Minha lista de blogs

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Espelho


Caminho
Vergada
Sob
O excesso
De peso
Do tempo

[Resignada
Rumino
Tudo
Que é
Decepção
Desengano
Lamento:
Falta
Saliva
Falta
Suco
Gástrico
(O bolo
Estagnado
No
Estômago
Da alma
É chumbo)]

O mundo
Nada
Me oferece
Que não
Seja um
Espelho
Embaçado
Em
Carcomida
Moldura
[Sinto-me
Até
Condoída:
Coitado...
Há tantos
Anos
Me atura
Refletindo
Minha
Imagem
Cansada
Gasta
Surrada
Puída]

Em verdade
Eu o
Respeito:
Afinal
Conhece os
Meus medos
Meus
Sentimentos
Segredos...
[Contei-lhe
Milhares
De vezes
Deslizes
Reveses
Da vida]

É
Franco
Não me
Esconde
Nada
Que seja
Realidade:
Rugas
Cabelos
Brancos
[Dentes
Nem tanto]
Olhos
Opacos

[Acato
Seus
Pareceres
Seus
Veredictos
Ultimatos]

Hoje
Me fez
Surpresa:
Mostrou-me
No fundo
Do abismo
Das velhas
[E
Exaustas]
Retinas
Minúsculo
Ponto
De luz...

[Estou
Ressabiada:
É brilho
De espada
Ou
De cruz?]

78 comentários:

Leonardo B. disse...

[tão fiel como a nossa sombra, tão silencioso quanto a dita, mas talvez mais cru, na sua crua linguagem, o espelho que nos permite um gesto reflexo, não é mais que leal, sem rodeios: como a sombra que se carrega, mas que por vezes se esconde]

um imenso abraço, Zélia

Leonardo B.

Lua Nova disse...

Muito lindo, minha cara. Coincidentemente é como me sinto hoje... cansada, alquebrada mesmo. Mas vou lá me olhar no espelho e ver se também no fundo do abismo das minhas velhas e exaustas retinas, há um minúsculo ponto de luz. Afinal, verdade seja dita, é desse incompreensível e persistente ponto de luz que eu, Fênix, ressurjo sempre.
Você sempre me emociona, minha querida Zélia.
Beijokas.

Ribeiro Pedreira disse...

a idade do espelho é que está refletida em ti. esse velho puído de cabelos brancos insiste em confundir tua alma de poeta. ele é que está gasto.
bjs!

dade amorim disse...

Espelhos são tão inesgotáveis quanto eles mesmos - é neles que vemos melhor o mundo, porque vemos o mundo que nos inclui. Mas nem sempre são assim tão leais. Afinal, espelhos foram inventados por pessoas.
Beijo pelo bonito poema.

Assis Freitas disse...

o fio da espada afia o nosso dia-a-dia,

abraço

Dilmar Gomes disse...

Amiga, usarei uma palavras três vezes para falar do meu sentimento em relação a este poema:LINDO! LINDO! LINDO!
Um grande abraço.

Úrsula Avner disse...

Oi Zélia,

poema intenso, instrospectivo, de cunho existencialista num lirismo bem cuidado e com lindas imagens poéticas. Gosto da melancolia na poesia quando bem versejada... Bj com carinho.

Domingos Barroso disse...

Zélia, permite-me um terno abraço
por este translúcido poema
que me tocou tanto a alma:
com ferrões de fogo
e com ferro em brasa.

Abraço-te novamente,
grandiosa poeta.

Fatima disse...

Hummmmmmmmmmmmmm!
Não gostei deste espelho não!
Bjs.

Livinha disse...

Minha amiga, você é uma eterna surpresa. Desenrola o teu novelo com tanta beleza, que a gente pasma.
palavras prontas que não se atrapalha, reflexo proprio do teu espelho, que te mostra tão clara, nítida e óbvia, que não tem como não gostar e não aceita-la.
Eu adoro! Saio daqui relaxada, cuspindo o pó da caminhada já cansada com que até aqui cheguei. Sento e te leio, enquanto bebo o chá que encontro sobre a tua mesa e me aqueço. Aspiro um nmovo ar, levanto e vou me embora, tranquila para mais uma subida, outras vezes descida, pontes atravessando e seguindo a risca, pois quem não aposta, perde tempo, perde a lida e sequer ver pega carona nas asas do vento.

Um lindo resto de semana pra ti

Bjs

livinha

manuel marques disse...

Nenhum espelho reflecte melhor a nossa imagem do que as nosssas palavras .

Beijo.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Espelho da vida que se mostra, à superfície, o corpo carcomido, aos de olhar arguto, revela o brilho d'alma... seja cruz, seja espada, é luz :)

contagotas disse...

Zélia
Meu espelho é igual!
Amigo, fiel, confidente, verdadeiro até demais.
Ás vezes podia ser simpático e embaciar, cobrir-se de névoa, desfocar imagem.
Às vezes tento enganá-lo, sorrio, levanto o ombro, faço charme, mas quem se engana sou eu. O malvadinho me lembra a todo o momento o quão forte é o passar do tempo. Que fazer?

Beijos querida amiga, nós somos lindas ainda que nossos espelhos, por vezes, nos tentem avisar do contrário :)))))

MariaIvone

Luiza Maciel Nogueira disse...

é brilho de luz da alma viva! A tua Zélia que pulsa vida!

Beijos

Cida disse...

Ontem, meu espelho refletiu que eu de fato estava um ano mais velha (era meu aniversário - junto com o nosso Brasil!).
Hoje, estou vivendo outra festa: aniversário de casamento, e o espelho também me mostrou um brilho diferente no olhar, um brilho de companheirismo, cumplicidade, tanta estrada percorrida junto, tantos sofrimentos e alegrias partilhados...
Depois de tantos anos juntos, acho que nossos olhos refletem a mesma luz, devolvida pelo mesmo espelho também companheiro a tanto tempo...
Viu onde você me fez chegar? Quem mandou mexer em emoções? Realmente, com duas festas juntinhas, estou com a emoção à flor da pele, e ainda inventei de visitar essa amiga que sabe como ninguém valorizar detalhes, e fazer do simples cotidiano um verdadeiro conto de fadas!...:)

Obrigada menina, por tocar tão fundo em minha alma. Obrigada por essa magia em forma de poema.

Seja feliz!

Cid@

Kimbanda disse...

Zélia estimada amiga!

"...dentes nem tanto..." Não é condizente com teu lindo sorriso que esse espelho amigo de todas as horas gostaria como nós, ver.
Resta e ainda bem o ponto de luz que mesmo que não o vislumbres no espelho estará sempre e bem presente dentro de ti e isso nos é reflectido e nos faz bem.
Fico feliz por estar de volta pelo prazer de aqui estar em tua companhia.
Bem-hajas, deixo o meu sincero e amigo kandando.

Lara Amaral disse...

O brilho de seus olhos é intenso demais, faísca para o espelho.

Beijo, grande poetisa.

Marta disse...

O brilho de uma vida que é intensa, é verdadeira, vivida com alma...
Adorei cada palavra...
Beijos e abraços
Marta

mdsol disse...

E
Eu
Mais
Uma vez
A ler-me
A rever-me
A saber-me
Neste jogo corrido
De palavras com sentido

:))))

Batom e poesias disse...

O que é real, minha amiga?
O reflexo do espelho ou o reflexo do reflexo dos seus olhos?
Sua poesia iluminada confunde o espelho...

Compreensão total.
Lindo.
Linda!
Bj

Rossana

poetaeusou . . . disse...

*
entre a espada e a cruz,
valha-me Jesus . . .
,
conchinhas,
,
*

Diana Ramos disse...

Hummmmmmm, parece que o espelho está com problemas, mas ainda funciona porque te deixou ver o mais importante de tudo...a luz! Ela é voce, é a sua alma e tão linda que não existe igual no Universo, é única.Beijos carinhosos

Jorge Pimenta disse...

o enigma final não nos é imposto pelo espelho, mas pelo rosto que o procura em busca de respostas...
um beijinho, doce amiga!

Gerana Damulakis disse...

Uma idéia poética de primeira, muito bem realizada. Você certamente tem um grande talento. Há 2 momentos máximos no poema: quando humaniza o espelho (que te atura) e quando percebe o brilho nas retinas e interroga sua procedência.Excelente, Z!

ju rigoni disse...

Zélia, que poema! Perfeição. Versos que jamais sofrerão a ação cruel do passar do tempo...

Bjs, querida. E inté!

Mirze Souza disse...

Fantástico, Zélia!

Li tudo que pude e ainda votei para seu blog ser livro. Merece.

Gostei de tudo, mas esse espelho me fascinou.

Parabéns, poeta!

Beijos

Mirze

Rodrigo Braga disse...

Lindo, lindo!

Só tenho uma palavra pra vc:

snèbarap
parabéns

olhodopombo disse...

Zelia,
quando vamos ter uma edição em papel desse maravilhoso
canto?

Luciana Marinho disse...

tempo desejante do Humano, do Humano...

beijinho, Flor!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Luciana, minha querida!
Beijo!!!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Rodrigo, meu querido!
Dá gosto ter um amigo como você...
Grata, muito grata!
Forte abraço!

Zélia Guardiano disse...

Mirze, minha querida
Você me deixou emocionada com suas palavras...
Muito, muito obrigada, amiga!
Abraço e beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Ju, minha querida
Como você me alegra com sua visita e com as palavras que me deixa!
Pura generosidade!
Você é demais!!!
Grande abraço, minha linda...

Zélia Guardiano disse...

Gerana, querida
Muito importante sua visita e seu comentário!
A análise que você faz, muito me interessa, já lhe disse...
Muito grata, amiga!
Grande abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Verdade, amigo Jorge, verdade!
Nós é que costumamos de jogar a culpa sobre ele...rs...
Sua visita me faz muito feliz!
Grata, meu querido!!!

Zélia Guardiano disse...

Diana, minha linda e querida amiga!
Luz é você, que chega aclarando tudo, até mesmo o mais recôndito pensamento...
Grata, muito grata!
Beijinho carinhoso...

Zélia Guardiano disse...

Poeta, meu querido amigo...
Só Ele, mesmo, para nos valer, nesta altura da vida...
Abraço cheio de gratidaão pela amável visita!!!

Zélia Guardiano disse...

Rossana, minha querida
Tuas palavras doces, amigas, amáveis, muito me estimulam para continuar martelando os meus versos...
Muito grata, linda amiga!!!

Zélia Guardiano disse...

mdsol, minha querida
Suas palavras, sim, colocam sentido nas minhas tentativas ...
Puro e valoroso estímulo!
Grata, linda amiga!!1
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Grata, Marta, pela visita e pelo comentário tão amável!
Abraço, querida!

Zélia Guardiano disse...

Larinha, minha querida
Então façamos assim: o brilho intenso do teu olhar reflete no meu que o lança para o espelho...OK?
Grande abraço e beijinhos, minha linda...

Zélia Guardiano disse...

Oh, Kimbanda, Kimbanda...
Seu retorno foi de suma importãncia... Você fazia muita falta!
Quem mais, poderia alentar-me tanto assim?
Grata, meu amigo, por estas suas palavras mais do que doces, mais do que amigas!!!
Grande abraço!

Zélia Guardiano disse...

Cida, minha querida
Sua visita é um presente e seu comentário é para se ler, reler e ler muitas outras vezes...
Fico muito feliz com esse seu estado de espírito tão festivo, em decorrência das datas mais do que significativas...
Desejo-lhe toda a felicidade do mundo, pois, se existe pessoa que merece todas as dádivas de Deus, é você!
Mil vezes parabéns, minha linda!
Abraço bem apertado, cheio de emoção!!!

Zélia Guardiano disse...

Luiza, minha linda...
Que visita doce, agradável!
Pura alegria me traz...
Beijo, querida!!!

Zélia Guardiano disse...

Querida amiga Maria Ivone
Boa!!!
Agora eu gostei...rsrs...
Então fica combinado: somos lindas, maravilhosas!!!
O espelho é que está por fora, não sabe das coisas... Espelho já era...rsrs...
Grata, querida pela visita e pelo divertido e interessante comentário...
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Grata, meu querido Francisco!
Não esquecerei suas sábias palavras: seja espada, seja cruz, é luz...
Adorei a visita e o comentário, que me fez abrir os olhos...
Abraço forte, amigo!!!

Zélia Guardiano disse...

Verdade, amigo Manuel, verdade!
Nossa verdadeira imagem é mostrada pelas nossas palavras... Muito mais do que pelo espelho...
Grata, querido, pela visita!
Forte abraço!

Zélia Guardiano disse...

Livinha, minha querida
É uma linda crônica que me deixas, à guisa de comentário...
Li, li e reli...
Palavras maravilhosas!
Grata, amiga, pelo que considero um lindo presente!!!
Abraço e beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Fatima , querida!
Sua presença é sempre grande alegria!!!
Grata, querida.
Abraço...

Zélia Guardiano disse...

Amigo Domingos
Seu comentário, também, muito me marcou, pode ter certeza!
Palavras amigas, palavras que me servem de alvanca, neste mister de querer ir em frente, construindo meus versos...
Muito, muito grata por isso...
Forte abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Úrsula querida
Que palavras importantes me deixas!
Não bastasse a alegria de tê-la aqui, ainda tenho o seu comentário, todo ele feito de estímulo ...
Muito grata, amiga!!!
Beijo...

Zélia Guardiano disse...

E o da cruz nos faz pensar, Assis querido...
Abraço apertado!

Zélia Guardiano disse...

Amiga Dade
Vens e não vens em vão: deixas-me belas palavras para reflexão...
Grata, querida!!!
Abraço e beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Oh, Ribeiro, quanto me confortas com tuas jovens e belas palavras!
Como é bom ter você como amigo!
Sua presença é sempre grande alegria para mim!
Grata, meu querido!!!
Abraço bem apertado...

Zélia Guardiano disse...

Minha doce, querida, amável amiga Lua Nova
Os dias não são iguais...
Vamos que vamos...
Amnhã, talvez, o velho espelho nos mostre algo mais agradável de se ver...
Ou melhor: no seu caso, com certeza!
Grata pela visita, sempre importante para mim...
Beijo !!!

Zélia Guardiano disse...

Leonardo
Recebê-lo aqui é uma honra!
Sempre!!!
O interessante comentário que me deixa é matéria para reflexão...
Muito grata, meu querido!!!
Abraço

Pâmela Grassi disse...

Zélia,

O brilho é de espada ou é de cruz, quando inteiro

nossos fragmentos nos cortes, quando se parte,

Beijos,

Eurico disse...

Belíssima obra poética, amiga.

Abraço fraterno.
E grato pelas tuas visitas.

betina moraes disse...

[...Espada!]


zélia,

que bom que me trouxe até aqui! estou perdendo muito não estando, lendo, trocando...





um
verso-víscera
ou
víscera verso
!
?



muito bonito.

um beijo.

Zélia Guardiano disse...

Pâmela
Que bom recebê-la!
Sua presença é luz, aqui...
Grata, amiga!!!
Beijo...

Zélia Guardiano disse...

Obrigada , Eurico, meu estimado amigo!
Visitá-lo é sempre um grande prazer, pode ter certeza!
E recebê-lo aqui, idem!
Também para você um abraço fraterno...

Zélia Guardiano disse...

Oh, Betina, que alegria!
Seja muito, muito bem-vinda!!!
Grata, querida, pelo comentário tão favorável...
Vem sempre, que a casa é sua...
Grande abraço!

Vitor Chuva disse...

Olá Zelia!

Vejo que chego a tempo, ainda que atrasado.
Lindo e tristinho, juntaram-se aqui para adjectivar este poema sobre essse espelho sem alma.
Olhe, não o leve muito a sério, não acredite naquilo que ele lhe diz; espelhos não são "gente" de fiar, e esse, pelos vistos, de tão gasto e embaciado que está está, já não é mais confidente em quem possa confiar: não acredite mais nele - só em si!

Um abraço amigo; bom fim de semana.
Vitor

Jefferson Bessa disse...

Um encontro em que se aceita o inevitável.
Muito bom, Zélia! Também gostei muito da fotografia. Um beijo.
Jefferson.

Andrea de Godoy Neto disse...

Zélia, que perfeito poema! E em tuas retina, há brilho de vida, sem dúvida! e de vida poetizada.

meu espelho tem olhar embaçado,
(feito o meu)
só reflete
a visão distorcida
que consigo ter.

Por isso,
para me enxergar inteira,
faço um exercício,
(um esforço tremendo)
de sair de dentro de mim

E me viro, assim,
pelo avesso
e então,
perscrutando as costuras
me reconheço.

beijos, querida amiga!

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

Seu poema é um enigma...faz pensar...

Carinhoso abraço amiga!

Fred Caju disse...

Ah, os espelhos! Tão sinceros que se confundem com a ilusão! Ótimo, Zélia! Ótimo, como sempre.

fouad talal disse...

Zélia,
entre a espada e a cruz eu não sei, mas é melhor fugir da luz...rs

Quero ocê escrevendo belezuras pra gente ainda durante muito tempo e 'além' (sem dubiedades...rs)

bjão minha amiga!

Zatonio disse...

E você nos mostra a luz, acima de qualquer cansaço ou dor. E a foto é linda! Beijo!

Paulo Jorge Dumaresq disse...

De volta, Zélia, depois de 10 dias em Sampa curtindo as maravilhas culturais da megalópole.
Penso que o espelho é, em certa medida, a nossa consciência.
Para variar, ótimo poema.
Saudações potiguares, querida.

Rayuela disse...

es
el
brillo
de
tus
versos
que
doran
el
espejo


mil besos*

Ana Cavalcantti disse...

Oieeeee !!
Quando eu me olho no espelho eu vejo o reflexo de tudo o que eu faço por mim ...e qdo eu digo o que faço por mim ...incluo tudo...vai das calorias até uma ato de amor ao próximo !!!
Mas o que vc viu no seu espelho, foi sim um ponto de luz !!!!!!! A luz que vc tem dentro de vc !!!
Beijooooooos

Nadine Granad disse...

Saudades...

Simples assim ;)

contagotas disse...

Zélia, você se tornou um vício. Estou com síndrome de privação.

Saudades, amiga
MariaIvone

ju rigoni disse...

Deixando meu beijo e meu abraço. Inté, querida!

Luis Filipe Gomes disse...

Querida Zélia,
em tuas palavras o sublime é espontâneo como a brincadeira nas crianças.
O brilho de espada da pena por cumprir ou o brilho da cruz do Calvário passado, a cruz da bênção ou a espada da condenação, a cruz memória do sofrimento redentor ou a espada do juízo destruidor? A imagem do espelho, como qualquer outra, não existe a não ser no cérebro e na mente que a lê. O ser não é o parecer, ainda que por causa dessa confusão de um com o outro tanto sofrimento aconteça.
Bem hajas.
A tua preocupação comigo deu-me ânimo. Está tudo bem.

Cida disse...

Oi amiga querida!
Só prá te dizer, que tentei comentar no seu último poema (o que vc postou hoje, dia 18), mas tem algum problema por lá, e não está aceitando comentários...

Sendo assim, volto mais tarde prá ver se já está okey (tomara que sim!)

Beijo grande, e um ótimo fds prá você

Cid@

Celso Ramos disse...

Olá Minha cara Poetisa!!!
Seus versos reunem com muita delicadeza principio e fim. Está prenhe de uma noção de finitude que ao mesmo tempo aponta para um lindo início!!! Parabéns