Minha lista de blogs

sábado, 22 de janeiro de 2011

Transitoriedade


Através
De
Uma folha
De papel
[ Enroscada
No galho
Caído
Na avenida ]
Está dado
O recado:
É vaga
A vida

[De fato:
Mormente
A minha]

Mal
Concluo
O rápido
Pensamento
[ Acima ]
Vem o vento
Forte
[ Ventania ]
E
[ Veloz ]
Carrega
[ Para longe ]
A vã
Filosofia

Fico
[ Por pouco
Tempo ]
Reflexiva
E
Depois
Prossigo
[ Vazia ]
Pela mesma
Via

Pela mesma
Via
[ Vazia ]

41 comentários:

Nadine Granad disse...

Uau!
Sensacional o jogo que fez de sentidos!!!

Adorei!...
E passou, passou... deixando rastros!

Beijos =)

J. disse...

Prosseguimos, todos!

dade amorim disse...

É assim mesmo, Zélia querida, o poema é bem verdadeiro. Ando de férias em lugares às vezes sem conexão. Mas a saudade bate forte, e tento aproveitar as oportunidades.]

Beijo grande e até a volta.

Ingrid disse...

sempre lindo jogo em teus versos..
expressa mais que do que se le!
beijos..

Pâmela Grassi disse...

Zélia,

a vida é um rascunho de um poema, aberta a possibilidades de nos escrevermos.

Beijos,

Fred Caju disse...

Grassi, já falou por mim... Resta, então de deixar uma abraço forte;

manuel marques disse...

A vida quanto mais vazia é, mais pesa ...

Beijinho e bom fim de semana.

Leonardo B. disse...

[Rendido, nesta dança de palavras... solta benção de palavras]

Abracimenso, Amiga Zélia

Leonardo B.

Mirze Souza disse...

Belíssimo, Zélia!

É mesmo vaga a vida e as vias que percorremos. Mas você e sua poesia enchem de vida qualquer folha que acaso voe.

Beijos e aplausos!

Mirze

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema que fala nas entrelinhas...o vazio doi no corpo e na alma...lindo.

Beijinho com carinho
Sonhadora

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Zelia, amiga!

Vento, vida, via, ventania; tudo isto soprado pelo talento da Zelia resultou em linda poesia.

Mas não sei se poesia será remédio para vida vazia...e acho mesmo que quando a vida é cheia não terá muito lugar para poesia.

Abraço amigo; bom fim de semana!
Vitor

Dilmar Gomes disse...

Olá querida amiga, acho que o pior não é o vazio, ou a aparente falta de sentido, que em determinados, se nos apresenta a vida, mas, a angústia resultante desta reflexão.
Um grande abraço.

Valquíria Oliveira Calado disse...

ƸӁƷO Equilíbrio Humano

ƸӁƷ As nossas opiniões são apenas suplementos da nossa existência e na maneira de pensar de uma pessoa pode ver-se o que lhe falta.
...ƸӁƷ Deste modo tudo se equilibra: cada um de nós quer ser completo ou, pelo menos, quer ver-se como tal.
ƸӁƷ Johann Wolfgang von Goethe

ƸӁƷ Deixo um abraço de alegria pra seu fim de semana.ƸӁƷ

ƸӁƷ ƸӁƷ
ƸӁƷ ƸӁƷ ƸӁƷ


ƸӁƷ ƸӁƷ

Priscila Rôde disse...

Nossa, não sei o que comentar mais, Zelia!

Sempre tão maravilhosa!

Assis Freitas disse...

somos pássaros passageiros, só nos resta o canto


abraço

Mr.Orange disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mr.Orange disse...

Minha cara Zélia, é lindo acharmos poesia em toda via que passamos diariamente e que ,apesar do movimento freqüente, ainda se encontram vazias de vida. E o que é a poesia a final, se não colocarmos a vida no vazio da página em branco?
Ótimo texto e ótimo trabalho! Quando tiver um tempo, dê uma passadinha no “Que letra é”.
Atenciosamente. Adriano MB.

Cida disse...

Grande Zélia!
Ficou sensacional, menina. Amei!

Que o seu domingo seja bem feliz.
Jinhos meus

Nadilce Beatriz disse...

Pensamento que o tempo não apaga, mas o vento faz espalhar-se.
Magnífica reflexão.
Bjs
Bom domingo.

Em@ disse...

o jogo repetitivo das palavras, concedeu ritmo ao poema que traduz aquilo que é mesmo a vida.
beijo e um óptimo Domingo.
eu vou votar.

Lara Amaral disse...

A primeira estrofe já me pegou de jeito, e o resto do poema terminou com o ultimato que sentimos quando a vida nos pega desprevenidos.

Demais seu poema!

Beijo.

Marcia disse...

Uma excelente reflexao!
Nas suas poucas palavras encontramos verdadeiro conteúdo...
Beijos minha amiga, feliz domingo e uma semana de muita luz e paz!!

Jorge Pimenta disse...

alegoricamente belo. bravo, amiga!
haja lugar à breve eternidade :)
beijos!
p.s. é por isso que nunca leio bilhetinhos em papel que o vento lance aos meus pés. :)

Domingos Barroso disse...

os últimos pingos de sangue
que caem ao piso nos lembram da dor
...

Elevada poetisa,
minha amiga

carinhoso abraço
pleno de meditação
...

olhodopombo disse...

Magifico, como sempre Zelia.
Respondi seu comentario la no meu blog....

Vanessa disse...

Ui! Acabei de sentir aqui essa ventania!!! Acho que dizia.... Ops! já foi embora.... Agora estou na mesma via que você querida Zélia. Caminhemos juntas e veremos onde essa coisa toda vai dar! =) Adorei seu poema! Abraços!

André disse...

Transitoriedade... eis uma palavra que mobilia os meus pensamentos já de muitos anos, todos os dias. Penso sempre nela quando vejo as fatuidades desse mundo, das pessoas...

Não sei porque, Zélia, mas eu pressenti algo de zen neste vazio que você sentiu. Seus textos acrescentam muito para mim.

Um grande abraço, minha amiga, e boa semana.

André

Adriana Karnal disse...

é a rua, a via. Fia galhos entre as árvores.

Tania regina Contreiras disse...

Pode ser, de fato, vã a filosofia, Zélia, querida...mas a imagem de um papel entregue ao vento é de uma beleza estonteante, porque é uma entrega. Seu poema, como sempre, evoca imagens que guardo na alma. Eles vêm e abrem a porta da memória.
Beijinho,

nacasadorau disse...

Amiga Zélia!

Parabéns pelas palavras assim ditas, nesta forma bela e erudita.
Há aqui uma poetiza cheia que se sente "vazia".

Beijinho

Linda Simões disse...

Zélia,

Num abraço, meu muito obrigada pela presença e pelas palavras.

Òtima reflexão. Está mesmo dado o recado.

Beijos e boa semana.

Toninhobira disse...

Ah, que beleza pode a poesia,que em tudo inspira e tras emoçoes de profundas reflexões.Lindo o jogo com as palavras criando um sentido de um sentimento avassalador.Lindo demais Zelia.Meu abraço de paz.

Cacá - José Cláudio disse...

Se todo suposto vazio humano fosse preenchido assim, que maravilha seria, Zélia! Eu me encanto sempre e mais. Abração. Paz e bem.

Eliane Furtado disse...

Estava com saudade de passar por aqui e ler seus poemas maravilhosos. Estou voltando aos pouquinhos. bjs

ValeriaC disse...

Amei a forma que teceu com palavras seu poema...
Querida tenha uma ótima semana...beijinhos
Valéria

Luciana Marinho disse...

ah... zélia, um lindo dia para você! que beleza de texto... e a nós que somos também a folha, o galho, as vias e as filosofias cabe o despojamento, ser o vento. beijão, querida!

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Zélia, seus poemas existencialistas são o que há.
Adoro a via vazia.
É ótimo para caminhar e pensar na vida.
Já a vida vazia não me apraz.
Geminianos detestam tédio.
Amiga, suas poéticas revelações me comovem.
Abraço grande.

Diana L. Ramos disse...

Adorei este novo poema, que jogo gostoso voce fez com as palavras..parabéns querida. Beijos

Regina Rozenbaum disse...

Zélia amada!
Se desse vazio nos enche a alma com essas palavras que voam...cheia trará o vazio que nada preenche...
Beijuuss, embasbacados por mais esse presente, n.c.

Graça Pereira disse...

Minha Querida
A vida rodopia como essa folha de papel... e eu tenho de procurar mais adjectivos para assinalar a toda poesia que é ÓPTIMA. Surpreendes-me sempre.
Beijo e boa semana.
Graça

Glorinha L de Lion disse...

Oi Zélia querida, tb me sinto assim tantas vezes. Tu és uma mestra na arte de descrever sentimentos, beijos,