Minha lista de blogs

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Jasmim-manga


Quatro horas:
Sorveteria
Da esquina
Da praça
[Eu sozinha]

A mesma
Mesa
[Do canto]
O mesmo
Cardápio
A escolha
De sempre:
Duas bolas
De creme
Uma de
Chocolate
Muita
Calda
[Agora
Tudo
Diet]

Ocupo
O tempo
De espera:
Observo

Defronte
A fonte
[Outrora
Luminosa
Agora
Treva]

A mulher
Leva
A criança
Pela mão:
Choro
E ranger
De dentes
[O menino
Quer ficar]

O carro
De som
[Ensurdecedor]
Manda
Comprar
Geladeira
E TV de plasma

O mendigo
Quer esmola:
Tem pressa
[Abrevia
A história
E
Suprime
Aquela parte
Que diz
Pelo amor
De Deus]

O bilheteiro
Insiste
Na oferta:
Leva
Leva
Um pedaço
Da vaca

Sorte!
Um lenitivo:
O jasmim-manga

Há o jasmim-manga!

Ah
O jasmim-manga...

O jasmim-manga
[A despeito
Das
Cicatrizes
Do caule]
Sabe mexer
Comigo
Assim
Florido
Desde
O princípio
Das eras
[Caso
Inédito:
Floração
Perene]

Pela calçada
Passa
Muita gente
[Não
Conheço
Ninguém

Bom
Era quando
Eu respondia:
Boa tarde
Dona Cecília
Boa tarde
Seu Tomé
Boa tarde
Irene]

Agora
A polícia
Tocando
Sirene

Chega
A minha
Taça:
Ai
parece que
Não tem
Mais graça

[Se não fosse
O jasmim-manga...]

52 comentários:

Chica disse...

Tua sensibilidade é demais de linda!Adorei e ainda bem que sobrou o jasmim manga...beijos,chica

Carla Farinazzi disse...

Zélia, querida

Uma planta é capaz de mudar qualquer perspectiva, basta que a enxerguemos.
Texto lindo, e a imagem do jasmim-manga pra iniciar o dia...

Um beijo

Carla

Cris de Souza disse...

o jasmim dá pano pra manga...

beijo, passarinha!

Dilmar Gomes disse...

Olá grande amiga Zélia; que beleza de cronica poética!
Eu amo essa maneira de poetar. Gosto demais de sentir esse olhar do poeta sensível sobre o cotidiano, transcrito e ofertado a nós, que amamos a boa poesia.

Fatima disse...

Uma lindeza minha flor!
Bjs.

Misturação - Ana Karla disse...

Bom dia Zélia!

A agressão aos nossos olhos e ouvidos são demais, ainda bem que essa flor tem a lindeza de cobrir tudo.

Boa semana.

Xeros

Cacá disse...

Ainda resta alguma referência. Isso para quem acostumou-se com a contamplação e com a coletividade fervilhando em vida comunitária faz muita falta. Eu me sinto , às vezes, um intruso na cidade grande. Belo, Zélia, muito belo! Abraços. Paz e bem.

Assis Freitas disse...

breve iluminação do cotidiano,


abraço

Eliane Furtado disse...

Bom ficar observando tudo ao redor. Gostinho de vida.
Adoro sorvetes. Jasmim Manga...que bela foto.

Diana Ramos disse...

Amiga, assim que vi o título vim correndo ler seu presente para nós hoje ! Amo demais os jasmins,mas tenho uma " queda" por esta espécie que sempre me encanta seja em sua floração ou na sua fase nua em que vemos seus galhos como que pequenos braços tentando abarcar o espaço em volta.
Sua poesia retrata com crua beleza o que vemos no dia-a-dia. Amei! Beijos de gratidão

Domingos Barroso disse...

Ah, adorável (adorável, adorável, adorável)
poetisa elevada e minha amiga
...

(adorável!)

Vieira Calado disse...

Uma bela resenha sobre o quotidiano!

Gostei.

Saudações poéticas

MariaIvone disse...

Zélia, você é extraordinária! Que bom tê-la encontrado neste sítio da blogosfera em hora de ponta permanente. Foi uma sorte!
Assim, sempre posso passar um pouco da tarde, na sorveteria da esquina da praça, em sua companhia. E aí, nem será preciso o jasmim-manga! :))

Abraços

mundo azul disse...

________________________________________


Realmente, o tempo vai desbotando as cores...

Seu poema é uma jóia, Zélia! Versa o cotidiano de uma maneira real e ao mesmo tempo encantadora...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

_______________________________________

Justine disse...

E de repente, uma vontade enorme de viver um pouco do quotidiano do teu Brasil! Que magnífico retrato!

dade amorim disse...

A visão dessa árvore florida é uma epifania, Zélia. Tive uma delas no jardim de minha antiga casa. As flores ficavam diante da janela do segundo piso. Era uma festa.
O sentido desse poema perfeito me fez pensar: parece que as pessoas estão perdendo o que faz tanto bem à saúde do espírito e do corpo também, e o bom convivio está cada vez mais raro. Será qe a salvação vai ficar por conta do reino vegetal?

Beijo, querida.

manuel marques disse...

óptima observadora...

Beijinho.

Solfejando poesia disse...

Ah... os tempos hipermodernos...
Querida...
tudo tao límpido nas suas palavras... o cotidiano em vc é transformado num jasmim-manga... a beleza supreende com sua simplicidade...
Lindo, senti-me enternecida!

beijos da Álly

carlos pereira disse...

Cara Zélia;
Que bela contemplação do quotidiano urbano, numa manifestação poética carregada de ternura.
Gostei muito deste poema.
Um beijo.

Rayuela disse...

con tu contemplación de la urbanidad y del paso del tiempo me llenaste de saudades.
lo único que no es efímero es el jazmín, por suerte...

tu poema es tan visual,querida Zélia,que me vi sentada en la heladería, viéndolo todo!

mil besos*

Dario B. disse...

Tenho lido seus comentários em vários blogs, temos amigos em comum, mas eu nunca ousara passar por aqui antes. Hj uma coisa que vc escreveu no blog da Rossana me fez vencer a resistencia. O carinho com que falou sobre seu blog: "Se não fosse esta abençoada blogosfera, o meu abençoado blog[modesto mas abençoado]". Esse carinho não podia ser em vão e me fez vir aqui, e me arrependi de não ter vindo antes. Um abraço, te sigo.

Ingrid disse...

Lindo Zélia,
Um sorver de sabores e belezas no cotidiano de apenas um sorvete..
beijinho.

Mirze Souza disse...

Maravilha, Zélia!

Comoveu-me a parte onde o mendigo, com pressa suprime a súplica.

Um cotidiano muito iluminado!

Beijos

Mirze

Katia Cristina disse...

Momento único na nossa mente em meio a cenas cotidianas.
Estar sozinho na multidão!
Adorei!
Se minha interpretação estiver errada, pf, me corrija!

Helô G.K. disse...

Mama, está tudo tão lindo, que nem vou me atrever a fazer um comentário mais rebuscado! Seria em vão e, mesmo que eu me esforçasse, não sairia nada à altura do que merece seu blog!! Estou em falta nos comentários, mas atenta a tudo!!! Amooooooo seus versos, só não mais do que amo a senhora!!! Milhões de beijoooooos!!!

poetaeusou . . . disse...

*
Jasmim-manga ?
o meu quotidiano,
limita-se ao frutó-chocolate,
sou um infeliz !
,
conchinhas,
,
*

Samuel Pimenta disse...

Um muito obrigado pelas palavras que me deixou no "Linhas", Zélia! É sempre óptimo saber que tenho mais uma pessoa que acompanha as minhas publicações, melhor ainda, sendo do outro lado do Oceano (se tinha um carinho especial pelo Brasil, agora tenho ainda mais). É extraordinária a força das Letras, das palavras, levando-nos a criar laços e um sentir em comum.
Como é óbvio, vou seguir o seu blog também, fiquei encantado com a sua sensibilidade.

Tudo de bom,

Samuel Pimenta.

Luiz Neves de Castro disse...

Só muita sensibilidade para transformar a banalidade cotidiana em prosa poética. Zélia, que sua inspiração seja como a floração do jasmim-manga: perene. Um afetuoso abraço da Egrégora: Carrancas Literárias

Janaina Cruz disse...

O modo como descreves as pequenas grandes coisas da vida é divino...

Multiolhares disse...

Nós continuamos os mesmos no entanto as pessoas estão distantes cada vez mais impessoais, vale-nos o jasmim-manga que florescem da mesma forma
Bjs

JB disse...

Olhar atento, um dia de entre muitos que nos parecem sempre iguais, mas por vezes paramos no tempo e VEMOS com outros olhos, hoje com olhos de poesia!

E o pulsar do coração marca o seu ritmo!

beijinho

Toninhobira disse...

Maravilhoso olhar sobre o cotidiano, olhos sensiveis que captam cada movimento e os transforma em lembranças que devolve os bons tempos de uma feliz historia.Linda esta sensibilidade que faz criar coisas belas.Meu abraço de paz Zelia.

Maria Rita disse...

Lindo post! Ao lê-lo me lembrei de uma frase que disse recentemente..."Cada vez que vejo tantas 'notícias' nos jornais mais percebo o quanto temos a aprender com os animais!"

As vezes me pergunto como vim parar em um planeta onde parece não comportar a sensibilidade. É quando visito lugares como este que vejo que ainda temos flores neste grande jardim.

Beijos pra Ti

Eigi disse...

LANCHONETE CRISTAL
CINE OURINHOS
VITAMINA COM LEITE
QUE LUXURIA
ZÉ GARRAFA
DORMIR PRÁ SONHAR COM BICHOS
JOGO DO BICHO
BAR DO PEDRINHO
MY SWEET LORD

Fernanda disse...

Uma bela imagem de cores, sabores e gente de um país que ainda não conheço mas que adivinho, por tudo o que leio dos Blogs dos amigos brasileiros, ser mesmo maravilhoso.

Abraço

Mimo Chic disse...

Nossa querida, que o jasmim se mantenha intacto...
bjs no coracao
Lulu & sol

Pedrasnuas disse...

UM JASMIM- MANGA PARA ALIGEIRAR AS IMAGENS DEPRIMENTES DO QUOTIDIANO...

BEIJINHOS

Luiza Maciel Nogueira disse...

Tudo gira ao redor de algo, o foco eh na planta, linda poesia que mostra o quanto se foca em algo distante, com afeto. Beijo!

mdsol disse...

O quotidiano saltitando na esquina das palavras redondas.

Beijinho de jasmim-manga
:)))

Valéria Sorohan disse...

Um simples ato de esperar um sorvete, para uma observadora não é apenas esperar o sorvete. São momentos mágicos.

BeijooO'

Azlin disse...

fazia tempo que não te visitava...pra variar, é sempre uma emoção entrar aqui...adoro jasmin-manga, qdo cça fazia catavento das flores q encontrava caidas no chão...ainda hoje o mesmo pé na rua de casa, continua florindo e perfumando a rua...que bom q eles existem e tbem a poesia que nos ajuda a olhar e sentir a vida de forma aveludada, mesmo com a aspareza cotidiana...

flores e cores!

Vitor Chuva disse...

Olá, Zelia, amiga minha!

Há dias assim, em que escolhemos o lado contemplativo da vida; quando é pouco aquilo que nos ocupa o tempo e muito o tempo que nos sobra para fazermos o inventário daquilo que à nossa volta vai acontecendo. Então, inventariamos o que existe, e o que deixou de existir... e, que, curiosamente, é o que em nós, às vezes, está mais presente.
E então, balanço feito,e como consolação, lá nos vamos agarrar àquilo que sempre existiu, e ainda existe,e nos enche a alma; afinal, nem tudo se perdeu...

Abraço amigo.
Vitor

Linda Simões disse...

Fantástico o teu jardim manga!

beijinhos de boa semana,

Linda Simões

Linda Simões disse...

Ops!


jasmim- mangaaaa!


rsrsrs



Um abraço de continuação de boa semana

Mariazita disse...

Minha querida... estou maravilhada.
Vc tem o condão de prender a nossa atenção de tal modo que a seguimos de olhos fechados, sem mesmo pensar para onde nos leva.
Consegui seguir o seu olhar e "ver" tudo que vc viu, a partir da gelataria.
Adorei!

Agora, se vc me dá licença,convido-a a visitar o HISTÓRIAS para ver a última novidade...

Continuação de boa semana. Beijinhos

Livinha disse...

Bem cotidiano tua descrição minha querida.
proprio da vida onde o mundo sem querer acaba aderindo.
Em instante você desnhou uma paisagem e me fez estar por lá contigo a fazer parte, testemunhando, chorando e sorrindo...

Eu me encanto com essa estrada que narras, tão bela e tão pronta cheinha de razão.

Linda noite pra ti

Bjs

Livinha

Em@ disse...

ai Zélia, Zélia, Zélia que bonita maneira de descrever o quotidiano.
pena eu não conhecer o jasmim-manga. gostava de lhe sentir o cheiro...
beijo no coração.

sinfonia disse...

Através da poesia se pode dissecar a vida...
E você fá-lo muito bem.
É sempre um prazer chegar aqui.
Meu beijo./Irene

Lua Nova disse...

Estava com muita saudade das tuas palavras, dos teus textos encantadores e envolventes.
Bom saber que a floração do jasmim-manga é perene. Quem dera toda beleza o fosse.
As cicatrizes em seu caule são marcas de resistência... como as nossas...
Saudades de vc, minha querida.
Beijokas.

Tania regina Contreiras disse...

Passando pra te deixar um beijo, Zélia. E constatando mais uma vez que nada na vida é banal, nada é trivial, quando você toca!

beijão, querida...

Nadine Granad disse...

Adorei poder olhar pela mesma janela ;)

Salva pelo jasmim...


Beijos =)

Primeira Pessoa disse...

ou, de quando um poema é uma bela crônica.
poética.