Minha lista de blogs

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

É pedir demais?


Tenho
Andado
À procura
De uma
Certa
Paz
Perdida
Sabe-se lá
Onde
E
Exatamente
Quando

[Sei
De gerações
E gerações
Que a
Perseguiram
(Muito antes)
Em vão

Cavaleiros
Missionários
Navegantes
Campearam
Em cada
Lugar
Estação
Ou
Circunstância:
Terra
Mar
Primavera
Verão
Caverna
Civilização

Nas tempestades
Violentas
Nos entardeceres
Violetas

No Guita
No Alcorão]

Sinto-me
Impotente
Ante
O fracasso
Da antiga
Da moderna
Da contemporânea
História

Intimida-me
A inclemência
De cada
Artigo
De cada
Inciso
Ou
Parágrafo
[De todo
E qualquer
Registro da
Memória]

Se
Cada
Página
Se apagasse
Agora
Seria
[Para mim]
A glória

Queria
Recomeçar
Do
Gênesis

68 comentários:

pablorochapoesias.com disse...

É nessa busca constante e sem respostas (APARENTES) que nos fazemos. É nela que você se faz esta grande poetisa que conheci aqui numa passagem que , de certo, se tornará caminho de sempre.

Abraço!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Pablo, querido...
Seja muito, muito bem-vindo!
Que visita simpática e que comentário gentil...
Muito grata!
Venha sempre, mesmo... Aqui tem sua casa!
Grande abraço!!!

Luiza Maciel Nogueira disse...

muito muito bom! Recomeçar, deixar o instante ser serenamente na surpresa de viver! Tudo de bom esse poema!

Bjs

ju rigoni disse...

Zélia, paz é uma palavra tão bonita e tão pequenina, - e apesar disso parece não caber neste mundo onde os sentidos estão perdendo o sentido. Um mundo repleto de mudez, de surdez social. E até o amor vai-se revestindo de estranhos significados.
Muito linda a sua reflexão. E, sim, talvez tenhamos que recomeçar para chegar aonde, há muito, deveríamos ter chegado.

Bjs, poeta, e inté!

Zélia Guardiano disse...

Tuas palavras me fazem muito bem, Luiza!
Grata, querida!!!
Sempre que vens, a alegria vem junto...
Enorme abraço e beijinhos para ti...

Zélia Guardiano disse...

Oh, Ju, minha querida...
Como são sábias as suas palavras!
Que belo comentário me deixas, ele sim ideal para uma profunda reflexão...
Li e reli...
Vou ler mais vezes...
Grata, querida!
Grande abraço!!!

AC disse...

Há muitos "começar de novo", e o seu não seria único. Isso nos leva à tentação do especular, do género: "se pudéssemos voltar atrás, como seria agora o mundo? Será que cometeríamos os mesmos erros?" E por aí adiante...
Gostei muito!

beijo :)

Zélia Guardiano disse...

Oh, AC...
Que bom que vieste e que gostaste...
Sinto-me motivada a continuar...
Gostei demais da reflexão que fazes!
Muito boa a pergunta que fazes: será que cometeríamos os mesmos erros? Hummmmm...rs...
Grata, meu amigo!
Grande abraço!!!

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Essa paz, Zelinha, certamente está dentro de você, na alma.
E com a paz na alma vem a renovação e um novo amanhecer.
Abração, querida amiga.

Fatima disse...

Minha vó falava que quando a gente para de buscar é que chegou a hora de ir embora.
Então, coragem, temos muita procura ainda.
Bjs.

Nilson Barcelli disse...

A paz é um estado praticamente inatingível.
Se não há guerra declarada, ela existe nos bastidores.
Para além disso, não pode haver paz enquanto houver uma criança com fome, sem cuidados de saúde ou sem acesso à educação.

É a primeira vez que a visito. Vim através de um amigo comum (já nem me lembro quem... mas acho que foi através da Ju...). Li todos os poemas visíveis na 1ª página e fiquei maravilhado. Por várias razões, de entre as quais a originalidade do seu estilo poético. Parabéns pela qualidade poética da sua poesia, que é uma constante em cada poema que li.

Um beijo.

contagotas disse...

Recomeçar?!
Porquê?
Perdia-se tanto!
Por favor minha querida continue...

Beijos amigos
MariaIvone

Tania regina Contreiras disse...

Zélia, querida, COMEÇAR DE NOVO é, de toda sorte, o que fazemos sempre e sempre. Deistimos e morremos muitas vezes. Mas, menina, há sempre uma partícula, uma centelha que não se apaga, e a esperança reacende, e começamos novamente. Teus poemas são, tanmtas vezes, essa centelha de esperança que nos fazem recomeçar tão logo terminamos de ler: duvida? :-)
Beijos, querida

Cida disse...

Não, amiga, não é pedir demais!...:)

Mas será que faz-se necessário recomeçar, para ver se a alcançamos?

Afinal, são só 3 letrinhas... porque será que é tão difícil???
Será que ela não escuta a todos que chamam por ela? Será que escuta mas faz "ouvidos de mercador"? Será... será... será...

Será que um dia vamos finalmente conhecê-la?...

Lua Nova disse...

Recomeçar do Gênesis... talvez... talvez fosse a solução... mas sem mudar a natureza do homem...
sei não!!!
Minha querida poetiza que encanta meu coração.
Não há uma vez que eu venha a esse espaço e não saia inebriada de palavras e beleza.
Te desejo um fds tão lindo quanto teus versos e teu estilo especial.
Beijos fraternos.

Zélia Guardiano disse...

Paulo Jorge, meu querido
Você tem sempre a palavra certa no momento exato!
Você não existe, amigo: é ficção... Uma belíssima ficção, criada pela minha necessidade de ter um amigo excelente...
Grata!!!
Grande abraço...

Zélia Guardiano disse...

Fatima!!!
Não brinca, menina...rs...
Então, em frente, marchar!!!
Grande abraço, querida amiga!!!

Gerana Damulakis disse...

Excelente idéia tornada poesia por suas mãos íntimas da arte.

Zélia Guardiano disse...

Seja muito bem-vindo, Nilson! Muito bem-vindo!
Sua visita e seu cmentário muito me alegram...
Venha sempre, que aqui você tem uma extensão de sua casa...
Grata!!!
Abraço

Zélia Guardiano disse...

Maria Ivone, minha querida
Você é demais!
Sempre a me empurrar para a frente...
Grata, amiga!!!
Enorme abraço...

Priscila Rôde disse...

Então recomece bem bonito, do Gênesis.
Um beijo, Zélia e bom FDS!

MOISÉS POETA disse...

zélia !

que texto maravilhoso...!
amei passar por aqui !

um grande beijo pra voce !

Justine disse...

A insatisfação é o motor da nossa vida, verdade?
(enxuta é a TUA poesia, enxuta e despojada e contida, e um lugar imenso de espantos!)
Abraço amigo

Zélia Guardiano disse...

Querida
Tania querida
Tens o dom de, com um comentário, elevar um estado de ânimo, ainda que ele esteja cá, bem embaixo...
Tem sempre palavras, plácidas, benevolentes...
E tenha certeza, querida, acredito em você: me faz muito bem acreditar...
Obrigada, linda amiga!
Beijos

Zélia Guardiano disse...

Ai, Cida, minha amiga
Esta é a questão! Será que um dia? Quando?
Que dia?
Lembro-me de quando meu pai me disse: um dia vou levar você para conhecer o mar... Incontinenti perguntei: Que dia?
Ai, quanto martelei essa pergunta: Pai, que dia o senhor vai me levar para ver o mar?
O dia chegou, depois de muita espera, amiga Cida... Em que pese ter sido num dia cinzento de inverno, meu pai me mostrou o mar... Fiquei tão feliz!
Então, tenhamos esperança...
Aguardemos a paz...
Grata pela amável presença!
Beijos

Zélia Guardiano disse...

Lua Nova, minha especial amiga
Falaste bem : a questão talvez seja a natureza do homem...(Mas não dizem que o homem nasce bom e que o meio o corrompe?)
Mas deixas aí um pensamento em aberto, para reflexão... Maravilha!!!
Quanto às palavras elogiosas que dedicas aos meus versos, só tenho de dizer que elas me fazem muito feliz! Afinal, atualmente a poesia é tida, por mim, como filha, e gosto quando falam bem dela...(Não ficamos felizes quando elogiam nossas crianças?...)
Muito grata, por todas essas delicadezas que me diriges...
Enorme abraço e beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Gerana, minha amiga
Com dez palavras, você me leva ao céu...
Muito, muito grata pela atenção que me dá!
Enorme abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Priscila querida
Grata pela visita e pelo conselho, que vou acatar: começarei do Gênesis... Pronto!
Sua presença aqui é um lindo presente...
Abraço e beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Moisés, grande poeta
Sua visita e sua aprovação fazem-me feliz demais!
Muito grata, meu amigo!
Imenso abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Justine amiga
Que lindas palavras me deixas!
Combustível para novas andanças na senda dos versos...
Muito grata, minha querida!
Enorme abraço!

Ivan Bueno disse...

Bom, bom, muito bom, Zélia.
Reescrever o Gênesis de todos "livros sagrados" talvez pudesse recuperar um pouco da dignidade humana, mas sobretudo divina, que deixa em desuso sua onipotência.
Vale a metáfora para a gênese do início de tudo e vale para o nosso eterno reinventar-se.
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Zélia Guardiano disse...

Oh, Ivan!!!
Que grata surpresa a sua visita!
Maravilha...
Comentário interessante!
Quanta reescritura deveria ser feita...
Grande abraço, meu amigo!

Dilmar Gomes disse...

Amiga, entrei para postar meu comentario, mas o Jorge já grafou o meu pensamento. É isso aí, no entanto, apesar de não conhecer-te pessoalmente, suponho, que tu sejas uma pessoa bem tranquila; pacífica, amorosa; aliás deprende dos teus escritos uma certa aura de paz. Além de tudo isso, tu conduz o leitor a viagens culturais através das palavras.
Em tempo: tu recuperate um termo usado aqui no Sul,sobretudo na campanha gaucha: campear.
Um grande abraço.

Lara Amaral disse...

A calma vem dos que esperam ou dos que correm atrás? Vivo a me perguntar.

Vc me transmite paz, sábia poetisa.

Beijo terno.

Eurico disse...

Tudo o que fabrica a imaginação de um ser humano é único e original. O estilo é algo pessoal e intransferível, amiga.
Por isso foi acertada a tua decisão de publicar os teus escritos.
Deixo-te o meu abraço fraterno.

Jorge Pimenta disse...

querida amiga, sei bem aquilo que persegues e sei bem, também, como é de difícil acesso. não sei mesmo se alguma vez esse infinito poderá vir repousar na mão de quem o procura, mas de uma coisa tenho a certeza: o fim da odisseia está, tantas das vezes, no meio de que nos servimos para a percorrer; a demanda é sempre a chave dos insatisfeitos; antes assim do que rendidos e vencidos a um conformismo que destrói o que de melhor o homem tem e pode dar.
um beijinho, doce zélia!

tonhOliveira disse...



♫ Começaria tudo outra vez
se preciso fosse, querida Zélia... ♪


Lindo!

...

Não é o título de ELEitor Zélia...
Aliás pra que serve mesmo o título de ELEitor?

Ah! ah! ah! ah!

Era para "ti tular" o post!

:)

Marcio Nicolau disse...

Uau, Zélia! O que dizer depois de tão lindas palavras? O que dizer depois do teu comentário carinhoso no InterTextual? Faltam palavras.

Obrigado e parabéns.

Livinha disse...

Teu desejo é o de todos. Virar as páginas do pensamento e esquecer tudo o que já passou, entre os prantos que rolou. Um tipo bater a cabeça ou acordar de um pesadelo e dar-se ao grito de alívio, tipo foi passageiro, acabou.
Nunca será pedir demais. Pedi é um direito, mas a entrega nos é feita peor mensageiros, trazendo um composto de aceitação e acreditar...
Ai minha amiga, sei o que sentes, quando dores do passado judia tanto. Finjo que não me lembro, poupo falar do assunto ou até olhar fotografias, porém as vezes vem um temporal e fico com a casa destelhada, embaixo de intensa chuva...

Tudo haverá de passar...
Pega uma prancha e pula as ondas se possível.

Tuas letras tão prontas, jogadas nas escritas como espirros, ou no bafejar, quando chegam mansas...

Lindo Domingo.

Bjs

Livinha

Zélia Guardiano disse...

Dilmar, meu amigo
Sempre que vens tu me trazes palavras agradáveis!
Muito grata!
É por ter amigos como você que tenho coragem de publicar estes meus versinhos...
Grande abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Muito boa a sua reflexão, Lara querida!
Também tenho a mesma dúvida...
Grata, amiga, pela visita tão simpática e pelo comentário que me enriquece...
Grande abraço e um lindo final de semana, minha especial amiga!!!

Zélia Guardiano disse...

Amigo Eurico
Tens razão: somos todos únicos, originais...
Acho maravilhoso que cada um tenha seu estilo, sua forma de expressar-se... É justamente a diversidade que torna agradável nossa convivência aqui...
Grata, querido, pela visita e pelo comentário!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Jorge, meu querido
Seu comentário é um texto não só lindo, como também importante... Palavra que devem ser lidas com carinho, com atenção... Nada do que você escreve é vão; nem mesmo uma vírgula...
Grata, meu amigo!!!
Grande abraço e um final de semana lindo...

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Tonho, pela visita!
Enganei-me lá no seu blog: o comentário era para o post anterior... Perdoe-me...
Abraço

Zélia Guardiano disse...

Marcio, querido!
Eu, sim, devo agradecer...
Abraço forte, meu amigo!!!

Zélia Guardiano disse...

Querida amiga Livinha
Que maravilha a sua visita!
Você me traz luz!
Deixa um comentário simplesmente lindo!
Muito grata, minha querida!!!
Beijo

Diana Ramos disse...

Ah Zélia,
Dessa vez voce deu um tiro certeiro em meu coração!como também eu gostaria de poder recomeçar ...
Bjs

Luciana Marinho disse...

vamos começar do gênesis já!
de hoje por diante "renascer"!

linda zélia!

beijoca
=)

Zélia Guardiano disse...

Diana, Diana, minha querida amiga!!!
Que bom encontrá-la aqui!!!
Somos parecidas, não?
Sempre soubemos disso...
Muito grata pela sua importante visita!
Enorme abraço e beijinhos, sendo um de cada lado...
[E que seu domingo seja maravilhoso!]

Zélia Guardiano disse...

Combinado, então, Luciana: recomeçar imediatamente! Já é Gênesis outra vez...
Grata, minha linda!
Beijo carinhoso...

Lua Nova disse...

Vim pra te dizer uma coisa: seus comentários no meu e nos blogs que visito, são um retrato de sua alma, grande, sensível, generosa e iluminada. Quando venho aqui, me delicio com seus textos que, sem dúvida, são únicos e especiais. Sou fã babada do seu estilo. Mas adoro ler seus agradecimentos. São uma delícia à parte, pra saborear de sobremesa.
Gosto de vc, Zélia, pela beleza dos teus sentimentos.
Beijos.

Jorge Pimenta disse...

querida amiga, a jb, poeta do "em tons de azul" deixou-me um selo-desafio lá no viagens de luz e sombra. repasso-o a ti e a outros tantos bloguers com quem me identifico, na perspectiva de que nos possamos conhecer melhor. passa lá para conferir e, caso tenhas algum vagar e paciência, sente-te livre para lhe replicares. no que a mim diz respeito, ficaria contentíssimo por saber mais de ti :)
um beijinho!

Rayuela disse...

tu poema de hoy es pura música!

r
e
c
o
m
e
n
c
e
m
o
s
entonces!


mil besos*

Zélia Guardiano disse...

Oh, Rayuela, minha querida!
Sempre que você chega, chega também a solução, caso tenhamos um problema, uma dificuldade...
Haja vista esta sua vinda: tudo resolvido! Pois recomecemos, então: já!!!

Mil besos*

Angelo A. P. Nascimento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Angelo A. P. Nascimento disse...

Obrigado pelo comentário em meu blog! Aproveitando e vindo aqui, vi muitas poesias suas, tão leves, tão claras, que quase embalam a gente. Parabéns pelo que escreve e pelo modo como escreve.
Lindo.
Abraços.
Ps.: A propósito, também adoro "Tabacaria"!

Nadine Granad disse...

... só sei que ler-te traz-me paz!

Beijos... lindo [como sempre!]

Wania disse...

Zélia querida!

Pequenos recomeços nós sempre estamos fazendo, mas sempre fica aquela duvidazinha que nos persegue: se tivesse sido diferente e se escolha fosse outra...

Vamos escrevendo a nossa história, pra trás não se volta, mas temos a chance de recomeçar!

Linda poesia, faz pensar!

Bj grande, amiga!

Andrea de Godoy Neto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andrea de Godoy Neto disse...

querida Zélia, que poema tão lindo e tão profundo.
penso que não podemos apagar as páginas da memória, mas podemos ressignificá-las.
E a paz, ah, essa tão perseguida paz...será que não é justamente por isso que se esconde? E se a deixassemos de persseguir? E se apenas abríssemos os braços para que ela se achegasse?
Se cada pessoa tem em si um mundo, somos a cada dia uma nova gênese do que virá.
E tuas palavras, minha querida, ajudam a ressignificar tanto do nosso caminho...colocando nele mais cores, mais poesia.

beijo enorme em seu coração

Zélia Guardiano disse...

Seja muito bem-vindo, Angelo!
Fico feliz por termos afinidade(Tabacaria...) e por ter você gostado dos meus versinhos... Aliás, também adorei os seus!
Muito gratificante!
Grata, querido!
Forte abraço

Zélia Guardiano disse...

Nadine, minha querida amiga!
Como é bom tê-la aqui e ler seu comentário...
Obrigada, minha linda amiga!
Enorme abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Wania querida
Que lindo ouvir de uma jovem palavras tão sensatas, tão equilibradas , tão sensíveis e lindas!
Você é um encanto!
Grata, minha doce amiga!
Abraço e beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Minha doce Andrea
Receber sua visita é uma festa!
Ler seu comentário é uma benção, pois você me deixa um texto que, além de lindo, merece profunda reflexão. Você não registra uma só palvara que seja vã... Tudo tem um porquê...
Lindo e importante demais!
Muito grata!
Abraço e beijinhos

Pâmela Grassi disse...

Zélia,

Encontro-me nas tuas palavras, pois de retalhos de memória elas são feitas,

um beijo,

Zélia Guardiano disse...

Pâmela, minha querida
Como é bom saber, cada vez mais, que temos afinidades! Já lhe falei sobre isso, em comentário lá no Alinavo de cores...
Muito bom!
Você me alegra sempre, com sua presença!
Grata!!!
Beijos

Assis Freitas disse...

recomeçar do início, do zero, o grau zero da escritura como disse Barthes,

abraço

Helô disse...

Magnífico, mais uma vez!!! Sei que sou suspeita, mas não me canso de dizer o quanto é belo tudo que escreve!!! Mãe, a paz é vc quem faz! Assim, curto e grosso mesmo...todos, ao longo da história, falharam. Talvez por terem procurado em tantos e improváveis lugares, mas deixaram de procurar por perto, nas imediações... dentro de si mesmos. Simples: A paz existe sim, e ela está dentro de nós, e totalmente dependente de nós! Por isso tantas falhas e frustrações...Paz, a gente é quem faz!!! Te amoooooo!!! Milhões de beijos serenos!!