Minha lista de blogs

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

IMAGINAÇÃO


Vejo
A rua
Recoberta
Com as flores
Da sibipiruna

Penso
Nas tecelãs
Da Pérsia
Urdindo
Seu tapetes

Em
Sharazade
A tramar
Lentamente
Sua lenda

( Imaginação
É poço
Sem fundo:
Se abusar
Atravessa
O planeta
E sai
Do outro
Lado
Do mundo )

21 comentários:

Beth/Lilás disse...

Ai, Zélia, já viajei tanto com minha imaginação, concordo mesmo!
bjs cariocas

Zélia Guardiano disse...

Beth, minha querida!
Não fosse a imaginação, que seria a vida, não?
Vamos seguir em viagem...
Beijos cheios de gratidão, amiga!!!

Fátima disse...

Oi Zélia,

E atravessa mesmo, até o universo.
Adorei, gosto do teu jeito cadenciado com as palavras.
Beijo meu
Boa semana

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Fatima, minha querida!
Tenha, também você, uma boa semana!
Paz e Luz...
Bjs

Fatima disse...

Que lindo amiga!
Bjs.

pensandoemfamilia disse...

A imaginação nos proporciona viagens maravilhosas e nos instiga a querer realizá-las.
bjs

vitorchuvashortstories disse...

Olá,amiga Zelia!

O "abaixo - assinado" resultou, e eu fico contente por verificar que a "lojinha" se mantém aberta.

E, imaginação é mesmo como poço sem fundo; daqueles que nunca secam por muita água que deles se tire, mesmo em tempos de canícula...

Um abraço amigo; boa semana.
Vitor

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Fatima, minha queridíssima amiga!!!
Se você gostou, fico feliz!
Bjs...

Zélia Guardiano disse...

É isso mesmo, minha querida Norma!
Primeiro fazemos a viagem mental, depois, algumas vezes, embarcamos realmente...
Grata pela visita, amiga!
Bjs

Zélia Guardiano disse...

" Abaixo-assinado " mais do que eficiente, meu querido amigo Vitor!
A "lojinha" continua com as portas levantadas...rsrs... Vamos considerar que foi um fechamento para balanço...rsrs...
Grata pela agradável visita!
Abraço apertado

Jorge Pimenta disse...

é assim a (tua) poesia: tapete encantado onde até o céu é chão de estrelas à espera dos pés dos que amam.
beijinho, querida amiga!

Zélia Guardiano disse...

Jorge, meu querido amigo, grande poeta...
Que alegria receber-te aqui!
Grata, muito grata, pela visita e pelo gentil comentário!
Abraço bem apertado da
Zélia

Em tempo: tenho ido,frequentemente, ao teu maravilhoso espaço, tenho me encantado lá, mas, infelizmente, não consigo postar comentário...

Toninhobira disse...

Lindo este poder da imaginação nas penas do poeta,recriando sonhos e fantasias com toda arte,assim como voce amiga, neste poder da criação.
Lindo demais uai.
Meu abraço terno.
Bju no seu coração.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Toninhobira, meu querido amigo, grande poeta...
Que bom ter você aqui!
Bom demais, uai...
Sempre uma palabra de carinho...
Muito grara!
Bjs

André Bessa disse...

Saboroso e pertinente paralelo esse que vc teceu, Zélia, entre a arte (ou artesanato) da tapeçaria, e o tissar de contos das Mil e Uma Noites por Xerazade.

Um livro, por sinal, dentre os preferidos de Jorge Luís Borges, justamente pela riqueza de imaginação que tem a heroína, tecendo contos e contos e contos todas as noites, para escapar ao seu fatídico destino.

Vir aqui é ter certeza de uma leitura que nos transporta além, muito além desse mundo de lugares-comuns que nos envolve...

Minha admiração de sempre ao seu talento maior, querida Zélia, grande poetisa!

Meu forte abraço, tenha um belo dia.

André

Batom e poesias disse...

Analogia tramada com versos sensíveis...
Que beleza de poema!

bjs, querida!
Rossana

Adriana Aleixo disse...

A imaginação é uma das grandes riquezas que existem dentro de nós.
Felizes são os que lhe dão asas...

Lindo! Bjo!

MIRZE disse...

A imaginação remove montanhas.

Zélia querida! que bom que ainda está nos presenteando com sua arte.


Beijos querida amiga!

Mirze

Guma Kimbanda disse...

Querida amiga e poetisa.

Primeiro tive de procurar saber como é uma Sibiruna e suas flores.
Voltei para ler e imaginar um tapete delas, cada qual com cinco pétalas amarelas, uma menor, o labelo.
Aí, viajei, até ao outro lado do Atlântico nesse cenário lindo que nos ofereces.
Maravilhoso teu sentir e criatividade Zélia.

Beijo e kandandos a atravessar tanto mar...

Dilmar Gomes disse...

Belo poema, bela imagem, amiga Zélia. Houve tempo em eu gostava da penumbra, do lusco-fusco, dos dias chuvosos, mas eu era jovem e via nesses quadros, uma pontinha de mistério.
Um grande abraço. Tenho um fim de semana ensolarado.

Lua Nova disse...

O ser humano sem imaginação haveria de sentir-se como um prisioneiro numa solitária, onde tudo que ele veria seria a escuridão ou quatro paredes nuas. A imaginação nos liberta e nos estimula. A imaginação nos permite viajar na tua poesia deliciosa.
Beijokas.