Minha lista de blogs

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Momento


Uma fila
De
Barbies
Desfila
Pelo
Ladrilho
Da rua
Enquanto
A tênue
Sombra
De uma
Nuvem
Passa

Na esquina
Um
Dálmata

Logo
Aquém
Crianças
Em
Algazarra

[Pôr-do-sol
Visto
Da sala
Do
Apartamento

Vivo
Momento
Em que nada
É relevante]

Meu olhar
Não se
Fixa:
Atravessa
Imagens
E
Viaja
Para
Muito
Além
[Pensamento
Vai
Adiante]

Brinco
De
Não ser

60 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

És.quer.ser...
Se der.é.ter-te ao pôr-do-sol...
Limpando a mente em não-ser...
Sê.para ti...

:)

Zélia Guardiano disse...

Ah, Francisco, meu querido amigo...
Que maravilha esta habilidade que tens para compor seus versos!
Demais!
Um comentário teu é sempre um lindo poema!
Grata!!!
Abraço forte.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Estranho... viu a foto do perfil como ficou? Ou é tilt do blog ou hackearam meu perfil... mudar td. aqui, senha e td mais... :/

Zélia Guardiano disse...

Francisco!!!
Mas que é isso?
Será que a encrenca é aqui?
Vamos aguardar novos comentários para conferir...
Ai, ai, ai...

Cida disse...

Até quando você brinca de "não ser", você é MARAVILHOSA!...:)

Jinhos da Cid@

Dilmar Gomes disse...

Querida zélia, você brinca de não Ser, sendo criativa jorrando música através da palavra.
Um grande abraço.

Dilmar Gomes disse...

Querida amiga, queira me desculpar pela falta da vírgula no meu comentário.
Um abraço aqui do Sul.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Dilmar, meu querido amigo
Que alegria receber sua visita!
Sinto-me feliz por saber que gostou dos versinhos!
Grande abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Cida, obrigada!
Você, sempre com uma palavra gentil!
Beijo, querida!!!

Rayuela disse...

tu poema,Zélia, es casi cinematográfico!


salto
intento
el
no-ser


besos*

Luiza Maciel Nogueira disse...

não ser - sendo Zélia

brincar é sempre bom, que a infância da poeta permanece sempre ao longo das décadas em sonhos bons (poesia) - beijo!

manuel marques disse...

Em certos momentos, somos donos dos nossos próprios destinos ...

Beijos minha querida

Domingos Barroso disse...

E não sendo,
és: todo o ambiente,
todas as atmosferas,
objetos, nuvens, dálmatas
crianças e bem além teus olhos
(altíssima poetisa)
elevam-se ao silêncio,
certamente um prelúdio
(da mesma forma que ouço agora
Sarah Vaughan)

Terno abraço,
minha amiga.

Nadine Granad disse...

Que janela aberta ;)

Saudades!...

Beijos, sempre bom lê-la =)

Fatima disse...

Boa brincadeira!
Bjs.

Angelo Augusto Paula do Nascimento disse...

Vamos brincar de pensar... ou não. rs Escrevi sobre pensar no meu último post.
Abração

Zélia Guardiano disse...

Oh, Rayuela querida
É meu intento enxugar mais e mais os meus versos...
Sua visita é festa!!!
Grata , minha amiga!
Mil besos...

Zélia Guardiano disse...

Luiza querida
Dizes muito bem: sempre é tempo de brincar...
Aliás, assim não fosse, como seria viver?
Impossível!
Grata, amiga, pela visita e pelas palvras aqui deixadas...
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Domingos, Domingos...
Que visita encantadora me fazes!
Que palavras amigas me deixas!
É sempre alegria imensa a tua vinda...
Grata, meu querido!
Um forte abraço para ti!

Zélia Guardiano disse...

Querida Nadine
A vida é uma janela...
Diante dela o tempo passa, fazendo das suas...rs...
Adorei a visita!
Também sentia saudade!
Grata, amiga!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Fatima querida
É preciso brincar um pouco, né?
Beijo, amiga!

Zélia Guardiano disse...

Já fui lá, Angelo!
Fui correndo...
Adorei o seu espaço, os seus escritos!
Inscrevi-me como seguidora.
Grata pela visita, meu querido!
Forte abraço!

Eurico disse...

Cada dia mais lindos, os poemas.
E a precisão dos versos, a concisão,
a leveza...
Tens na alma a poesia, amiga.

Abraço fra/terno

Zélia Guardiano disse...

Amigo Eurico
Sua apreciação me é muito valorosa!
Vindas de você, as palavras positivas impulsionam-me: adiante!!!
Muito grata, meu querido!
Forte abraço

Pâmela Grassi disse...

Zélia,

Não ignorando o poema, mas fico na imagem. Fui arremessada às tardes brincando com as barbies, apesar de hoje encontrar a ditadura da beleza nelas.

Beijos

Zélia Guardiano disse...

Oi, Pâmela!
Também vejo cruel ditadura nelas!
Tanto que no poema eu não as vejo no quintal, mas na rua: são as meninas anoréxicas...
Vou além: é por isso que meu olhar não se fixa nas imagens: não gosto do que vejo... Prefiro privar-me da beleza que contém as imagens do animal e das crianças, para não ver as garotas escravas do modelo estético vigente...
Grata pela visita e pelo comentário, querida!
Abraço...

tata disse...

adorei seu poema sobre capoeira.sou aluna da professora jessica

Zélia Guardiano disse...

tata!!!
Que alegria ter você aqui!!!
Fico muito feliz que tenha gostado do poema!
Fiz com muito carinho...
Grata pela visita, minha linda!
Venha sempre...
Abraço e e beijinhos..

tonhOliveira disse...



"Fora de si é um momento de perder-se..."

Abraços e obrigado pela colorida presença no 6V!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Tonho
Ir ao seu espaço é um deleite...
Grata pela visita!!!
Grande abraço...

Cacá disse...

Olá, Zélia! Primeiramente obrigado pela visita tão gentil. Estava lendo o que você colocou no perfil do blog e posso lhe dizer que muita coisa já foi dita,sim em termos literários, mas há tanto por dizer, tanta significação a ser dada! Acho que agora que o mundo cresceu em população e diminuiu em tamanho por causa da comunicação imediata, a gente tem muito mais a dizer , a ler, a se encantar. Aqui por exemplo, encontro fragmentos de uma alma cativante em versos e prosas maravilhosas. Adorei. Meu abraço. paz e bem.

Multiolhares disse...

julgo que quase sempre somos " não ser" e quando pensamos "ser" deixamos de o "ser"
Beijos

Gerana Damulakis disse...

O olhar de uma poeta. Coisa linda!

Vitor Chuva disse...

Olá Zelia!

Quando queremos, ou mesmo instintivamenete, temos em nós como que esta capacidade de só vermos o que queremos ver, quando o que vemos não valerá - para nós - muito a pena ver. Será que estou a ver bem?

Abraço amigo.
Vitor

Ana Cavalcantti disse...

Oiiii !!
"Ser ou não ser, eis a questão"
Tem momentos que é bom não ser e nem ver rs !!!
Beijooossss

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Poema cinematográfico, Zélia.
Vislumbrei imagens por meio de sua brilhante escrita.
Parabéns, querida amiga.
Abração da barra do rio Potengi.

Rodrigo Braga disse...

Meu olhar
"Não se
Fixa:
Atravessa
Imagens
E
Viaja
Para
Muito
Além'

O QUE É SER POETA SE NÃO ISSO?

Lindo.

Não me canso de dizer que a maior virtude de seu blog é sempre nos surpreender.

Um grande Beijo!

Rodrigo Passos disse...

lindo poema!

Ribeiro Pedreira disse...

brincar de ser é ser de verso. diverso é a poesia que se faz ser não sendo (ou não).

brincas como gente grande!!!

bjs!

Livinha disse...

A gente olha lá fora e pensa que o mundo está cantando, somente nós estamos tristes...
Mero engano.
As barbies ainda estão sonhando, iludidas ainda. Oxalá que sejam assim pro resto da vida. Mas pelo senso comum, elas desfilam as ilusões, escondendo suas almas, nas vestimentas que finge tão bem. Talvez ao chegarem em casa haverão de chorar também...

Aparências nada mais...

Lindo minha amiga, bem de acordo com cada um de nós...

Bjs

Livinha

Kimbanda disse...

Amiga querida,
Pelo que percebo de mim espelhado aqui, me vejo a passar as vistas pelo supérfluo, como translucido. Aí, estou vendo, mas não mais interessa o quê, tal como filme em modo rápido, como o meu pensamento divaga também.
Custa acreditar, como se pode viver em função do acessório.
Muito bom, como sempre, um olhar atento e ao envolvente, com a sensibilidade apurada que me habituei a sentir aqui.
Grato deixo o meu kandando e o desejo de em breve voltar.

Magnolia disse...

Brincas com as palavras Zelia
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Seja muito bem-vindo, Cacá! Muito bem-vindo!!!
Que visita agradável e que palavras amáveis!
Sinto-me feliz pelo nosso encontro!
Espero vê-lo sempre por aqui...
E eu não descuidarei: estarei sempre visitando o seu espaço , que é tão especial e que, por isso mesmo, cativou-me.
Grata, querido!
Forte abraço

Zélia Guardiano disse...

Multiolhares
Achei interessantíssimo o seu comentário!
Vai-se saber se não é mesmo esse vice-versa que vigora...rs...
Grata pela visita, querida!
Abraço forte!

Zélia Guardiano disse...

Gerana, minha querida
Nem encontro mais palavras que expressem minha gratidão ...
Imenso abraço, minha especial amiga!

Zélia Guardiano disse...

Vitor, meu querido amigo!
Penso que você acertou na mosca...
Acho muito provável que só enxerguemos aquilo que nos interessa; o que não , talvez seja atravessado pelo nosso olhar, que não se fixa...
Adorei a visita e as suas palavras, sempre importantes para mim...
Imenso abraço!

Zélia Guardiano disse...

Verdade, Ana, verdade!
Estás coberta de razão! Assino embaixo de tuas palavras!
Abraço e beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Oh, Paulo Jorge, meu querido
Vieste para me alegrar e deixar estas palavras tão amigas!
Que bom que gostaste!
Alegrá-lo com meus versinhos é algo que me deixa com o coração alvoroçado de contentamento...
Abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Rodrigo, queridíssimo amigo
Fico emocionadíssima com sua visita!
As palavras que me deixa enchem-me alma de satisfação! Afinal , você que escreve tão lindamente , ao aprovar os meus versinhos, está me induzindo a pensar: " Mãos à obra, Zélia! Vamos em frente! O Rodrigo espera mais..."
Grata, meu bom amigo!
Forte abraço!

Zélia Guardiano disse...

Rodrigo Passos
Adorei sua visita!
Seja muito bem-vindo!
Já fui ao seu espaço e encantei-me com seus escritos!
Irei sempre lá...
Grande abraço!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Ribeiro, meu querido amigo!
Sua presença aqui é luz!
Como fico feliz!
As suas palavras deixam-me envolta por uma nuvem de contentamento...
Grata!!!

Zélia Guardiano disse...

Livinha querida
Fico sempre encantada com sua visita e com suas palavras!
Você tem sempre um raciocínio perfeito, para cada situação...
Nenhuma espressão que usa cai no vazio. Cada uma é semente que germina e frutifica.
Seu espírito tem muito conteúdo, amiga!
Grata pela presença, pelo comentário e sobretudo pela amizade, que tanto me ecrescenta!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Livinha: expressão é com x, né?...rsrsrs...
Ai, ai, ai...rsrs...

Zélia Guardiano disse...

Ah, Kimbanda, meu grande, meu querido, meu especial amigo...
O que sentes aqui é o mesmo que sinto lá na sua Serra... Que bom que é assim!
Volte, mesmo! Volte sempre, pois já seria difícil passar sem suas visitas tão amáveis, sem as suas palavras tão amigas...
Receba um abraço todo entremeado de gratidão!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Magnólia, minha querida!
Que bom ter você aqui!
Pois, é, amiga: é preciso brincar um pouco, mesmo diante da vida , no mais das vezes, tão sisuda...rs...
Abraço e beijinhos...

Hanukká disse...

Flores pra ti, com carinho.


Interessante,vim falar da minha primavera, deixo umas flores, bjos.

O deserto e o lugar solitário se alegrarão disto; e o ermo exultará e florescerá como a rosa.
Isaías 35:1

Sacudirá as suas uvas verdes, como as da vide, e deixará cair a sua flor como a oliveira,
Jó 15:33


Os teus renovos são um pomar de romãs, com frutos excelentes, o cipreste com o nardo.
Cânticos 4:13

Zélia Guardiano disse...

Hanukká, minha querida
Seja muito, muito bem-vinda!
Sua presença e sua maravilhosa mensagem muito me emocionaram...
Vem sempre!
Você tem um segunda csa aqui...
Grande abraço, cheio de gratidão!

Assis Freitas disse...

lembrei-me de uma canção: ó mundo tão desigual, tudo é tão desigual


abraço

Zélia Guardiano disse...

É mesmo, meu querido Assis!
É mesmo...
Abraço!

Mirze Souza disse...

Lindo jogo de versos e pensamentos!

Zélia! Neste panorama onde dálmatas e barbies se unem, ganhamos nós, seus leitores.

Muito BOM!

Beijos

Mirze