Minha lista de blogs

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Ipê-amarelo em dia ensolarado


Dou
Duas
Voltas
Na chave:
Tranco
A porta
E saio

Deixo
As mazelas
Em casa
[Prisão
De
Segurança
Máxima]

O sol me chama

Chama
Intensa
Alumia
Meu dia
Clareia-me
A vida

Aclara
O resumo
De tudo
Que até
Agora
Tem sido
[Confiro
A embalagem
Leio
No fundo:
Validade
Com prazo
Vencido]

Então
É seguir:
É ir
Ao encontro
Daquilo
Que anseio
[Do que
Sempre
Quis]

Começo
Pelo
Ipê-amarelo
[Na praça
Da esquina]
Condomínio
De colibris

Com eles
Aprendo a
Ser livre
E
A voar
Com leveza

Vou
Subindo:
Nada
Nem ninguém
[Deste mundo]
Me alcança
Me pega

Chego
Ao
Ápex
[Constelação
De Hércules
A 10° S.O.
Da estrela Vega]

60 comentários:

Lua Nova disse...

Que liiiiindo!!!! Me leva!!!!
Adoro o que vc escreve pois sempre me faz sentir mais leve, mais sonhadora, mais feliz.
Obrigada, amiga, por essa sensação deliciosa.
Vc é adorável e isso transparece em sua poesia.
Beijos carinhosos e um abraço bem apertado.

Ana Cavalcantti disse...

Oiiii !!
É isso aí !
Mazelas trancadas e bola frente !
Remoer só aumenta !
Nada como ser livre para evoluir e obter novas conquistas ! Nada nos detem quando queremos ser felizes !
Beijoos

Zélia Guardiano disse...

Oi, Lua Nova querida!
Que visita agradável me fazes!
Que mensagem linda me deixas!
Você, sim, é uma pessoa especial!
Grata, querida.
Imenso abraço

Zélia Guardiano disse...

Olá, Ana!!!
Adorei sua visita!
Demonstra ser você uma pessoa positiva, de bem com a vida... Que bom!
Grata, querida.
Grande abraço!!!

Primeira Pessoa disse...

ou, de quando imagem e poema se casam e são felizes para sempre.

bravo!

Rodrigo Braga disse...

Aprendemos e nos deslumbramos com a vida. Que bom que temos a poesia para eternizar a vida. Que bom que essa poesia seja bem feita e cheia de amarelos de todos os tons.

Linda!

Cristiana Fonseca disse...

Olá Zélia,
Tem duas coisas que o home inventou que são insuperáveis, a escrita e o livro, para guarda-las para sempre.
É gratificante ler-te.
Beijos,
Cris

Zélia Guardiano disse...

Robertíssimo
Se vês felicidade no casamento que urdi, então feliz também fico eu...
Grata, meu querido amigo!
Abraço forte!!!

Zélia Guardiano disse...

Rogrigo, meu querido
Tens razão: é com a vida que aprendemos! E os amarelos, de tons os tons, estão por aí, à nossa espera...
Fico feliz com sua visita e com deu comentário...
Abraço, meu amigo!!!

Zélia Guardiano disse...

Cristiana
Concordo com você, no que diz respeito à escrita e ao livro: não consigo imaginar a vida sem eles...
Quanto ao que diz de meus versos, fico feliz, pois que mais pode alegrar a quem escreve, se não a aprovação daquele que lê?
Muito grata, minha linda!
Beijos

Multiolhares disse...

Quando aprendemos a sonhar, voamos até onde as asas nos deixarem voar
Bj

Zélia Guardiano disse...

Multiolhares, minha querida
Isso mesmo: é preciso voar nas asas do sonho, único meio de transporte que realmente nos leva aonde interessa...
Grata pela visita!
Beijo, querida...

manuel marques disse...

Como sempre lindo.

Beijos meus.

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, meu amigo Manuel!
Sua visita é sempre muito importante...
Grata, querido!
enorme abraço...

Luiza Maciel Nogueira disse...

ao chegar perto, no íntimo, a natureza ressoa em nós.

bjs!

Zélia Guardiano disse...

Luiza
Que bom receber sua visita!
E que bela frase me deixas...
Vem sempre!
Tens aqui lugar cativo...
Beijo, cheio de gratidão...

Fatima disse...

Ah Zélia!
Vc é muito linda mesmo!
Bjs.

Salete Cattae disse...

Que poema lindo, Zélia...e como é lindo o ipê amarelo!!!

Bjs querida.

Zélia Guardiano disse...

E você, querida Fatima, um encanto sem par...
Grata, querida!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Salete
Estou encantada com tua visita!
E com as palavras doces que me deixas...
Vem sempre, querida...
Grata!
Beijo

Tania regina Contreiras disse...

Ah, Zélia, contagiantes a imagem e o poema. E poetizar não é isso também,contagiar? Sou, pois, um ipê amarelo, longe das mazelas trancadas a...sete!...chaves. Lindo, Zélia.
Beijos,
Tânia

Zélia Guardiano disse...

Tania, minha querida
Que bom que vieste, que gostaste e que deixaste este comentário tão lindo!
Muito grata, minha flor de amiga!
Grande abraço e beijinhos...

HSLO disse...

Maravilhoso demais...lindo, e a imagem que bela.

abraços

Hugo

Georgio Rios disse...

Muito bom! Aqui sinto-me a vontade.Ba casa esta. E parabéns pelo poema!

Lara Amaral disse...

Ninguém te segura, estrela Zélia.

Adoro vc, adoro seus poemas!

Beijos.

Zatonio disse...

Zelia, isso aqui é um bálsamo de beleza. Virei "cliente". E obrigado pela visita. Beijo!

Sidney Andrade disse...

Que gostosa coicidência, cara Zélia, também os Ipês me encantam muito. Na minha cidade tem alguns muito bonitos, amarelos e rosas. Gostaria mesmo de ver o branco, que uma grande amiga minha diz ser o mais belo. Agora me lembro que escrevi uma crônicas sobre Ipês há algum tempo lá no DiVAGANTE. Se me permites a indicação: http://sidneyandrade.blogspot.com/2009/11/reparem-nos-ipes.html

Obrigado sempre pelos teus carinhosos comentários no meu blog e por tratar tão bem os meus textos com tua leitura.
Beijo.

Vitor Chuva disse...

Olá Zelia!
Sair do confinamento da casa ao encontro da Natureza alumiada pelo sol ajuda-nos a olhar a vida e nós proprios de uma outra forma; mais aberta, arejada ... e certamente menos carregada.
E a Zélia terá certamente gostado desse passear; consguiu chegar até perto do astro-rei ... instalou-se no meio de estrelas.

E para terminar, se mo autorizar, sugeria-lhe que olhasse de novo a data de validade na tal embalagem; estou em crer que terá lido mal...

Um abraço amigo.
Vitor

Pólen Radioativo disse...

Olá!!!
Leve... leve... leve...

Alguém (não lembro agora quem) disse que "o máximo de segurança é escravidão"...
Então, que venha o amor e a liberdade pra todos nós!!!!

Adorei!
Beijos

R. disse...

...para constatar que, afinal, o prazo de validade é indeterminado :)
Bravo!

Assis Freitas disse...

copiei o endereço - Ápex
[Constelação
De Hércules
A 10° S.O.
Da estrela Vega] e qualquer dia vou para lá, de mala e cuia,

abraço

Cida disse...

E tem coisa melhor do que se sentir livre para seguir o coração, com as faces inundadas pelo sol?

Tem certeza que deixou a porta bem trancada?
Essas mazelas são espertas e ladinas, e às vezes temos que usar também de um cadeado para nos ver livres delas...:)

Seus poemas sempre mexem comigo, amiga, e é por isso que eu gosto tanto desse espaço.

Receba um abraço bem apertado

Cid@

Zélia Guardiano disse...

Hugo, Hugo...
Que bom que vens, meu querido, e me animas, com tuas palavras gentis...
Você talvez não saiba como é importante tua presença aqui...
Grata, amigo!
Forte abraço!!!

Daniela Delias disse...

Adorei o passeio...andei em cada partezinha.
P.S. A melhor parte dele foi a passagem pelo condomínio de colibris! Só você,mesmo! Muito lindo! Bjos!

MOISÉS POETA disse...

QUE DELICIA DE POEMA ... QUE DELICIA DE VIAGEM...!

PRAZER E HONRA ESTAR AQUI PARA LER-TE !

VOLTAREI SEMPRE, UM GRANDE BEIJO!

Fouad Talal disse...

sabe que tenho uma coisa com os cuitelinhos né?
o peito acelera igual a batida de asa deles...
pra variar, vindo de você né Zélia...

bjo!

Zélia Guardiano disse...

Georgio, meu querido
Seja muito bem-vindo!
Sua visita muito me alegra!!!
Volte sempre...
Grata, amigo!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada!
Obrigada!
Obrigada, querida Larinha!
Estrela (de primeira grandeza) és tu, menina...
Tu me trazes luz... Sempre!!!
Beijo e carinho

Zélia Guardiano disse...

Bem-vindo, Zatonio!!!
Muito bem-vindo!!!
Que bom tê-lo aqui...
Também estarei sempre lá!
Grata pelas palavras que me deixa...
Grande abraço

Zélia Guardiano disse...

Olá, Sidney querido
Que bom que estás aqui!
Falas dos ipês. Dizes que gostas deles. Que ouviste falar do branco: pois é realmente maravilhoso!
Vou visitar seu blog, sempre. Tentarei localizar seu escrito acerca das tais flores, tão lindas...
Grata, amigo!
Abraço forte!

Zélia Guardiano disse...

Vitor, Vitor, meu bom amigo!
Estás aqui!
Que bom!!!
Tens razão: sair do confinamento para o contato com a natureza é bom demais...
Um dia florido e ensolarado é a terapia das terapias.
E sou capaz até de concordar contigo: talvez tenha, mesmo, feito leitura errada da embalagem...rs... Vou conferir...rs..
Muito grata pela amável visita!
Enorme abraço...

Zélia Guardiano disse...

Pólen Radioativo, minha querida
É muito bom recebê-la aqui!
Grata pela visita e pelo comentário tão significativo: fez-me pensar!
Fico muito feliz porque você gostou do que viu... Sinto-me imensamente gratificada!!!
Grande abraço, amiga!!!

Zélia Guardiano disse...

R. querida
Bem-vinda, muito bem-vinda!
Adorei sua visita!!!
Grata!
Enorme abraço...

Zélia Guardiano disse...

Assis querido
Quem sabe a gente se encontra por lá...rs...
Grande abraço, meu especial amigo!!!

Zélia Guardiano disse...

Cida, Cida, Cida!!!
Que bom tê-la aqui, de volta...
Você fez muita falta! Muita!!! Talvez nem imagine quanto...
Mas o que importa é que retornou: EBA!!!
Você bem o diz: mazela é coisa perigosa, traiçoeira... É bom, sim, reforçar com um cadeado(dos grandes)...rs...Farei isso, na próxima vez...
Grata, amiga querida, grata!!!
Imenso abraço e beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Oh, Daniela, minha linda
Como fico feliz por você ter gostado dos versinhos! Muito feliz!!!
Se você visse quantos colibris estavam lá... Coisa mais linda!!!
Obrigada, amiga, pela visita!!!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Bem-vindo, Moisés!!!
Bem-vindo!!!
Bem-vindo!!!
Sua visita, sim, é uma honra para mim...
Fico felicíssima com o fato de você ter gostado do espaço e dos versinhos!
Vem sempre, querido: aqui você tem sua casa...
Grande abraço, tecido com fios de gratidão...

Zélia Guardiano disse...

Ai, Fouad, meu amigo
Comigo, o cuitelinho mexe demais, também...
Foi só você falar que o seu coração bate que nem as asinhas dele, que eu também fiquei aflita... Pensei logo no Pena Branca e Chavantinho:

"Cheguei na beira do porto
Onde as onda se espaia
As garça dá meia vorta
E senta na beira da praia
E o cuitelinho não gosta
Que o botão da rosa caia, ai, ai, ai"...

Abração, querido, todo cheio dessa amizade que transborda...

Jorge Pimenta disse...

demorei a chegar, doce amiga, porque assim que descobri os céus e o trilho do sol, não mais quis perder as asas e regressar... :)
um beijinho, zélia!

Diana Ramos disse...

Zélia minha amiga, me leva neste vôo! Deixar as mazelas, sol! ipês amarelos e pásaros! tudo de bom, tudo lindo como seu coração ,onde vejo hoje uma luz diferente.
Fico feliz e doidinha para ir com voce...me leva...vai, por aqui o céu não está ensolarado não. Beijo grande.
Ah, fiquei feliz de te ver lá na Cibele , ela é ótima .

Zélia Guardiano disse...

Ai, Jorge, que lindo!!!
Que bom que estamos neste clima de altos vôos...Parece que os bons ventos andam soprando a nosso favor... Ainda bem!!!
Grata, meu querido, pela gentil visita e pelas doces palavras...
Imenso abraço e beijinhos, sendo um de cada lado...

Zélia Guardiano disse...

Vem comigo, Diana, querida!
Vamos que vamos!!! Vamos fazer altos vôos...
E traz a Cibele também, que, como você diz, é ótima! Claro: sendo sua amiga, só poderia ser...
Fico muito feliz com sua visita, minha linda amiga!
Muito grata!!!
Beijo e carinho...

Rayuela disse...

desde tu estrella mandaste una sonrisa a mi día frío y gris!

besos
querida
amiga
Zélia*

Ribeiro Pedreira disse...

o ipê amarelo se confunde com a luz branca do sol do teu sorriso distante do fardo das mazelas.
bjs!

Wania disse...

Zélia querida!

Nada como deixar pra trás as tristezas e vibrar neste amarelo em busca do sol que brilha dentro de cada um de nós!

Tuas palavras me oxigenaram a alma!
Lindo d++++


Bj grande, minha doce amiga!

Livinha disse...

Lindoooooooooooo minha amiga.
Que espetaculo de travessia.
Deixar tudo para trás, trancar o passado e seguir adiante, sem medo e disposta a travessia.
Esse Ypês amarelos, raios de sol singelos, beijado pelo colibris, que se encantam nas manhãs pelo teu sentir.
Belíssima caminhada, subindo a ledeira, alçanco o voo, entre sonoros chilros da cantoria dos pássaros...

Muita paz pra ti.

Bjs

Livinha

Leca disse...

Um Ipê...
são pedaços de sonhos...
e seu texto...
tão lindo...
beijos
Leca

Marcantonio disse...

Zélia, querida, o seu plano de vôo tem a clareza das emoções positivas e sinceras. No seu poema as próprias palavras são colibris atraídos pela luz do dia e pela doçura da liberdade.

Eu quero também lhe agradecer pelo comentário que muito me emocionou. E achei maravilhosa a expressão 'pluma filosófica'!

Um grande abraço!

Andrea de Godoy Neto disse...

Zélia, quero voar contigo!

beijo

Dilmar Gomes disse...

Eu definiria este poema com poucas palavras: pura magia e encantamento.