Minha lista de blogs

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

De vez em quando penso


Superar
Limites:
Ir além
[ Nem sempre
Dizer
Amém ]

Mudar
A direção
Da nave
[ Nada
De
Marte:
Saturno
Com seus
Anéis ]

Jamais
Contar
Até dez

Enfrentar
O medo
[ Frio ]
Sem escudo
Sem lança
Sem capa
Sem capuz
[ Sentir
No absinto
O dulçor
Do alcaçuz ]

Saltar
Mais alto
[ Ainda que
Um mero
Ano-luz ]

Sair
[ De vez ]
Do labirinto
Do caracol:
Buscar
O outro lado
Do muro
[ Escuro?
Apagar
A treva
Acender
O sol ]

35 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Olá querida amiga, muito bom o teu poema, como sempre. É isso amiga, não se conformar com as limitações propostas, sub-repticiamente, pelos manipuladores do sistema, mas ao mesmo tempo, não buscar paraísos miraculosos neste mundo, porém, sempre é possível acender um sol para iluminar a bruma quando esta tentar cobrir o nosso espaço.
Um grande abraço.

Ingrid disse...

mudanças e vida nos teus versos simples..
e pensar!..
beijo.

Jorge Pimenta disse...

ora, se esta não é uma ode imensa à vida. para imprimir, recortar e colar na parede do quarto :)
beijinhos, amiga!

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Zelia, amiga!

Morte à rotina, não ao conformismo, fim ao ao caminhar em círculo, chega de sempre dizer amén! E porque não saltar o muro e descobrir o que está do outro lado, ainda que se possa acabar com os joelhos esmurrados e bater com o nariz no chão; Sim, porque não...?

Este poema bem se poderia chamar um hino à metáfora - e lindo como sempre.

Abraço amigo.

Misturação - Ana Karla disse...

Bom dia Zélia!
Passando para apreciar o blog.
Xeros

Glorinha L de Lion disse...

Dói sair da casca, olhar de um outro ângulo, se mexer, remexer, limpar as teias...é duro ser poeta, amiga Zélia. Adoro ler-te! Beijos,

CARLA STOPA disse...

Adorei o teu espaço...Grande abraço.

Cida disse...

Lindo demais este teu pensar, Zélia!

Amiga, obrigada, de coração, por todo o carinho que você deixou no meu espaço (Bruna também agradece).

Que sua vida seja sempre iluminada com as luzes da FÉ e da ESPERANÇA.

Beijo afetuoso

Cid@

Vanessa disse...

Mudança... Foi a primeira palavra que me veio a mente quando iniciei a leitura do seu poema. Ela é urgente... Não dá mais para se acomodar...Lindo poema Zélia... Vamos em busca desse Sol! Abraços

Kimbanda disse...

Hoje aqui bebo o inconformismo.
Saltar do lado escuro da Lua e ganhar luz própria.
Belo e contagiante.

Beijo e kandandos meus.

Mirze Souza disse...

Majestoso poema, Zélia!

Você inicia, com "às vezes penso"...ou de vez em quando. Eu penso, tento, e não consigo. Sei que vai conseguir, porque a vontade é a primeira a impulsionar o desejo.Acendamos o sol, para que sua estrada esteja sempre iluminada!

Beijos, amiga querida e poetisa!

Mirze

Cacá - José Cláudio disse...

Ousar, lutar, buscar. Descontruir refazendo sem medos. Sublime, Zélia! Meu abraço. paz e bem.

Tania regina Contreiras disse...

Querida menina Zélia: mudar, mudar sempre! Não é isso? Como eu também gostaria de juntar-me ao seu som e fazer amanheceres diversos e de versos!
Um poema em pleno movimento!
Beijos,

Machado de Carlos disse...

Superar
Limites:
Ir além
[ Nem sempre
Dizer
Amém ]

Eis uns versos fundamentais e verídicos. Quase sempre quando dizemos amém, queremos concordar com algo que faça a diferença. Aí causamos sofrimentos para nós mesmos.

Excelentes os teus versos!

Katia Cristina disse...

A gente diz amém pensando em não sofrer, mas nos causa a sensação de não ter feito nada.

Concordar é comodo, mas não nos faz bem!
bjs amada!

carlos pereira disse...

Cara amiga Poetisa Zélia;
Belo poema, como sempre; as palavras têm ritmo poético e musical.
Gostei muito.
Um beijo.

Fatima disse...

Eu penso sempre minha amiga!
Bjs.

Assis Freitas disse...

eu pensei numa música do Paul: live and lie die


abraço

Rosemildo Sales Furtado disse...

Superar limites sim, por que não? As mudanças dão um novo tempero à vida.

Beijos,

Furtado.

Domingos Barroso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Domingos Barroso disse...

o teu olhar é capaz
...

Carinhoso abraço,
elevada poetisa
minha amiga

Ana Martins disse...

Boa noite Zélia,
esse é também o meu lema de vida, correr atrás do sonho e lutar por aquilo em que se acredita.

Beijinho,
Ana Martins

A. Reiffer disse...

Teus poemas sempre trazem um ritmo forte e agradável ao mesmo tempo, cujo efeito faz redobrar a profundidade dos versos. Muito bom! Abraços!

Luciana Marinho disse...

estrelas saltam de cada verso... beijos!

Evandro Oliveira disse...

Zélia,
Obrigado pela visita ao sabor da letra.
Que lindo texto...me tocou profundamente.

"Ir além
[ Nem sempre
Dizer
Amém ]"
Isso é exatamente o que estou tentando fazer nesse momento da minha vida, por isso me identifiquei tanto.

Abraços e sempre que possível passa lá no blog.

Toninhobira disse...

Bem que poderia ser : A arte de bem viver de Zelia.Uma verdadeira receita de como se superar e avançar.Dominio,equilibrio e persistencia consciente de seu poder de ser feliz,independente.Muito profundo com toda sua arte para uma bela reflexão.Amei.Meu abraço Zelia.

Mr.Orange disse...

Sempre temos vontade de trocar nossas rotas e de enfrentar nossos medos; afortunados são aqueles que conseguem!
“Sentir/No absinto/O dulçor/Do alcaçuz” essa imagem é FENOMENAL, deu até vontade de roubá-la para mim!
Ótimo texto! E ótimo blog!
Cordialmente. Adriano MB.

Constança Lucas disse...

acender o sol, sempre

tudo é tão rápido

abraços
Constança

emmimumsonhoazul disse...

____________________________________________

...sim! Nossos pensamentos estão sempre nos sugerindo ações que quase nunca são cumpridas...

Bonito e reflexivo o seu poema!

Beijos de luz e o meu carinho...

_________________________________________

Paulo Jorge Dumaresq disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Jorge Dumaresq disse...

Zélia, Zélia, que ritmo agradável você imprimiu a esses versos concisos.
Adorei esses:
"Saltar
Mais alto
[ Ainda que
Um mero
Ano-luz ]".
O estilo faz a poetisa.
É obrigatória a leitura dos seus poemas.
Deveria ser lei.
Forte abraço, querida amiga.

Abraão Vitoriano disse...

quão bonita você é!

suas palavras são feixes de luz em mim!

beijos,
do menino-homem

fique com Deus!

Analuz disse...

Zélia...
Comparo seus poemas com uma cascata caindo suavemente... dá até pra imaginar o barulho...

Beijinho de Luz!

Dilberto L. Rosa disse...

Adorei o "entreversos" "Sentir/ No absinto/ O dulçor/ Do alcaçuz" e "(Saltar Mais alto) Ainda/ que/ Um mero/ Ano-luz": jogos de sons, palavras e imagens ao estilo dos 'hai-kais' orientais numa viagem de coragem pela Poesia! Você, literalmente, não precisa nem de lança, nem de capa, nem de capuz: sua armadura é o peito aberto, minha cara! Abração e parabéns!

AFRICA EM POESIA disse...

ZÈLIA

Obrigada minha amiga
mas Aveiro tem na sua Ria uma beleza ímpar.
não me canso de a fotografar
e de a cantar..

UM BEIJO


NA HORA o pagamento chegou...OBRIGADA: