Minha lista de blogs

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

MEDOS


São tantos
Os medos
Escondidos
No fundo
Do porão

Vez por outra
Afloram
Dentro de um
Caleidoscópio
Feito só
De cacos
De vidro
Negro

12 comentários:

Fatima disse...

Tb acontece comigo, amiga!
Bjs.

Assis Freitas disse...

"provisoriamente não cantaremos o amor, que se refugiou mais abaixo nos subterrâneos/
cantaremos o medo, nosso pai e companheiro"

Drummond


abraço

Dilmar Gomes disse...

Querida amiga Zélia, o medo; ah, o medo. Houve um tempo em que o medo, vamos dizer, era mais retórico, mas, hoje...
Um grande abraço. Tenhas um bom dia.

Cacá - José Cláudio disse...

"As sementes do medo não brotarão nos teus olhos inocentes,
Nem a noite marcará com tinta opaca teu pequenino coração.
Eu te prometo alcançarmos nossa bandeira, onde nenhum sapato possa alcançar.
E cantaremos canções livres como as borboletas,
Brincaremos com o vento e o arco-íris,
Sem bicho papão ou boi da cara preta." (autor que desconheço)

Zélia, bom dia!
Eu publiquei umas fotos do lançamento de meu livro de crônicas lá no blog, caso queira dar uma espiada depois. Um grande abraço. Paz e bem.

pensandoemfamilia disse...

Medo, esse sentimento que nos assalta da graça da vida. Esondido no porão, vez por outra salta a consciência e nos paralisa.
bjs

CARLA STOPA disse...

Mosaico de cacos negros aflorados...Lindo amiga.

Celso Mendes disse...

são os cacos que nos formam. ainda bem que não somos feitos só dos cacos negros, né?

excelente poema!

beijo.

manuel marques disse...

O mundo dos nossos medos.

Beijo.

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje passando para oferecer o selinho de 2 anos de blogue, que estou comemorando, graças ao vosso carinho e palavras de apoio.

Beijinho com carinho
Sonhadora

Valéria disse...

Oi Zélia!
E quem não os tem?
Os lampejos de medos nos tiram um pouco o colorido da vida, eles vem do fundo e nos leva pra lá.
Beijo carinhoso!

Domingos Barroso disse...

Reflexos da sombra
mas espia que entra
junto uma luz
...

Abraço carinhoso,
elevada poetisa
e minha amiga.

Wilson Torres Nanini disse...

Dependendo do medo, ele pode ser nosso mais fiel alarme.

E como diria um legião, que o medo de ter medo de ter medo não faça nunca da nossa força confusão.

Abraços!