Minha lista de blogs

domingo, 11 de julho de 2010

Cordel da criação do mundo


Por que
Este
Pensamento
Caótico
Amorfo
Nevoento
Vem
Escorrendo
Ao sabor
Do vento
Astral
E
Me persegue
Até
Conseguir
Minha
Captura?

Chega
Esvoaçante
Numa
Espiral
Muito
Confusa

Arvora-se
Em máquina
Do espaço
E do tempo:
Traz
Na bagagem
Uma poeirinha
De Andrômeda
E
Fragmentos
Da galáxia
Dos
Cães de Caça
[Quer ser
Van Gogh
Em
La nuit etoilée]

Carrega
Claridade
De bilhóes
De anos-luz
[Que nenhuma
Complacência
Traduz:
Tudo ofusca

Careço
Apenas
Da
Luminosidade
Tênue
Da chama
De uma vela
Que tremula
Que oscila
Tanto
Quanto
Minha vida]
E um
Primitivo
Átomo
Gigante:
Quer
Que eu
Acredite
Que toda
A criação
Tenha
Consumido
Não mais
Que
Um instante

[Volúvel]
Tenta
Incutir-me
A crença
Na
Possibilidade
De um
Universo
Finito

Finjo
Que acredito

Pego lã
E
Agulhas
Para tecer
[Em tricõ]
Um cachecol
Bem bonito

55 comentários:

Angélica Lins disse...

Bordastes minha tarde com poesia.
Beijo

Rayuela disse...

tejedora de
palabras
reordenando
el
universo


besos*

Marcantonio disse...

Entre o micro e o macro de dois universos,
um brilhante big-bang em versos!

GRANDE abraço, Zélia!

Magnolia disse...

Muito bonito... Beijo Zelia

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Angélica querida, pela visita e pelo comentário!
Vem sempre...
Grande abraço!

Zélia Guardiano disse...

Grata, Rayuela querida, por nunca me deixares aflita, te esperando!
Bela visita, gentil comentário...
Mil besos, amiga!!!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Marcantonio
Você, sempre presente e sempre trazendo palavras de estímulo!
Muito, muito grata, meu amigo!!!
Abraço

Zélia Guardiano disse...

Magnolia!!!
Que bom que vieste e que gostaste!!!
Grata, querida!!!
Enorme abraço

Livinha disse...

Faça um cachecol tão grande
quanto bonito
e nele se enrosque inteirinha
Deixe apenas uma janelinha, para
que os olhos atentos, perceba a
presença do vento.
Ele haverá de chegar, verás teu perfil
embrulhado e não te conseguirá carregar.
Nas mãos segure uma agulha
olhe pra ele e diga:
Venha vento atrevido,
que furarei teu umbigo,
haverás de estourar e o teu ar vai te levar
para além do infinito...

Lindos versos minha amiga,
como uma escada que sobes, acelerada
quão a velocidade do vento, descarregando
preciosas palavras...
Eu adoro ler-te, como gosto
de tua presença amiga, na docilidade
com que deixa as tuas falas...

Linda semana pra ti
Bjs

Livinha

Fernando Campanella disse...

Que coisa linda, hein, Zélia, que final surpreendente, e tão pleno da ocupação, da criação do amor. Inteligentes teus versos, e trazem toda tua simpatia, minha amiga. Grande abraço.

Zélia Guardiano disse...

Livinha querida
Sua presença aqui sempre me encanta!
Você é de uma generosidade sem limite!
tece comentários que me estimulam sobremaneira...
Muito grata, minha grande amiga!
Enorme beijo

Zélia Guardiano disse...

Fernando, meu querido amigo
Que bom que vieste!
É uma alegria tê-lo aqui, com suas palavras tão positivas, tão cheias de carinho!
Fico-lhe imensamente grata...
Enorme abraço!!!

Batom e poesias disse...

Filosofia tão profunda tecida entre duas agulhas... E foi concebida a poesia.

Gostei demais, Zélia.
bjs

Cida disse...

Quando se tem FÉ, é o que nos basta, amiga: apenas a "luminosidade tênue da chama de uma vela".

Beijo grande

Cid@

Tania regina Contreiras disse...

Zélia, e eu que nem sei fingir que acredito num universo finito???
Coisas lindas teus versos, Zélia...Me conta essa fonte que a inspira, porque é forte e vibra.
Beijos,
Tânia

Sylvia Araujo disse...

Ah, que delícia, Zélia. Apesar de todo o conhecimento que buscamos ou nos persegue, é pouco, quase nada o que nos preenche inteiras, né? Coisa linda essas agulhadas à luz de velas!

Beijoca

Osvaldo disse...

Zélia;
E com teu belo tricôt de malhas soltas, cobriste-nos a todos com a ternurenta poesia do teu cachecol feito de doce Cordel ao Luar...
bjs, Zélia.
Osvaldo

Jorge Pimenta disse...

o bing bang na lira do poeta, ou a origem de mim...
um beijinho, doce zélia!

contagotas disse...

Quantas vezes a lã e as agulhas nos afastam as preocupações e nos repõem a tranquilidade!
Beijos, grandes, de novelo!

Zélia Guardiano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gaby Soncini disse...

Que espaço bonito Zélia.
Encantada pelo seu cantinho.

Lindos versos!

Grande Beijo.

Lara Amaral disse...

Ai, Zelinha, que poema à flor da pele, do sentimento. Que coisa bela, minha amiga, vc me emociona tanto com suas palavras.

Grande beijo e abraço apertado!

Zélia Guardiano disse...

Larinha, minha querida
São as palavras de alguém mais ou menos cansada, que precisa de um pretexto para seguir...rs... Mais ou menos isso...
Fico muito feliz com o fato de conseguir emocioná-la...
Enorme abraço, amiga!

Zélia Guardiano disse...

Que bom que vieste e que gostaste, Gaby querida!
Vem sempre...
Grande abraço!

Zélia Guardiano disse...

Contagotas querida!
Um novelo de lã grossa e um par de agulhas número 10(sou preguiçosa...rs...)resgata vida! Até diria vidas...
Grata pela visita!
Beijo, amiga!

Zélia Guardiano disse...

Jorge, meu querido!
Ando pensativa a respeito da "fundação" de todoas nós...rs... Terá sido uma boa? rsrs...
Enorme abraço, meu sempre e bom amigo!!!

mdsol disse...

Mais um ping-pong de palavras que perfazem um jogo cheio de prazer.

:)))

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, querido Osvaldo, mil vezes obrigada, pela sua presença e pelas doces palavras...
Enorme abraço!

Zélia Guardiano disse...

Sylvinha querida
Sua presença é sempre um rico presente!
Suas palavras, um doce deleite...
Grata, amiga!
Beijos

Zélia Guardiano disse...

Tania Regina, minha doce amiga!
Às vezes bate um grilo, não é mesmo?
De onde vim? Por que estou aqui?
Mas o pensamento vai ficando intenso e é melhor deixar pra lá e fazer tricô, que dá mais certo...rsrs...
Você sempre me traz palavras delicadas e lhe sou muito grata por isso...
Beijo, querida!

Zélia Guardiano disse...

mdsol querida
Sou preguiçosa para textos muito palavrosos( existe isso?), embora os admire muito. Então, procuro economizar ao máximo...rs... E sai esse ping-pong a que você se refere...rsrs...
Enorme abraço, minha doce amiga!!!

Zélia Guardiano disse...

Isso mesmo, querida Cida: basta a chama de uma vela... Basta, sim...
Enorme abraço, amiga, todo tecido em fios de gratidão...

Bell disse...

Careço
Apenas
Da
Luminosidade
'...Tênue
Da chama
De uma vela
Que tremula
Que oscila
Tanto
Quanto
Minha vida...'

Adorei esse trecho e penso que é mesmo verdade! Se olharmos para trás veremos que nossa vida oscila em vários momentos, e nos reserva a cada dia muitas surpresas, tornando inusitado cada momento, e nos deixando sem ar e obrigados a acreditar em algo superior para continuar vivendo! Amei...bjO!

Bell disse...

Como faço para te seguir hein moça? Rs.... bjO!

Mariazita disse...

Querida Zélia
Todas as vezes que leio um poema teu fico espantada com a tua mestria a jogar com as palavras.
Este poema tem muito de profundo (a meu ver...) e um final um tanto jocoso para nos fazer sorrir.
Parabéns, amiga. Amei, como sempre.

Uma noite feliz e uma boa semana. Beijinhos

Zélia Guardiano disse...

Muito grata, Bell, pela visita e pelo comentário tão interessante...
Adorei!
Vem sempre...
Enorme abraço!

P.S. O link seguir estava oculto mas já voltou ao normal, felizmente...
Será uma honra muito grande ter você entre os seguidores!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Mariazita querida!
Que bom que vieste!
Fico felicíssima porque gostaste...
Gosto de dar um fecho mais ou menos inesperado aos textos... Um pouco de humor...rs...
Enorme abraço, minha querida!

Fabricante de Sonhos disse...

Um atomo de versos, e você criou um universo poético...

Me inspira...

Um dia, quero saber usar as palavras assim tb...

Um beijo grande!
Tenha uma linda semana!
Milla

Zélia Guardiano disse...

Milla,minha querida!
Quero agradecer-lhe muito pela visita e pelas palavras tão amáveis e elogiosas, demais para mim... Sou simplesmente alguém que inventa versinhos rápidos(tenho preguiça de elaborar escritos mais longos...) rsrsrs...
Enorme abraço, minha linda!

Miltextos disse...

Teus poemas são velas
Na forma e na essência
Inteligência e
intensidade
Parêntesis que se encontram e apertam o mundo e abraçam as palavras com torque e energia
Teus poemas são agulhas - como as tuas, de tricô
Que pontuam tua poesia
Todo dia, todo dia...

Manuela Santos disse...

Zélia,
Tornei-me sua seguidora, mas não tenho aparecido, porque a falta de tempo ultimamente tem sido complicada.
Estou a ler um poema seu pela primeira vez e a forma como toca dilemas tão frequentes no nosso espírito e como traduz isso com aparente facilidade e musicalidade, impressionaram-me. Gostei muito depois do remate afinal. Parabéns.
Beijinhos,
Manuela

Regina Rozenbaum disse...

Zélia, amada!
Vim agradecer sua visita e palavras deixadas lá no Divã e... descubro uma poetisa que com versos sentidos aquece minha alma! Esse tricô vai render muiiito!
Beijuuss ILUMINADOS n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

Esse cachecol tem cor de arcoíris...Zélia!

beijo, pão de queijo, bolo de fubá!

Márcia


Ps: Agora é oficial, olha lá...

http://www.bienaldolivrosp.com.br/A-Bienal-do-Livro/Pre-Lancamento-de-Livros/

AC disse...

Penetrante, com um final muito bem conseguido.
Gostei muito!

Bjs

Zélia Guardiano disse...

Fabricante de sonhos
Fiquei contentíssima com sua visita!
Vem sempre...
Abraço

Zélia Guardiano disse...

Miltextos
Que visita agradável, que palavras estimulantes!
Muito feliz me fizeste!
Vem sempre...
Enorme abraço, todo entremeado de gratidão...

Zélia Guardiano disse...

Manuela
Vens visitar-me e não chegas de mãos vazias: tu me trazes palavras encantadoras!
Muito obrigada, minha querida!
Enorme abraço...

Zélia Guardiano disse...

Marcia Cristina
Sua visita é sempre um encantamento!
Grata, querida!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Grata, Regina querida, pela visita e pelas amáveis palavras que me deixas...
Imenso abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Que bom AC, que vieste e que gostaste...
Então, vem sempre...
Estarei sempre a esperar-te.
Grande abraço, cheio de gratidão!

Mírian Mondon disse...

Zélia, estava tomando banho de chuva no meu blog e vim aqui tomar meu banho de poesia!
Que belo poema e que belo alinhavo entre o seguro e o inseguro, entre o caos e a ordem, entre o subjetivo e o objetivo,entre a vida e a arte! Surpreendente, o fechamento desse poema é singular! Amei até mais não poder!

Andrea de Godoy Neto disse...

Zélia, que lindo esse cordel!!! LIndo, Lindo, Lindo!

universo é esse dentro de ti,
que em vez de poeira,
explode em versos cósmicos!

beijos querida poeta!

Justine disse...

Adorei a ironia! Poesia e ironia: que mais precisamos para enfrentar o mundo?

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Um épico, Zélia.
Continue tricotando versos desse calibre.
Forte abraço.

poetaeusou . . . disse...

*
Enredado fiquei,
nas malhas das tuas palavras !
,
brisas serenas,
,
*