Minha lista de blogs

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

EM FRENTE!


Não gosto
De lesco-lesco:
Se o tempo
Me chama
Em voz alta
Atendo

Haja
Neblina
Ou sol
Escaldante
Estragante
( Raios de
Fogo aceso )
Avanço

Todo dia
É dia letivo
No dia a dia
Da via:
É aí
Que a vida
Ensina
Sobre agapanto
E hortênsia
Sobre inocência
E malícia
Sobre o asteróide
Letícia
Medidas de assimetria
Planta-remédio
Contra mialgia
Os malefícios
De um sanduíche

(E
Até
Quem disse:
Mehr Licht )

12 comentários:

Rogério Pereira disse...

Tanto tempo estive sem te ter as palavras que sabes dizer. Cá estou. E sabe-me bem, te ler.

Tinha perdido o rasto do teu endereço

Al Reiffer disse...

Magnífico o final do poema, parabéns! Um abraço!

Ives disse...

A lição das poesias, tiradas do dia dia, lindo! abraços

Assis Freitas disse...

içar velas ao vento: avante



abraço

Cida disse...

Zélia no seu melhor!
Amei!!

Nina linda, estou de volta à blogosfera, e chego bem mais rica e abençoada (se quiser conferir, é só dar um pulinho no mosaicos)
;-)

Te desejo um belíssimo final de semana.

Fique bem, fique com Deus.

Beijão,

Cid@

Zélia Guardiano disse...

Rogério, meu querido amigo
Que bom tê-lo de volta!Dá-me, sempre, grande alegria a sua presença...
Grata!
Abraço da
Zélia

Zélia Guardiano disse...

Sua opinião muito me importa, Reiffer, querido amigo, grande poeta!
Sendo assim, fico feliz por você ter gostado do fecho do poema...
Grata pela presença!
Abraço apertado!

Zélia Guardiano disse...

Grata, Ives, meu querido!
Pela presença e pelo comentário...
Realmente, amigo, é no dia a dia que a poesia habita. Basta prestar atenção, não é verdade?
Abraço bem forte, amigo!

Zélia Guardiano disse...

Isso mesmo, Assis, amigo , grande poeta!
Sempre avante! É preciso...
Abraço, meu querido

Zélia Guardiano disse...

Cida, minha querida e especial amiga!
Que bom que você está de volta!
Agradeço-lhe pela presença e pelo gentil comentário...
E vou, já, já, correndo, visitar o seu encantador espaço!
Beijos carinhosos

Lua Nova disse...

Magistral!
A vida não tem intervalo pra gente ir tomar um copinho d'água na cozinha, mas ela nos deu a poesia pra que nossa alma possa descansar entre uma lição e outra.
Beijokas.

Zélia Guardiano disse...

Lua Nova, minha adorável amiga!
Sábias palavras você me traz, com reação à transitoriedade do tempo...
Ainda bem que temos a poesia, lenitivo para as mazelas tão presentes, sempre.
Grata pela presença mais do que agradável!!!
Beijos da
Zélia