Minha lista de blogs

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Brincadeira



Pequenino
Raio de sol
Pára ao lado
Do riacho amigo
E
[Alegrinho]
Diz:
Brinca comigo

-Claro!
Dá-me tua mão

Felizes
Começam
O folguedo:
Arco-íris

54 comentários:

Batom e poesias disse...

Menina, você não dorme? Esses poetas notívagos...
Até nas brincadeiras suas palavras são sempre quentes.
Um poema matutino e lindo.
Beijos!

Rossana

Zélia Guardiano disse...

Oh, Rossana querida!
A terceira idade costuma brindar-nos com uma certa insônia... Como preencher as noites? rs...
Lápis e papel na mesinha de cabeceira...rs...
Grata, amiga, pela visita tão amável!
Beijos!

Dilmar Gomes disse...

Amiga Zelia, o seu poema é uma celebração aos momentos mágicos da vida.
Um grande abraço.

Assis Freitas disse...

no regato, um recanto de alegria


abraço

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, querido Dilmar
É preciso aproveitar os pequenos acontecidos como matéria-prima...
Grata, amigo!
Abraço bem forte!

Zélia Guardiano disse...

Assis querido
Regato e raio de sol de mãos dadas, convidam para uma ciranda, não é mesmo?
Abraço apertado!

Cida disse...

Também eu quero entrar nesta brincadeira colorida!...:)

Obrigada, amiga, por todo o carinho que sempre deixa lá no meu espaço.

Beijo grande, e tenha uma semana de Luz e Paz.

Cid@

Domingos Barroso disse...

lembrei-me do meu pequeno
(tem oito anos) e certamente
vai adorar esta cintilante
"brincadeira"
...

Nem estranharei se ele
correr atrás do arco-íris
com a sua flauta doce
...


Minha amiga,
um terno abraço.

Mirze Souza disse...

Esses raios de sol, adoram brincar.

Lindo esse "folguedo" com o arco-íris.

Beijos

Mirze

Valéria Sorohan disse...

Gostei! Nas artimanhas do Sol sempre se esconde uma grande alegria.

BeijooO*

Vitor Chuva disse...

Olá, Zelia!

Então, faz-se assim:

- Pegamos num raio de sol e numas gotículas de água; depois junta-se a inspiração e talento da Zelia ... e temos um bonito arco-íris sob a forma de poema: receita fácil, não custa nada; basta ter o dom natural para a poesia.

Abraço amigo.
vitor

Zélia Guardiano disse...

Amiga Cida
É preciso que todos brinquemos um pouco! A vida é muito difícil e, mais difícil ainda se a levamos com muita seriedade, com seriedade exagerada... Temos de ser crianças, de vez em quando.
Adorei a carinhosa visita, querida!
Beijo!

manuel marques disse...

No fim do arco íris não existe um pote de ouro, mas sim a sua simplicidade e essa maneira tão linda de escrever.

Beijos meus.

Zélia Guardiano disse...

Domingos, meu querido amigo
De vez em quando escrevo uns versinhos pensando mais nas crianças.
Sou professora aposentada e, durante muitos anos trabalhei com os pequeninos. Alfabetizei por doze anos seguidos ( depois , passei para outra clientela)... Então, esse interesse não acaba nunca.
Tomara que seu filhinho goste! Se correr atrás do arco-íris, então, com sua flauta... Ai, vou me desmanchar em lágimas de felicidade...rs...
Abraço forte, querido!

Zélia Guardiano disse...

Singelo demais, mas feito em atenção a um pedido do arco-íris lindo, lindo, que pude ver ontem, daqui da minha janela...
Grata, Mirze querida!
Beijo!

Zélia Guardiano disse...

Valéria querida!
Tens razão: o sol é artimanhoso... Principalmente depois de esconder-se por uns dias, atrás das nuvens chuvosas... Quando retorna, vem saliente...
Grata pela gentil visita, amiga!

Cacá disse...

O que mais me encanta nos poetas é essa capacidde de pegar um raiozinho de sol e fazer dele um arco iris multicolorido a ponto de extasiar a gente. Lindo, Zélia1 Abraços. Paz e bem.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Vitor, Vitor, meu querido !
Deixas-me tão emocionada com essa tua receita! Palavra doces , suaves...
Muito grata, amigo!
Forte abraço.

Zélia Guardiano disse...

Querido Manuel
As palavras que me deixas são traçadas com fios de ouro, que reaproveitarei: com eles tecerei os próximos versinhos...
Muito, muito grata, querido, pela amável presença!
Abraço paertado!

Zélia Guardiano disse...

Ah, Cacá, meu querido...
Dá gosto escrever para você!
Pois tome este arco-íris: ele é todo seu!
Grande abraço, querido!

mdsol disse...

Está aí tudo para que a brincadeira seja boa. Faz de conta, faz de cor, faz de arco-íris, faz de arco-da-velha
Coisas do arco-da-velha!

Beijinho e força nesse segundo turno.

:))

Michele P. disse...

Zélia

Encanta-me quando escreves estes poemas sensoriais.

Um abraço!

Luiza Maciel Nogueira disse...

muito lindinho Zélia, esse encontro entre as cores - belo!

beijo

Rodrigo Braga disse...

Com uma doçura ímpar nos entrega um poema que é tal qual um pedacinho de chocolate.

Fica o gosto de quero mais!

Zélia Guardiano disse...

Mdsol, querida!
É bom brincar!
Fico feliz vendo-a brincar...
Agora, o segundo-turno não vai ser brincadeira: Ai... Que medo!...rs...
Abraço e beijinhos, minha amiga!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Michele, querida!
Fico muito feliz por isso!
Muito!
Obrigada, amiga!
Beijos

Zélia Guardiano disse...

Querida Luiza
Que bom que você gostou!
Fico muito contente!
Grata, minha amiga!
Beijinhos...

Zélia Guardiano disse...

Oh, Rodrigo, meu querido amigo e grande compositor!
Tens sempre uma palavra doce para mim... Então, faço uns versinhos assim, na tentativa de retribuir...
Grande abraço!!!

Rayuela disse...

y el
arco iris
trazó
un
puente
para jugar
amarelinha
1/
2/
3/
CIELO*

besos,Zélia!

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Zélia
Quase infantil, por isso mesmo lindo.
Bjux

Flávio Morgado disse...

Singelo, como deve ser. Muito bonito.

F.M.

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Singelo e alegre.
Bem ao seu feitio, Zélia.
Vamos brincar de colorir o mundo.
Abração, querida amiga.

Fatima disse...

Vc sempre tão linda minha amiga!
Bjs.

Livinha disse...

A guerra, a princípio, é a esperança de que a gente vai se dar bem; em seguida, é a expectativa de que o outro vai se ferrar; depois, a satisfação de ver que o outro não se deu bem; e finalmente, a surpresa de ver que todo mundo se ferrou. (Karl Kraus)


"A poesia é o eco da melodia no universo do coração dos humanos." (Rabindranath Tagore)

Obrigada sempre pelo seu
carinho...
Perdoe-me o silêncio...

Livinha

Cris de Souza disse...

Você pinta e borda com tanta leveza, ler-te é um remanso para todas as horas.

Beijo, passarinha!

Cris de Souza disse...

Em tempo, esse teu auto-retrato é o máximo!

Lua Nova disse...

É com a luz das tuas palavras e com as lágrimas das minhas chuvas que faço um arco-íris dentro de mim... Como é bom ler tua doçura.
Beijokas.

Jorge Pimenta disse...

como a singeleza poética pode ser arrebatadora!
invocas a inocência pueril d jogooss de esconde-esconde, macaca ou pião e, com isso, teletransportas-nos para outra dimensão.
um beijinho!

Zélia Guardiano disse...

Rayuela querida
Penso que, em verdade, ainda somos duas crianças...rs...
Maravilhosa sua visita, amiga !!!
Mil besos...

Zélia Guardiano disse...

Amigo Wanderley
Há, dentro de cada um de nós , uma criança que, vez por outra, quer dizer algo...
Grata, meu querido, pela gentil visita.
Enorme abraço!

Zélia Guardiano disse...

Obrigada, Flávio amigo!
Você, com sua grande sensibilidade, sempre faz uma leitura especial...
Grata, querido!
Grande abraço para você!

Zélia Guardiano disse...

Paulo Jorge, meu querido
É preciso , às vezes, fazer papel de criança, para ver se esqueço o peso dos anos...rsrs...
Grata, amigo, pela presença e pelo amável comentário...
Enorme abraço!

Zélia Guardiano disse...

São os seus olhos, Fatima querida!
São os seus olhos...
Enorme abraço e beijinhos, amiga!

Giardia disse...

Tão bonito, Zélia.

Um poeminha inocente... não sei! mas que diz muito.

João Videira Santos disse...

...e as palavras deslizam suaves e leves no coro da natureza.

Gerana Damulakis disse...

Sublime, Z.

Lara Amaral disse...

Ah, tão, tão sereno! Só poderia ter sido escrito por vc mesmo, doce poetisa.

Beijo grande!

Zélia Guardiano disse...

Muita vez somos crianças, Giardia querida!
Grande beijo, minha amiga, todo preenchido de gratidão!

Zélia Guardiano disse...

Seja muito bem-vindo, João!
É grande a alegria de tê-lo aqui!
Grata pela visita e pelas palavras tão doces!
Grande abraço.

Zélia Guardiano disse...

Mil vezes obrigada, Gerana querida!
Mil vezes!
Tuas palavras têm tanto peso!
Abraço apertado.

Zélia Guardiano disse...

Lara, Lara, Lara...
Você vem sempre com um pote de mel para mim...
Que delícia a sua vista!
Que delícia as suas palavras!
Beijos agradecidos, querida.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Lua Nova, minha querida e especial amiga!
Que bom que, com a junção de nossos ingredientes, damos um jeito de inventar um arco-íris...
Fico muito feliz com sua presença e com suas palavras...
Beijo grande!

poetaeusou . . . disse...

*
Riacho ?
não acho,
Rio . . .
,
brisas coloridas,
deixo,
,
*

Zélia Guardiano disse...

Oh, Poeta, meu querido!
Que bom que chegaste com sua alegria, como seu espírito!
Grata, amigo!
Abraço!