Minha lista de blogs

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Hoje não tem poesia


Hoje
Estou
Meio
Parece
Que
Não
Sei
[Alguém

Disse
Isto?]

Meio
Passarinho
Sem pio
Meio
Borboleta
Sem
Asas
Meio
Alamanda
Murcha
Desmaiada
Meio
Piada
Sem
Graça

Se o sol
Aparecesse
Ainda
Poderia
Reverter
[Talvez]
A situação

Mas não...

O céu
É imenso
Rebanho
De
Escuros
Carneiros

Os azuis
Costumeiros
Esses
Renoir
Escondeu
Na sua
Maleta
[Um
Pouquinho
Está
Na paleta]

O amarelo
[Em toda
A gama]
Van Gogh
Gastou
Nos seus
Girassóis
[Sem falar
Na janela
Na toalha
Nos quadros
Na cama...
Nas versões
De seu
Quarto]

Trovões
São
Trombetas
Que dão
O alarma:
Deus
Não quer
Brincadeira

De maneira
Que aqui
Me
Encontro
[Alma
Cinzenta]
Antevendo
Difícil
Trabalho
De parto

Quem sabe
Amanhã...

49 comentários:

Fouad Talal disse...

tirar poesia da não poesia é meio parece que não sei...

se sobrar uma corzinha, lambreca lá no meu blog que tá precisando...rs

bjos Zélia!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Ins-pira-ação que brota quando quer...
;)

[ rod ] ® disse...

Há dias de pouca história, pouco diálogo e muita vida!

Bjs moça.

HSLO disse...

Sempre com bons escritos...

abraços

Hugo

Mírian Mondon disse...

Zelia querida, até sua nao poesia é cheia de poesia...

Que deleite passar por aqui, li os 3 ultimos poemas e fiquei pensando se é justo ter acesso a tanta beleza sem pagar nada... digno é o poeta... Obrigada por compartilhar seu talento conosco.

beijos

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Até quando você não quer, Zélia, faz poesia.
Ontem, hoje, amanhã e sempre terá poesia aqui.
E da boa.
Grato pelos versos.
Forte abraço, querida amiga.

Magnolia disse...

Tem sempre poesia...
Beijo

Tania regina Contreiras disse...

Ô, Zélia, o céu com rebanho de escuros carneiros, Renoir escondendo azuis e Van Gogh gastando amarelos nos girassóis...minha amiga, sua não poesia é toda pulsante de poesia, como que não??? :-)) Beijos, que eu mais uma vez admirei e guardei nas minhas lembranças, para aprender com você, sempre.

Fatima disse...

Tem dias que são assim mesmo!
bjs querida.

Jorge Pimenta disse...

o poema da não poesia é sempre mais que poesia. mesmo que te sintas "meio qualquer coisa", querida amiga! bravo!
um abraço carinhoso!

Lara Amaral disse...

Se estás gasta e escreves assim, nobre poetisa, imagino quando o sol surgir e os girassóis iluminarem novamente sua feição.

Tudo aqui é laranja, mesmo com o céu carregado, carregado de lágrimas.

Beijos.

Rayuela disse...

por
aquí
también
llueve
la
tarde
su
lluvia
amarilla
y
el
silencio
es
azul
[no es
también,
poesía?]

mil besos, amiga poeta*

Mai disse...

Mas o vento, logo muda a direção, dissipa as nuvens, espalha as chuvas e o colorido reabre no céu.

escrever é preciso, querida.


grande abraço

ju rigoni disse...

Tua não poesia revela em cores muito próprias a tua arte; a poeta sensível que és.

Muito lindo, Zélia!

Bjs e inté!

Zélia Guardiano disse...

Ora, Fouad querido
Com o maior prazer eu lhe ofereceria o arco-íris, se o tivesse...
Grata pela visita, meu amigo...
Abraço grande!

Luciana Marinho disse...

zélia é uma flor...
...das mais lindas, das mais naturais.

esse céu carregado de escuros carneiros
choverá esperanças brancas, brancas.

beijoca!!

manuel marques disse...

Passo mas deixo um beijinho.

contagotas disse...

Pois! Quem sabe amanhã não voltarei a ler o excelente poema que hoje nos ofereceu.
Obrigada por assim colorir os nossos dias.

Mil beijos

Livinha disse...

Zélia minha querida.
Teu poema ainda que pense que não
exista, estão aí bem como te descreve,
como uma nobre faxineira, que faxina o tempo,
águas turvas da ribeira, poeira entre beiras,
linhas cinzenta do tempo..
Assim me sinto...
No corpo antes convalescente,
agora alma está doente...

Há uma tentativa de voltar...
Ainda que devagar.
Obrigado pela paciência
pela visita e carinho...

Bjs
Livinha

Zélia Guardiano disse...

Oh, Francisco...
Você me vê com o olhar de amigo: sem filtro...rs...
Grata, querido!
Grande abraço!

Zélia Guardiano disse...

rod!!!
Que bom ter você aqui!!!
Certo: cada dia é um dia, com suas carcterísticas próprias, como seu jeito de vida nova, independente...
Fiquei feliz!
Abração!!!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Hugo, obrigada!
São palavras como as suas que me dão coragem de martelar e depois expor esses versinhos...
Grata!
Abraço, querido!!!

Zélia Guardiano disse...

Amiga Mírian
Sinceramente, querida, fiquei muito, mas muito emocionada com suas palavras!
Durante muitos anos guardei versinhos nas gavetas, uns escritos em caderninhos, outros em guardanapos ou até mesmo em saquinhos de papel de pão...
Esporadicamente publicava algum em antologia, em jornal ou informativo cultural...
Pois bem: inventei este modesto blog { pode observar que não uso nenhum recurso para melhorá-lo: pura ignorância das tecnologias...)e aqui, tenho me realizado, ainda que mantenha o objetivo de publicar em papel... Quero fazer meu livro! Aliás, penso que o dia está perto...
Então Mírian, quando você me fala assim, coisas tão lindas, sinto-me plenamente gratificada e motivada para prosseguir.
É enorme a alegria de poder agradá-la!!!
Grata!!!
Beijo...

Zélia Guardiano disse...

Paulo Jorge
Você nunca chega por chegar... Não! Sua visita é sempre importante e suas palavras me atingem na mosca!
Se , por uma contingência qualquer, me passasse pela cabeça desistir, eu pensaria duas vezes e me diria:" Não posso fazer isso com o meu amigo Paulo Jorge... Entendeu, querido amigo, o seu papel?
Muito, muito grata!!!
Abraço bem apertado!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Magnolia querida, obrigada!!!
Muito me alegra sua visita...
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Tania Regina, minha doce amiga
Alinho a generosidade entre suas qualidades que, já pude observar, são tantas!
Cada vez que vem, traz palavras de apoio, de incentivo, de aprovação... Você, sensível como é, sabe da importância deste tipo de impulso...
Então, quero registrar aqui a enorme gratidão que sinto por você!
Grande abraço, querida!!!

Zélia Guardiano disse...

Verdade, Fatima!
Um dia é um dia, outro dia é outro dia...
Abração, querida!

Zélia Guardiano disse...

Obrigadíssima, meu querido, doce, especial amigo Jorge!
Forte abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Larinha, meu anjo!
É com lentes especiais que vês o trabalho dos amigos: já observei isso. Lentes que produzem efeitos especiais...
Grata, grande poeta e doce amiga!!!

Zélia Guardiano disse...

É poesia, sim, Rayuela, e da melhor qualidade!
Também, só se não fosse de minha amiga, essa grande poeta!
Enorme abraço, querida! E mil besos também...*

Zélia Guardiano disse...

Mai!!!
Que bom recebê-la!
E dizes a verdade, fazendo-me pensar na transitoriedade de todas as coisas e situações...
Grata , querida!
Grande abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Ju, querida
Receber tua visita e ouvir tuas palavras, muito me alegra!
Por seres a poeta que és, ao serem colocados na balança os teus comentários, eles pesam...
Grata, querida!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Flor, és tu, Luciana querida!!!
Tens sempre , um olhar generoso, uma palavra doce...
Grata, amiga!
Beijo

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, amigo Manuel!
Vem sempre...
Abraço

Zélia Guardiano disse...

Oh, Contagotas querida!
Quem sabe amanhã o céu se abre num lindo colorido, os pássaros piem, a alamanda se refaça, uma nova piada tenha graça e alguns versos surjam...
Venha, minha querida, conferir...:)))
Beijos, amiga!

Justine disse...

Sabes que és uma grande poetisa, não sabes?? Encantam-me os teus versos curtos, incisivos, cheios de ironia e muita, muita sensibilidade!
(Os Gémeos Pandolfo são teus conterrâneos - não viste nada deles por aí?)

Rodrigo Braga disse...

"O céu
É imenso
Rebanho
De
Escuros
Carneiros"

O que posso dizer é que nem precisa olhar bem para ver que o seu cinza é repleto de cores.

Bjos!

Zélia Guardiano disse...

Livinha, minha querida
Não quero você assim... Ânimo, coragem, força! Tudo isso você tem de sobra...Volta, porque você faz muita, muita falta!!!
Grata, minha linda, pela amável visita...
Enorme beijo, repleto de pensamento positivo!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Rodrigo, meu querido amigo!
Todas as cores moram no teu olhar, este olhar especial de quem sabe das coisas da alma...
Você é demais...
Grande abraço!!!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, mil vezes, amiga Justine!
Fico muito feliz porque gostas das carcterísticas dos meus escritos! Tua opinião muito me importa...
Beijos, querida!

PS-Sei, sim, que são meus conterrâneos, já vi seu trabalho através da mídia, mas nada assim, como tu viste...

Assis Freitas disse...

O amanhã é tão distante, leio a poesia do hoje,


abraço

Gerana Damulakis disse...

A crônica é um gênero literário muito afeito aos estados de espírito de Cronos, seu chefe. Interessante é que crônicas maravilhosas partiram exatamente da queixa de seus cronistas quanto ao fato de estarem sem assunto, ou sem vontade de escrever em determinado dia.
Lembrei disso porque, tal como os cronistas, vc começou anunciando, no título, que não haveria poesia e tudo resultou em poesia.

São disse...

Pela primeira vez, encontro quem dispõe o poema como eu, que interessante.

Um feliz final de semana.

Zélia Guardiano disse...

Certo, Assis! Não se deixa para amanhã o que se pode ler hoje... Afinal, o futuro a Deus pertence...
Abração, meu amigo!!!

Zélia Guardiano disse...

Realmente, isso acontece com frequência...Já
li muitas crônicas escritas nesta circunstância: parece que o outor começa enchendo linguiça e depois, toma pé e dá conta do recado...rs... E como você diz, muita vez o resultado é excelente...
Grata, muito grata, Gerana!
Grande abraço!

Zélia Guardiano disse...

Realmente, São...
Visitei teu blog( que me encantou) e pude verificar o que dizes... Interessante mesmo!!!
Grata pela visita.
Grande abraço!

Helô disse...

ENCANTADA!! Estou vibrando com essa poesia!! Fiz dela uma tela, mas não de Van Gogh ou Renoir, mas uma tela sua, onde todo drama e emoção estão presentes!!! Mesmo com um céu feito de escuros carneiros, vejo nele nossa nuvem de tempestade: Simba, eterno amor!!! Fiquei imaginando esse poema hoje antes de dormir. E o resultado??? Uma ótima noite com lindos sonhos!!! Parabéns mãe!!! Tenho muito orgulho de ti!! Te amooo!!! Beijos coloridos!!

Lua Nova disse...

Absolutamente adorável. Mas a estrofe que mais gostei foi :
Meio
Passarinho
Sem pio
Meio
Borboleta
Sem
Asas
Meio
Alamanda
Murcha
Desmaiada
Meio
Piada
Sem
Graça

Lindo isso, exatamente como a gente se sente em determinados dias, sem quê nem porquê...
Cada vez que venho, tenho vontade de levar tudo pro meu blog branco, mas tenho que me controlar senão vou fazer uma "filial" do seu blog... rsrsrsr
Uma linda semana, querida, cheia de inspiração e alegria.
Beijos.

Andrea de Godoy Neto disse...

Zélia, querida, este teu "assim, meio que não sei" é de uma sabedoria e inspiração imensa.
Só uma grande poeta para fazer poesia da não poesia...

beijo imenso, iluminada amiga!