Minha lista de blogs

sábado, 2 de outubro de 2010

Palavras



Com o tempo
Tudo
Se
Transforma

Dentro
De mim
As palavras
Foram
Esfriando

Primeiro
Ficaram
Mornas
Depois
Geladas

Gélidas
Como
Se fossem
Palavras
Cruzadas

48 comentários:

Lúcia Soares disse...

Oi, Zélia.
Bom vir aqui, adoro poesia.
Esta de hoje podia ter sido escrita por mim. Sinto-me assim.
Estamos mais sábias ou mais cansadas? rsrsrrs
Prazer seguí-la!

Zélia Guardiano disse...

Oh, Lúcia querida!
Seja muito, muito bem-vinda!
Então, quer dizer que estamos no mesmo barco? rsrs...
Que bom!!!
Bem, respondendo á sua pergunta: acho que as duas coisas...rs...
Grata, amiga!
Vem sempre, que a casa é sua!
Grande abraço e beijinhos.

Wania disse...

Zélia querida!


Não é isso que eu sinto quando venho aqui...tua poesia sempre me aquece o coração, amiga!
Continue cruzando as palavras...


Bj grande

Zélia Guardiano disse...

Oh, Wania, querida
Que bom que me trazes palavras de alento!
Combinado, então: vou cruzando as palavras...
Vamos ver no que é que dá...rs...
Grata, querida, pela amável visita!
Abraço apertado e beijinhos.

Fred Caju disse...

Lembrei-me da Graça Graúna, Zélia.

ENTRE-LUGAR

De um lado
a palavra
do outro
o silêncio
estreando realidades conhecidas.

A pá lavra o abismo
que vai de mim
ao outro.



(Graça Graúna)

Zélia Guardiano disse...

Muito lindo, Fred querido!
Fico-lhe muito agradecida pois, além do prazer da visita, ainda me trazes este lindo presente!
Belíssimo este ENTRE-LUGAR!
Grande, a Graça Graúna!
Maravilhoso, você, que sabe dividir...
Grande abraço, amigo!

Domingos Barroso disse...

Mas ao esfregares os pulsos
(gesto de sacerdotisa) faz-se
chama e sobem labaredas
das tuas mãos,
altíssima poetisa.
....

Terno abraço,
minha amiga.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Domingos, meu querido!
Tu vens e me alegras duplamente: o prazer da visita e o consolo das palavras...
Grata, amigo!
Abraço apertado!

Andradarte disse...

Não sei muito de poesia, vou mais pelo som que
ecoa da sua leitura....e se gosto...gosto.
Me soa sua maneira de escrever.
Beijo

Leonardo B. disse...

diria despropositado, mas não resisto a deixar-lhe um texto, texto de palavras que não dei continuidade, apenas rascunhado, mas são palavras, palavras assim...

[Gostaria de trocar umas palavras consigo, não, nada de vendas, acha-me com cara de vendedor de latas velhas ou seguros, não, só umas palavras, é simples, eu digo chuva você sol, eu digo, supúnhamos tristeza, você risada geral, eu lamento, você, não sei… não ter tempo para brincadeiras não é forma de tratar coisas sérias, colecciono palavras sim, não há por aí tanto maluco a coleccionar selos, cromos, empregos, mulheres, até há quem coleccione caixas de fósforos, sei sim, estou certo, informação segura, coleccionam caixas de fósforos e cachecóis dos clubes da bola, que mal tem coleccionar palavras, só quero trocar algumas consigo, estou certo que tem umas quantas que já não usa faz muito tempo, não lhe fazem diferença se me dispensar duas ou três, tenha a bondade, tome o seu café, não pretendo incomodar muito, só trocar uma palavra ou outra, tenho algumas de sobra, quer ver, sim, preciosas, esta tem muito tempo que não uso e não está gasta, veja, veja com os seus olhos, não é artificial, fútil talvez, artificial é que não: só gostava de trocar uma palavra, uma que fosse!]


Amiga Minha,
Duas palavras: imenso abraço

Leonardo B.

Cacá disse...

Mas mesmo se transformando em palavras cruzadas, elas são uma companhia indispensável. Eu adoro. Abração, Zélia! Paz e bem.

manuel marques disse...

Amo as suas palavras,são escritas com sentimento.

Beijos meus minha querida.

Guará Matos disse...

Relações mal resolvidas ficam assim.

Bj.

Pedrasnuas disse...

AMIGA...O POEMA ESTÁ ÓPTIMO POR ISSO AS PALAVRAS NÃO FICARAM GELADAS...A NÃO SER QUE INADVERTIDAMENTE ALGUÉM AS TIVESSE COLOCADO NO CONGELADOR...DE QUALQUER FORMA, MESMO CRUZADAS NÓS ENTENDEMOS A SUA ESSÊNCIA E SE NÃO ENTENDEMOS A ESSÊNCIA,ENTENDEMOS A RIMA E SE NÃO ENTENDEMOS MUITA COISA...ENTENDEMOS ALGUMA COISA ...FALO POR MIM...

MUITOS BEIJINHOS E UM DOMINGO FELIZ

Zélia Guardiano disse...

Amigo Andradarte
Se lhe soou bem, fico imensamente feliz!
Este é , também, o meu critério: gostei, está gostado... Pronto! Simples assim...rs...
Grata, querido, pela visita e pelas palavras aqui deixadas!
Abraço.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Leonard querido
Que honra receber-te!
E não vens de mãos vazias: lindíssimos versos me trazes! Aliás, um tesouro feito de palavras...
Parabéns, meu poeta!
Grata pela visita e pela oportunidade de excelente leitura!
Enorme abraço, meu especial amigo!

Zélia Guardiano disse...

Tens razão, Cacá!
As palavras valem ouro!
Eu também não viveria sem elas, embora as maltrate de vez em quando...rs...
Fiquei feliz com sua presença e com seu comentário!
Abraço apertado para você...

Zélia Guardiano disse...

Oh, Manuel, queridíssimo amigo!
Que bem me fazem suas palavras!
São estímulo para que su siga martelando meus versos...
Muito grata!
Receba um abraço bem apertado.

Zélia Guardiano disse...

Rsrsrsrsrsrs...
Grata, amigo Guara Matos!
Sua presença muito me alegra!
Grande abraço.

Zélia Guardiano disse...

Sábias palavras, Pedrasnuas querida!
Sábias palavras...
Se entendermos um pouquinho delas, já estaremos no lucro!
Tens razão em tudo que dizes...
Tu me fazes muito feliz com tua presença e com teu comentário!
Grata, amiga!
Abraço e beijinhos.

Cida disse...

Durante a nossa vida, eu diria que não é que as palavras mudem de significado, mas com toda certeza, elas mudam (e muito) de importância.
Muitas delas, até, o vento carrega prá bem longe, e vivemos felizes sem sentir nem um pouco a falta.

Hoje, vivo uma fase maravilhosa, que é de curtir cada palavrinha nova da minha neta.
Elas chegam novinhas, com um sabor diferente, e eu passo a enxergar o mundo com outros olhos.
Um mundo mostrado por palavras de criança, num verdadeiro resgate da inocência.
Bom demais!...:)

Beijo prá você querida. Semana que vem o Brasil já vai estar de cara nova...
Que Deus nos guarde!

Cid@

Zélia Guardiano disse...

Cida, minha especial amiga
Que delícia o frescor das palavrinhas novas a que você se refere!
Sua netinha...
Que amor!
Sabe que você tem razão?
Muitas palavras vão ficando , gastas, esgarçadas, sem significado...
É de outra palvras que precisamos...
Eu, que aos 65 anos ainda não tenho netos, fico aqui no aguardo...rsrsrs...
Grata, minha linda , pela adorável visita!
Abraço e beijinhos.

Constança Lucas disse...

belo poema visual Palavras

abraços
Constança

contagotas disse...

Não dei por nada!
Sempre suas palavras se juntaram fazendo poema e amornando seu espaço.
Hoje se as sente assim, gélidas, deve ser por efeito das eleições. Será!? :))

Bom domingo
Na segunda o tempo aquece! :))
Beijos
MariaIvone

Gerana Damulakis disse...

A culpa é de um vento mais forte que passou. A culpa está em qualquer coisa porque suas palavras não são geladas, gélidas. A culpa do foi do vento, repito.
Um beijo caloroso para vc, que é tão especial na blogosfera.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Auto-crítica vezenquando é bom... mas na medida... o que frio te parece, quente me é... penso, parece haver uma necessidade de completude tal no ente humano que aquilo que fazemos o que co-criamos no universo, o que sai de nós, não nos satisfaz de todo... escrevo e, mesmo a despeito do que os outros digam, mais me satisfaz ao gosto estético escritas outras... é como uma fome, uma necessidade de comer [porque nem só de pão viverá o homem...]

Forte abraço, Zélia! Antes das palavras, que os sentimentos te encontrem, porque elas são somente os veículos... ;)

dade amorim disse...

Ficção pura, aqui não há nada frio - são palavras quentinhas e deliciosas de ler.

Beijo beijo.

Rodrigo Braga disse...

Tanto a dizer cruzando essas palavras que o tom tristonho desse lindo poema se esvai. Beleza que põe mesa logo abaixo de sua caneta

Zélia Guardiano disse...

Poi é, Constança querida: lindo poema visual, que infelizmente não tem a autoria publicada, de maneira que não pude repassá-la...
Muito grata, querida, pela visita !
Você, aqui, é sempre uma grande honra!
Abraço e beijos.

Zélia Guardiano disse...

Oh, MariaIvone, minha linda!
Consolo me trouxeste!
Vamos deixar por conta das eleições, este circo de cavalinhos, que mexe com o emocional da gente...
Quem sabe amanhã, terei já, as palavras aquecidas...rs...
Grande abraço e beijinhos, querida amiga!

Zélia Guardiano disse...

Querida Gerana
Com o calor de sua presença, o vento gélido bate em retirada e as palavras se aquecem. Sua visita nunca é vã... Muito pelo contrário: sempre uma honra enorme, capaz de mudar uma situação .
Beijo, amiga!

Zélia Guardiano disse...

Francisco, meu querido
Nem só de pão viverá o homem...
Certo!!!
É por isso que tanto leio os teus escritos! Leio, releio e torno a ler: alimento-me!
Grata, amigo!
Abraço apertado!

Zélia Guardiano disse...

Dade, querida amiga!
Chegaste com palavras apropriadas para elevar-me o estado de espírito!
Se tu o dizes, então eu acredito e vou que vou em frente, martelando os meus versinhos...
Enorme abraço, minha linda!

Zélia Guardiano disse...

Rodrigo, Rodrigo, Rodrigo...
Quem tem um amigo como você, é feliz!
Eu tenho este privilégio e sou-lhe muito grata por isso!
Você me traz duas alegrias enormes: a da sua presença, e aquela contida em suas palavras, que tiram o chumbo do meu céu e, no lugar, colocam um azul lindo, lindo...
Beijo, querido!

Mariazita disse...

Apenas por absoluta falta de tempo não me é possível dirigir um agradecimento individualizado a cada uma das pessoas que tiveram a gentileza de me felicitar pelo meu aniversário.
Faço-o, por isso, numa forma “generalizada”, mas acompanhada do carinho particular para cada um de vós, neste caso para ti, Zélia querida

PS – Aproveito a oportunidade para agradecer, também, a visita e comentário ao meu post anterior “Acontecimento Inesperado”.

Beijinhos

Logo que possível voltarei para te ler e comentar.

poetaeusou . . . disse...

*
Como podem gelar
as palavras na Primavera ?
vamos descrever o mundo,
sem palavras mas com o olhar,
o olhar Primaveril e os olhos
de Zélia Guardiano !!!
,
conchinhas coloridas,
ficam,
,
*

Zélia Guardiano disse...

Poeta, meu querido amigo!!!
Que grande alegria me dás, com tua presença, com tuas palavras, com tuas conchinhas, que nuca esqueces: sempre me deixas...
Ah, que agora meu domingo ficou iluminado e as palavras se aqueceram .
Grata!!!
Abraço apertado.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Mariazita!
Não te preocupes...
Sei que estás a correr com teu livro!
Aqui estou, torcendo muito pelo teu sucesso!
Muito!
Que Deus te proteja, minha querida, e abra teus caminhos, retire as pedras, e vá à tua frente, sempre semeando flores...

Salete Cattae disse...

Suas palavras nunca são gélidas, Zélia. Elas são sim firmes mas delicadas e muito sábias!
Aprendo muito com elas.

bjs querida e ótimo domingo para vc.

Zélia Guardiano disse...

Oh, Salete, minha querida!
Que alegria enorme me dás com teu comentário!
Estou, deveras , emocionada!
Não imaginava tudo isso...
Que bom, amiga!
Beijos para você também!
Que o teu domingo seja feito de Paz e Luz!!!

Lara Amaral disse...

As palavras atravessam-nos, cruzam caminhos dentro de nós, interditam pontes, remendam outras. Cada sensação nos trazem...

Beijo, querida.

ΛмeвΛ disse...

Que poesia bonita.

Bom domingo!
ΛмeвΛ

Mírian Mondon disse...

Querida Zelia,
Amo esses seus verso, magrinhos, elegantes, insinuanates, as vezes cortantes.
Como um bailar de ideias, as vezes como um tear,
as vezes sementes ao vento... as vezes sao tao cantantes. Amoooo

beijos

Em@ disse...

Zélia,
as palavras cruzadas são boas. aquecem tantos corações solitários...
beijo no seu <3

mdsol disse...

P A L A V R A S
A
L
A
V
R
A
S

:))))

Rayuela disse...

tu dibujo de palavras es un mandala
tu mandala de palabras
debe girar

ml besos*

Lua Nova disse...

Estejam na temperatura que estiverem, tuas palavras mesmo cruzadas são sempre um carinho pro meu coração...
Beijokas.

Anga Mazle disse...

Essas suas palavras são como o chope, Zélia, que quanto mais gelado mais alegra e aquece a alma!

Beijos