Minha lista de blogs

domingo, 31 de outubro de 2010

Caminho


Sei
Que
Não existem
Dois
Caminhos:
Só um

A ilusão
Esboça
O que
Não é:
Traça
Ambívio
Faz
Encruzilhada

De
Maneira
Que
[Há milênios]
Encontro-me
Parada
Aqui:
Logo
Adiante
Bifurca-se
A estrada

Ai
Medo
[Terrível]
De
Escolher
A senda
Errada
E
Encontrar
[Ao seu
Final]
Um pote
Cheio
De
Ouro

39 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

todos os rios dão no mar :), assim tbm são os caminhos

beijos

Misturação - Ana Karla disse...

Ah, um potinho de ouro faria um bem material pra mim agora, importa mais minha felicidade.
Zélia, obrigada por tua visita e seja muito bem vinda ao Misturação.
Seu blog é muito curioso e vou explorá-lo(rs).
Xeros

Priscila Rôde disse...

Sem medo! Outros caminhos virão...

Um beijo, Querida!

Mirze Souza disse...

Zélia!

Depois da dúvida, a escolha. Linda exposição poética da vida traçada em caminhos.

Beijos

Mirze

Andradarte disse...

Sonhos e desejos...levam-nos longe..
Beijo

Manuela Freitas disse...

Muito interessante querida Zélia e algo muito real que acontece na nossa vida, quando aparecem dois caminhos e ficamos indecisas por qual devemos seguir! Ficar parada não sei se é o melhor, às vezes o melhor é arriscar!...Complexo!...
Beijinhos,
Manú

Fred Caju disse...

E é sempre bom lembrar que não há nada melhor do que poder escolher o caminho. Que sejam dois, três, quatro... Mas que nunca voltemos a ter apenas uma escolha.

Hanukká disse...

Lindo Domingo, dia de Paz e Adoração
Dia de lembrar do Criador

Tenha uma linda semana, de bençãos.

No Hanukká ...

VIDA E AUTORIDADE
O princípio de nossa vida é o da submissão, assim como o princípio do pássaro é voar e o do peixe é nadar. Se todas as igrejas tomarem o caminho da submissão, esse fatos gloriosos serão revelados diante de nossos olhos.
Bjos.
Valquiria
Calado

mdsol disse...

Minha querida:
Com a sua sensibilidade e saber, só pode escolher bem. Não nego a dor da decisão, mas isso só revela a profundidade com que decide.

Hoje sou brasileira, como em tantos outros dias, e só espero que o futuro de sua terra seja o melhor possível.
Beijinho

:)))

Juan Moravagine Carneiro disse...

AH! O MAR DE FERTILIDADE EM VERSOS...

ABRAÇO

ju rigoni disse...

A dúvida que sempre me assola... Desfecho brilhate, poeta.

Coisa maravilhosa é "te ler".

Bjs, querida. Inté!

Carla Farinazzi disse...

Zélia, uma vez vi uma frase assim:

"Você faz suas escolhas e suas escolhas fazem você". Ou seja, você é aquilo que escolhe. Diante da bifucação. Sempre há dois caminhos. O que escolhemos nos diz o que somos.

Muito bom texto, minha querida.

Beijos

Carla

Assis Freitas disse...

eu só acerto no erro,


abraço

Jorge Pimenta disse...

querida amiga,
de há tempos a esta parte tenho procurado convencer-me de que há apenas um caminho: o das nossas escolhas. mas os atalhos que o contornam, com olhar trocista e desafiador, são fantasmas difíceis de exorcizar...
um beijinho!

A. Reiffer disse...

O certo que tu segues um lindo e expressivo caminho poético. Parabéns! Abraços!

manuel marques disse...

Querida Zélia os caminhos fazem-se andando.

Beijinho.

Lara Amaral disse...

Sei que vc sempre encontrará riqueza, dessa que não se pode medir, pois dá para se ver nesta sua poesia pulsante uma alma preciosa.

Beijo!

Cacá disse...

"Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,

É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!"

É um trecho de Cântico Negro.

Meu abraço, Zélia. Paz e bem.

Toninhobira disse...

Ah, esta angustia da escolha no medo de errar.Que caminho seguir que me leva ao que quero? Porque nao posso errar? Muita agonia vive meu coração no momento que esta estrada se bifurca e me coloca esta espada no pescoço. Linda poesia Zelia, com sua marca perfeita.Meu abraço de paz e luz.

Vitor Chuva disse...

Olá, zelia, amiga!

Assim de repente, é como se a visse a fazer o percurso da personagem do Feiticeiro de Oz;desta feita com os pés assentes na terra, mas ao que parece pouco seguros ... e estranhamente receosa desse encontro com o seu pote de ouro...

Um abraço amigo; boa semana.
Vitor

Rosemildo Sales Furtado disse...

O pior é quando somente nos é imposto um só caminho, e que no seu final possamos quebrar a cara ou não, mas hoje se nos apresentam uma bifurcação, onde democraticamente, temos o direito da escolha, daí, é só optar por um, e pedir a DEUS que no final desse caminho, encontremos o pote de ouro. Rsrs.

Beijos e ótima semana pra ti e para os teus.

Furtado.

Graça Pereira disse...

Querida Zélia
Só quem encontra encruzilhadas na vida...pode avançar. Ter opção de escolha é determinante e ainda mais, quando há um pote de oiro á nossa espera... oiro esse que pode ser traduzido em felicidade.
Beijo e bom feriado.
Graça

Daniela Delias disse...

Encerrei a leitura e me ouvi dizendo "já pensou?". Aqui sempre termino diante do pote de ouro! Bjos, querida!

Osvaldo disse...

Zélia;

Li bem compenetrado o poema com o dilema de uma divisão na estrada (foto) sem placa para me dirigir.
Depois ri quando ao tomar o lado errado deparei com um pote de ouro... mas que maravilha. Quando chegar às encruzilhadas, não exito mais,... vou sempre pelo lado errado.
bjs, Zélia.
Osvaldo

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Zélia,

Parece-me um anagrama explícito sobre os medos essenciais e, dentre eles, o principal: ser feliz sem culpa.

Costumo de dizer que não fazemos a estrada, a estrada é que nos faz. Quando estacamos diante de dois caminhos e porque nós mesmos estamos bifurcando, dividindo emoções, sentimentos e aprendizado. Uma cisão ocorre e deixamos algo para trás. Aliás, para trás não. Deixamos algo de nós que vai para o lado oposto do que escolhemos e nesse outro caminho constrói uma nova dimensão, aquela a que jamais teremos acesso.

Lindo seu poema (e acho que viajei demais por conta dele, não leve em consideração o caráter raso de minhas frases; foi o que pude...) e profundamente provocador.

Super beijo.

Wanderley Elian Lima disse...

Sempre ficamos em dúvida quando temos que mudar de caminho, mas o importante é perder o medo e arriscar.
Bjux

Glorinha L de Lion disse...

Também eu amiga Zélia, tenho um medo danado de achar o tal pote de ouro e a busca, essa sim, a graça da vida, terminar!
Lindo, como sempre, minha poeta amada!

Cris de Souza disse...

me fez repensar...
escolher nunca foi meu forte, só no improviso.

beijo, passarinha!

Leca disse...

Zélia...
só existe mesmo...
um só caminho...
em Tudo...
o caminho que...
escolhemos...

Beijos
Leca

carlos pereira disse...

Cara Zélia;
Que bom deparar-mo-nos com este belo poema na encruzilhada dos nossos pensamentos e na estrada das nossas angústias e incertezas.
LINDO!
Gostei imenso.
Um beijo.

Pablo Rocha disse...

É coisa humana! Sua poesia cutuca o interior e os medos de cada um. Será que o caminho está certo? Será q posso voltar? Respostas com as quais lutaremos em quanto respirarmos e que vc tornou suave em seu lirismo doce. Parabéns, Zélia, pela poesia de visão!

Beijos!

Luria Corrêa . disse...

Zélia, mas que envolvente poema, ele quebra todos os tabus que envolviam dois caminhos, antes subpostos somente à nossa mente, e agora os quais você transformou em uma questão de senso e intimidade. Adorei o final, e me diverti em parte ao ler sua obra.

Beijos e boa semana querida !

Dilmar Gomes disse...

Olá amiga Zélia. Muito bom o seu poema.
O tema da encruzilhada exerce um fascínio muito grande sobre os poetas. Eu lembro, que há muito tempo, fiz um poema, o qual começava assim:
" Sou o homem/parado na encruzilhada/ esperando que o destino se cumpra...", o resto, já não sei mais .
Mas, então, a encruzilhada, geralmente, nos traz angústia, pois temos que optar...
Para Sarte, isso é liberdade, ou seja, definir-se por algo...
Gostei muito do final do seu poema; essa ironia inteligente faz tanto bem para nós, que vivemose o mundo carrancudo de nossos dias...
Um grande abraço.

Batom e poesias disse...

Zélia, eu, como uma libriana que se preze não posso me ver diante de um dilema desses que paraliso. Por milênios... rss
Esse poema é sensacional!

Beijinhos, querida.

Rossana

Em@ disse...

Zélia, escolha o caminho que escolher,certamente, ficará mais rica no final. tenho a certeza disso.não digo que materialmente, mas espiritualmente...
beijo no coração

Rayuela disse...

si el

c
a
m
i
n
o

elegido
nos lleva
al
oro

desandémoslo
y

c
a
m
i
n
e
m
o
s

el otro


mil besos*

Gerana Damulakis disse...

Seus conteúdos poéticos são sempre interessantes e criam cumplicidade com seus leitores. E sua forma, vc sabe, original; contas feitas, uma combinação e tanto.

Lúcia Soares disse...

Zélia, o jeito é escolher, seguir a intuição.
Caminhos foram feitos para serem descobertos e percorridos.
Sem medos. Com calma.
Beijo!

baiontropifado disse...

Olá!!!!

O caminho é a própria senda...se no caminhar é que se faz o caminho. Nesta perspectiva a chegada é menos importante que a travessia..pois é nela que se dá a vida!!!!
Obrigado por me incluir em sua lista de blogs!!!
Ps. em http://liabastosmodaecultura.blogspot.com podes me ver em ação!!!(post do dia 19.09)