs

terça-feira, 20 de abril de 2010

Aviação


Não há mais
Aviões no céu

Nuvem
Vulcânica
Vilã
Os derribou
Antes mesmo
Que voassem

Só um deles
Dança
Flutua
No espaço
Aéreo
Da minha
Fantasia

Vem chegando...

Vem
Alegre
Fazendo
Acrobacias

Vem
Trazendo
Heloísa

Procedência:
Kisarazu-shi

33 comentários:

Em@ disse...

postei um comentário, não ficou?

Em@ disse...

repetindo...:

que Heloísa chegue bem, Zélia.

...
estrebucha
a terra
nossa Mãe primeira
em forma de vulcão.

cospe fumo e fogo
e tira as asas
a(o) que(m) voa.

nós
irreponsáveis
olhamos e não vimos

calamos e não snetimos

e se ouvimos
fingimos que não

até que um dia...

Em@

Zélia Guardiano disse...

Lindo, Em@!
Estrebucha a Terra, nossa Mãe...
Adorei a visita e o comentário-poema!
Um abraço

IVANCEZAR disse...

E voce, certamente voa junto ...
Parabéns pelo post
Bom ( e feliz) reencontro !

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, meu querido!
Sua visita é sempre uma alegria!
Volte sempre!!!

Elza Fraga disse...

Enquanto o céu enfumaçado sufoca,
começa a descer sangue quente vermelho amarelado, do centro da montanha.
É a Terra a pedir socorro, adoentaram-na tanto
que a coitada, tem convulsões de febre, atiça vulcão, inquieta com as dores, se mexe demais em terremotos.

Mas um passarinho dos grandões, fugindo da fumaça, trará Heloísa no seu bico, pode ficar descansada. Tá decretado!

Bitokitas, querida poeta, muita luz procê.

Zélia Guardiano disse...

Elza!!!
Que bom tê-la aqui, querida!
Seu comentário vale mais que um poema!
Lindíssimo!
Obrigada!!!
Beijos

Nydia Bonetti disse...

Enquanto a mãe terra se revolta, a mãe humana espera. Lindo, Zélia. Beijo.

Pedrita disse...

realmente anda estranho tanto avião no chão. obrigada pelos elogios ao meu blog. falo da minha vida cultural, do meu jeito, q bom q vc gosta. beijos, pedrita

Zélia Guardiano disse...

Nydia, querida!
A Mãe terra não aguenta mais! Eu , um pouquinho mais nova, ainda suporto...:)))
Um abraço

Zélia Guardiano disse...

Pedrita
É justamente sua autenticidade, juntamente com sua competência, que faz a diferença...
Um beijo, querida

Rayuela disse...

traigamos a Heloísa!

las mamás sabemos esperar.

mil besos, Zélia*

Zélia Guardiano disse...

Oh, Rayuela...
Alegria chega com você!
Mil besos, querida!
E abraço também

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Zélia, retribuo a visita, comentando que gostei bastante dos poemas aqui postados.
Revelam uma ótima poetisa.
Parabéns e virei mais vezes.
Abraços.

Zélia Guardiano disse...

Paulo
Fico muito feliz com sua visita e com seu comentário!
Volte sempre! Estarei esperando por você...
Um abraço

olhodopombo disse...

Zelia, pois é, no Museu do Folclre do Brasil, tem uma exposição permantente de obras de Mestre Vitalino!

olhodopombo disse...

seu blog esta muito chic!

Zélia Guardiano disse...

Amiga Tamar
Fiquei maravilhada com as obras do Mestre Vitalino! Coisa mais linda!
Quanto a este espaço, estou caprichando ao máximo, dentro das minhas possibilidades, pois sou bastante limitada no que diz respeito às tecnologias. Percebe-se claramente isso...:)))
Um abraço

Assis Freitas disse...

Quem diria que as larvas sobem aos céus. abraço

Zélia Guardiano disse...

São obrigadas a subir, Assis querido...
Um abraço

Wilson Torres Nanini disse...

Perante uma espera como essa, o avião não voa: adeja.

Abraço!

GRAÇA GRAÚNA disse...

Estimada Zelia: adorei seu blog, sua poesia irreverente, seu gosto pela vida. Grata por visitar meu humilde blog; Paz em Ñanderu, Graça Graúna

Helô disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zélia Guardiano disse...

Wilson, meu querido
Você definiu bem: o avião adeja!!!
Obrigada pela visita, amigo!
Um abraço

Zélia Guardiano disse...

Graça Graúna, minha querida!
Fiquei felicíssima com sua visita e com seu comentário!
Muito obrigada!
Volte sempre , amiga! Aqui você tem uma segunda casa...
Um abraço

Zélia Guardiano disse...

Helô, minha querida
Eu, sim, estou emocionada com seu comentário! Muito emocionada! Você merece o poema mais lindo do mundo, que eu não sou capaz de escrever, mas sinto-o dentro de mim... Sei que você, mesmo não estando aqui, está!!!
Eu também te amo muito!!! Não há vulcão que seja mais forte!!!
Milhões de beijos, meu amor!!!

Azlin disse...

nossa grande mãe se purificando pra tudo transformar...vai recuperar sua condição de paraíso...ah, se vai!!!

Azlin disse...

que sua filha faça uma viagem tranquila e chegue feliz aqui pra te encontrar!

Zélia Guardiano disse...

Azlin!!!
Você aqui é uma bênção!
Obrigada!
Volte sempre, que a casa é sua...
Um forte abraço

Helô disse...

MÃE!!! Mereço ,EU, algo tão lindo e especial? Muito obrigada pelo poema encantador e feito com tanto amor. Estou muito emocionada!!! E aí vai...

RESPOSTA À MINHA MÃE

MÃE...
Eu te amo tanto
Que esse amor não cabe em mim
Esse amor foge do controle, do meu corpo e Vaga...voa...
Um amor tão violento
Que ultrapassa a barreira
Imposta pelo fumegante vulcão
Meu amor não precisa de avião
Ele tem vida própria
Não voa em vão
Meu amor é ONIPRESENTE
Mesmo distante
A senhora o sente!!!

Te amoooooooooo!!! Obrigada por tanto amor!!
Beijooooss!!

P.S. Substituí a postagem anterior por essa, pois não estava assim, como poesia, o que era a minha intenção!!! Mais beijos com muito amor!!!

Zélia Guardiano disse...

Heloisa, minha filha querida!
Que versos mais lindos! Demais!
Então, se existe poeta na família, é você!!!
Fiquei mais do que feliz!
E sei muito bem que é assim mesmo: a distância entre nós nada significa... Não há vulcão que coloque obstáculo...
Eu te amo muitíssimo, querida!
Bilhões de beijos!!!!

Jobi disse...

Linda homenagem!!! Estamos adorando o blog!!
Jobi e Vucho

Zélia Guardiano disse...

Oi, Jobi!!!
Que bom, querida!!!
Que bom!!!
Fico muito feliz!!!
Beijos