Minha lista de blogs

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

HORA DE PARAR


Hora de parar
Bater
Em retirada

Ter
Por modelo
Triste-pia:
Findo o sorgo
Retorno
Urgente
Rumo
Ao Canadá

Panapaná
Assinala:
Já não sabe
Mais
Como inspirar
Poesia
( Cansada
Como está
Do voar
Voar
Do sugar
Sugar
Minerais
Da terra
Fria )

Guerra
À teimosia:
Andorinha
Sente-se
Patética
Na inglória
Tentativa
De auxiliar
O vate
Na sua
Pobre
Produção
Poética

O mesmo
Valendo
Para
As flores:
Hortênsia
Esporinha
Azaleia

Hora de parar:
Até um dia

36 comentários:

Ana Martins disse...

Zélia, boa noite!

Espero que volte, esse até um dia é que me deixa apreensiva!

Beijinho,
Ana Martins

Ives disse...

Nossa, poesia de arrepiar! parabéns, abraços

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Ana, minha querida amiga, grande poeta!
Você, sempre um encanto...
Beijos carinhosos, querida!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Ives, meu querido
Que bom que vieste!
Fico feliz se consegui agradá-lo com meus versos: não é outro, meu objetivo...
Abraço apertado, amigo!

pensandoemfamilia disse...

Despedida????Até quando????
bjs

Zélia Guardiano disse...

Minha querida amiga Norma

O blogger tem me causado muito aborrecimento! Não tenho conseguido entrar e/ou postar comentários na maioria dos blogs amigos e isso tem sido indescritível frustração para mim. A interação me é fundamental! Fico desolada quando me lembro dos dias de grande movimentação neste meu modesto espaço : fazia-me muito bem! Até fisicamente! Ora, você sabe, conforme a quantidade de visitas que você faz, é a quantidade de visitas que recebe... O visitar, o comentar, além de nos proporcionar enorme alegria através da lindeza com que nos deparamos, são investimentos que fazemos! E tem de ser assim mesmo, pois o alimento dos blogs são as visitas, os comentários... Assim sendo, vejo aqui, agora, um lugar mais ou menos vazio, meio deserto, como se fosse um bar decadente, na Route 66, chamado Bagdá Café...rsrsrs... Estou me sentindo meio Brenda...rsrs... Quem sabe me chega, a qualquer hora, uma Yasmin? rsrsrs
Brincadeira à parte, minha especial amiga, estou nas mãos do blogger: ele me dirá quando voltar.
Deixo-lhe , aqui, Norma, um abraço bem forte, bem apertado, todo entremeado de amizade e de gratidão, pelo carinho imenso que você tem me dedicado!
Até a volta...

Zélia Guardiano disse...

Em tempo, Norma: nem mesmo aqui, eu conseguia postar comentários... Não conseguia sequer explicar o meu afastamento dos blogs amigos. Ironicamente, ontem e hoje tenho conseguido... Mas nos amigos, não!

Adriana Karnal disse...

Zélia,
que pena vc parar... sabe? acho q daqui a pouco tu voltas, a gente sente falta da poesia de cada dia na vida.

Zélia Guardiano disse...

Grata, minha querida Adriana!
Você tem sempre uma palavra doce para mim...
Abraço bem apertado e beijinhos.

Fátima disse...

Oi Zélia,

Li outros amigos fazendo a mesma reclamação, que isso se normalize logo, que graça terá, não é mesmo.
Retorne breve.

Beijo meu

Luciana Marinho disse...

ô, zélia,

tua poesia é companhia para mim.
fiquei surpresa com teu comentário, pois sempre achei teu blog, como o de roberto (lima), uma animada sala de estar...

grande abraço!

André Bessa disse...

Há um tempo para tudo, tempo para começar, tempo para parar. E há mesmo um tempo para recomeçar. Eu compreendo as sua razões, minha querida Zélia, e como compreendo! uma poetisa do seu porte angaria legiões de leitores e, com as visitas, vêm as responsabilidade das cortezias, das retribuições.

Todavia são ciclos, sim. Necessário talvez, no momento, de se realimentar em um outro ritmo, um outro canal. Porém, deixando a porta deste seu magnífico blog entreaberta, este seu leitor fiel, sempre que puder, por aqui passará para ver se já haverá ou não alguma andorinha no céu.

Obrigado pelo alimento de sua tão bela poesia, querida amiga, e que esta primavera lhe traga as melhores inspirações e todas as alegrias.

Até um dia, Zélia querida, meu forte e fraterno abraço, fique bem.

André

MIRZE disse...

Zélia querida!

Também estou nesse pé. Desde que o Ivan se desentendeu comigo e também o Marcelo, estou para sair. Mas presa em casa devido à saúde cada vez pior, é o que me consola. Aos poucos vou parando. E esse Blogger realmente chateia. Entrei aqui sobre aviso.

Espero que voltem que escreva poesia em outros lugares que eu possa ler. Amo você, Zélia!

Beijos

Mirze

Domingos Sávio disse...

aonde quer que vás e onde estejas
a poesia é a tua alma, o jardim
das coisas mais simples e belas
por todos os cantos
...


Carinhoso abraço,
elevada poetisa
e minha amiga.

Adriana Aleixo disse...

Ironia do destino ou não, faz tempo que lhe sigo e por vezes tentei em vão postar comentários. Hoje consegui. Eureca!!! Sempre digo que a informática tem vida própria...rsrsrs

Não conseguirei apenas hoje expressar tudo o que penso sobre seus versos, mas como sempre os leio, quero que saiba que eles me deixaram uma forte e sulblime impressão. Não tardes a voltar. Tu és para nós poetas uma grande inspiração. Ah! Penso que são nas rodovias pouco transitadas como a route66 que o verdadeiro trânsito poético acontece.

Bjo! Saudades!

Dri (Cheguei em Pasárgada)

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Luciana, minha querida!
Beijos...

Zélia Guardiano disse...

André, meu querido, meu especial amigo!
Que linda, que importante mensagem esta que você me deixa!
Dá-me alento, nesta hora de dificuldade.
Sei que as coisas serão normalizadas por aqui, que o blogger deixará de fazer esta arrelia que tem feito, e que serei feliz novamente , em companhia dos meus queridos amigos, que tanto bem me fazem!
Muito, muito grata!
Abraço bem apertado ...

Zélia Guardiano disse...

Mirze, minha querida
Só agora sei que você tem um problema de saúde...
Sinto muito, amiga!
Mas, tenho certeza que as coisas melhorarão!
Impossível que o blogger permaneça assim, como está, sem se importar conosco. Afinal, são tão importantes para nós os nossos blogs, não é mesmo? Este meu, por exemplo, serve-me até como terapia. O contato com os amigos da blogosfera me fazem bem para o espírito ...
Grata, amiga!
Enorme abraço!

Zélia Guardiano disse...

Domingos, meu querido amigo, grande poeta!
É uma alegria enorme tê-lo aqui! Sempre!!!
Afasto-me devido à dificuldade operacional que venho encontrando, mas nãodeixarei de visitá-lo, jamais... Como ficaria eu sem as suas formiguinhas, por exemplo?
Enorme abraço, todo preenchido de carinho...

Zélia Guardiano disse...

Adriana, minha querida
Que comentário emocionante este que me deixaste!
Palavras lindas, lindas, escritas com a alma, vê-se...
Fico imaginando tuas tentativas, vãs, de postar comentários, anteriormente... Que pena!
Mas, espero, e espero ansiosamente, que o problema se resolva e que eu possa retomar meu lugarzinho aqui neste sítio que tanto contentamento já me deu! Não foram poucos os momentos felizes vividos aqui, graças à presença dos amigos tão queridos que, para sempre, fazem parte de minha vida.
Grata, muito grata, pela tua presença tão sensível, tão gentil!!!
Abraço imenso para ti!!!

Toninhobira disse...

Sou feliz por ter voce lá na minha pagina.O blogger passa por uma turbulencia,mas o comandante crê num voar leve e pouso seguro.
Linda e preocupante sua inspiração amiga, pois voce sabe o quanto nos presenteia a sua presença.
Aclame seu coração e deixe o tempo passar.
Meu carinhoso abraço com toda paz.
Bju de luz no seu coração.
Se ainda assim tiver que partir, fique por perto.
Que sentiremos sua pesença amavel.

Adriana Aleixo disse...

Ontem percebi que usava outro navegador(o mozila), nas outras vezes que tentei postar e não consegui estava usando o internet explorer, isso acontecia em outros blogs também e só agora eu percebi. Estou lhe passando essa observação, mas não sei se vai ajudar. É uma tentativa.

Abraço

Sonhadora disse...

Minha querida

Vou ter saudades de te ler e passar por aqui, mas realmente o blogger deixa-nos desiludidas.
espero que volte logo e deixo o meu beijinho com carinho.

Sonhadora

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Sonhadora, minha querida!
Que bom que me compreendes...
Bjs

Zélia Guardiano disse...

Toninhobira, meu querido amigo!
Que bom ter você aqui, com suas palavras cheias de otimismo!
Sinto-me mais calma, com sua ajuda.
Vou aguardar, mais tranquilamente, que as coisas se ajeitem por aqui...
Enquanto isso, nos veremos , sempre, no seu maravilhoso espaço.
Muito, muito grata!!!
Beijos da
Zélia

Zélia Guardiano disse...

Adriana, minha querida amiga
Fico-lhe muito agradecida pela tentativa de ajuda!
Parece que encontrei um jeito...
Veja que estou postando as respostas...
Tomara que não dê outra zebra e continue funcionando!
Beijos recheados de carinho,
Zélia

Zélia Guardiano disse...

Amigos queridos
Parece que o problema, no que diz respeito ao meu próprio espaço, está resolvido. Só me falta, agora, encontrar maneira de entrar em vários blogs amigos e neles postar comentários, o que ainda não estou conseguindo.
Mas não desisto: vou tentando...
Abraços a todos!

Paula Ibanez - Mosaico de Histórias disse...

Zélia! Boa Noite! Aqui Paula Ibanez, coordenadora do masico de Historias! Ainda há vagas sim e você é muito benvinda! Segundas-feiras, das 16 às 19h., na biblioteca da Vila Margarida!Podemos contar com você já nesta segunda dia 03?
Te esperamos lá!
Um abraço!
Paula

dade amorim disse...

Zélia, o blogger é um grande traidor. Oferece mil vantagens, e depois deixa a gente na mão.
Agora mesmo, tentei deixar um link nos dois blogs e deu tudo errado.
E os comentários variam de acordo com as marés lá deles.
Mas tenho fé que as coisas vão se ajeitar e não vamos ficar sem seus poemas, que já fazem parte dos percursos aqui da rede.
Esperamos por esse dia, que não há de demorar.
Beijos.

Cacá - José Cláudio disse...

Zélia, minha querida, com esse arsenal de lirismo que voce possui, uma despedida dessas, para mim, não passa de mais um belíssimo poema apenas. rsrs. Espero que realmente você reconsidere em algum momento. Acho muito agradável a sua companhia, que faz um bem danado de bom com esta poesia maravilhosa que você produz. Meu abraço de até logo mais. Paz e bem.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, amiga Zélia!

Hoje estou com sentimentos opostos ao aqui chegar: contente porque finalmente entrei, sem receio daquele intimidatóri aviso; triste por aquilo que aqui me é dado ler.
Não faças isso, não vás!A tua poesia iluminada iria aqui fazer muita falta; pensa de novo - não feches esta bonita "loja"!

Um abraço amigo; bom fim de semana.

Vitor

Lua Nova disse...

Minha amiga e poetiza querida. A poesia é mesmo de arrepiar pela beleza, mas também pela notícia que me assusta. Não faça uma coisa dessas com pessoas que te querem tão bem e que aprenderam a te admirar através da tua inigualável poesia. Continue postando-as mesmo que sejam poucos a virem. É só um momento do blogger, que também me aborrece muito com seus constantes bugs. Entretanto, é justamente por causa de pessoas como vc que não abandono o blog. Recebi seu livro e já li tudo umas 3 vezes. Me embriago com teu natural dom e originalidade.
Parabéns pelo livro e receba meu carinho.
Beijokas e uma linda semana pra vc.

Zélia Guardiano disse...

Muito, muito grata, meu querido Cacá!
Suas palavras tão gentis, tão amigas, falam-me fundo ao coração!Sob pena de parecer menininha birrenta (rsrsrsrsrs), voluntatiosa, que ora quer uma coisa, ora quer outra,já estou ficando propensa a postar coisa nova aqui... O parecer de amigos importantes como você, ajudam-me a raciocinar, a reconsiderar...
Abraço apertado,todo preenchido de reconhecimento!

Zélia Guardiano disse...

Ah, Vitor, meu tão querido amigo...
Como tuas palavras gentis me comovem!
Mexem com a minha estrutura... Reflito: logo agora que consegues chegar, fecho as portas da "loja"?Não!!! Não te farei tamanha desfeita!!!
Volto atrás, reconsidero, ainda que não consiga fazer todas as visitas que gostaria. Confio na solução definitiva do problema...
Forte abraço , entremeado de gratidão!!!

Zélia Guardiano disse...

Lua Nova, minha especial, minha querida amiga... Como deixar de considerar teu comentário? Como passar, indiferente, por cima de tua argumentação gentil? Imagine: compraste o meu livro;leste e gostaste! Leste mais duas vezes... Como, então, privar-te dos poemas novos que estão se acumulando, aqui, num caderninho?
Volto atrás: postarei, agora mesmo, alguma coisa inédita.
Deixo-te, aqui, um abraço bem apertado, todo entremeado de gratidão, por tudo que representas para mim, por tudo que já fizeste por mim e por tudo que fazes agora, ajudando-me a discernir...

Wania Victoria disse...

Zélia, querida!

Isso deve ser temporário, creia. Entendo a tua frustração, nada mais chato que querer deixar um comentário e não conseguir. O Blogger anda com muitos problemas, o meu blog mesmo anda mostrando uma mensagem para alguns amigos que esta infectado com vírus do blog da Libel, de Portugal e eu já fiz de tudo para "limpá-lo" e nada. O próprio Tonho já me disse que não consegue escrever mais nada lá. Isso é triste, ainda mais para nós que nos alimentamos de poesias e comentários amigos.

Espero, de coração, que tudo se resolva rapidinho e que possas continuar nos presenteando com as tuas belas poesias.

Bj grande